Negociação dura deixou Fox fora das operadoras menores da TV paga



Não foi só a Oi que deixou de ter os sinais da Fox, conforme noticiado na semana passada. De acordo com fontes ouvidas por este noticiário, no último ano a programadora teria sido dura nas renegociações dos contratos que estavam chegando ao final. A questão não seria só o aumento no preço dos canais, mas também novas exigências de empacotamento, que acabariam por encarecer os pacotes, por exemplo jogando alguns canais para pacotes mais básicos (de maior base). Diversas operadoras de menor porte associadas à NeoTV acabaram abrindo mão dos canais da Fox – entre elas a Algar Telecom, Cabo Telecom (Natal) e Sim TV – no último bimestre de 2015. Algumas, inclusive, optaram por judicializar a disputa.

De acordo com o diretor geral da NeoTV, Alex Jucius, cerca de metade da base de assinantes das operadoras ligadas à associação não recebe mais os canais da Fox. "A maioria das operadoras optou por manter os canais da Fox em suas operações, mas em termos de base, praticamente a metade não tem mais pacotes com estes canais", explica. Isso representa aproximadamente 220 mil assinantes.

Segundo Jucius, a NeoTV enfrentou uma negociação dura com a Fox, mas a maioria dos membros do comitê de programação votou pelo acordo. "Manter os canais nos pacotes de programação é opção do operador, assim como entrar em uma disputa judicial", diz Jucius. Segundo o executivo, a NeoTV não está se envolvendo nos processos, até por que, ao assinar o contrato com a Fox, concordou com o que foi acordado.

Um operador ouvido por este noticiário disse que quem ficou com a Fox foram os operadores que não tinham outras opções nos mesmos segmentos, como filmes e séries, por não carregarem canais destes gêneros de outras programadoras, como Globosat ou HBO.

Os contratos com as programadoras não estão simplificando o trabalho de empacotamento das operadoras. Segundo Jucius, tem sido cada vez mais difícil montar os pacotes de programação, por conta das exigências das programadoras. Muitas vezes, explica o executivo, para conseguir empacotar, o operador tem que optar por deixar alguma grande programadora de fora, por incompatibilidade entre as exigências das programadoras. "No caso das operações mais recentes, quase todas deixam algum grande programador de fora. Nas operações mais antigas, as condições estipuladas nos contratos com as programadoras são anteriores a esse endurecimento nas condições", explica.

Um operador que optou por não carregar os canais Fox disse que o custo, nas condições exigidas, tornaria a operação quase inviável. "Já trabalhamos hoje com margens muito pequenas", disse. Ele afirma, no entanto, que houve pouca reclamação no call center com a saída dos canais, e que a operadora compensou os assinantes com descontos e outros pacotes. Segundo a operadora, não houve praticamente nenhum cancelamento de assinatura por conta da mudança.

Resposta

Questionada por este noticiário, a Fox respondeu com o seguinte comunicado:

"Fox Networks Group Brasil tem mantido conversações por vários meses com o operador de TV a cabo e, neste caso, sem chegar a um acordo justo que corresponda às reais condições de mercado em relação ao valor dos nossos conteúdos.

Por este motivo é fundamental não dar lugar a interpretações errôneas ou conclusões precipitadas. É importante compreender que esta decisão reflete o fiel e forte compromisso assumido pelo Fox Networks Group Brasil em apoio ao desenvolvimento do mercado de TV paga em toda a região e em poder continuar oferecendo a maior variedade de gêneros de programas como ficção, documentários, esportes e estilo de vida.

Conteúdos de altíssima qualidade que são escolhidos e seguidos por 70 milhões de lares da América Latina. Marcas que são, por sua vez, seguidas em todo o mundo digital por 127 milhões de fãs, criando experiências únicas de entretenimento.

Fãs que se manifestaram ativamente através das redes sociais durante os últimos dias e que nós somos muito gratos por sua preferência.

O Brasil é um mercado exigente e ávido de conteúdo inovador, desta forma investimos e apostamos em mais de 100 horas de conteúdo original e relevante para o nosso público. Temos somado seguidores de forma constante tanto pelo crescimento da distribuição de nosso sinais, como pelo lançamento de novos canais HD como FX, Fox Life e agora o FOX+ que proporciona a primeira experiência Premium en HD composta por séries exclusivas, inéditas no Brasil, e por produções originais com a personalidade Fox.

O público aprecia, reconhece e escolhe nossas marcas, bem como o que nós fazemos, e esperamos chegar a um acordo equilibrado para as partes e favorável aos consumidores."

Nenhum comentário:

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.