Remake de 'Mulheres de Areia' estreia nesta segunda-feira no VIVA


De um lado a simplicidade de Ruth. De outro, as artimanhas de Raquel. As gêmeas de Ivani Ribeiro estão de volta. A partir de 29 de fevereiro, o VIVA exibe o remake de "Mulheres de Areia", lançado em 1993, pela Globo. Baseada na trama homônima, que foi ao ar em 1973 na TV Tupi, e em outro folhetim da autora, "O Espantalho" (1977), a novela tem como tema central a rivalidade entre as irmãs Araújo, interpretadas por Gloria Pires. Desde o convívio familiar até a disputa pelo amor de Marcos (Guilherme Fontes). 

O elenco reúne nomes de peso como as veteranas Laura Cardoso, Eloísa Mafalda, Nicette Bruno e Susana Vieira, e os saudosos Carlos Zara, Raul Cortez, Paulo Goulart e Sebastião Vasconcelos. As interpretações de Marcos Frota (Tonho da Lua), Andréa Beltrão (Tônia) e Vivianne Pasmanter (Malu) estão entre os destaques da produção e conquistaram o público. Gabriela Alves também ganhou projeção ao viver Glorinha, um de seus primeiros personagens na televisão. 

"Mulheres de Areia" tem como colaboradora a escritora Solange Castro Neves. Considerado um clássico da teledramaturgia, o folhetim marca a terceira parceria de Ivani e Wolf Maya, responsável pela direção geral da trama. Antes, a dupla trabalhou em "Final Feliz" (1982) e "Hipertensão" (1986). Já em 1994, a dupla esteve junta na nova versão de "A Viagem". 

"Mulheres de Areia" substituirá "Despedida de Solteiro", de segunda a sábado, às 15h30. 

"A Rutinha é boa, a Raquel é má" 

A frase de Tonho da Lua (Marcos Frota) simplifica a discrepância de personalidade e caráter de Ruth e Raquel (Gloria Pires). Em comum, as gêmeas só têm a fisionomia. Enquanto Ruth é uma professora meiga e ingênua, a ambiciosa Raquel tem um temperamento forte e assume o papel de vilã inescrupulosa. 

A fictícia Pontal D’Areia, cidade do litoral fluminense, é o cenário da história das irmãs. Depois de um tempo dando aulas na escola primária de uma fazenda, Ruth retorna à casa dos pais, Isaura (Laura Cardoso) e Floriano (Sebastião Vasconcelos). As trapaças de Raquel já começam no primeiro capítulo, quando ela se interessa pela fortuna do bem-sucedido empresário Marcos Assunção (Guilherme Fontes), que está encantado por Ruth. Aproveitando-se da semelhança física com a irmã, Raquel tanto planeja que consegue seduzir e se casa com o namorado de Ruth. Mesmo comprometida, ela mantém um caso às escondidas com o mau-caráter Wanderlei (Paulo Betti), um de seus cúmplices. A megera tem ainda o apoio da mãe, que a protege por zelo e receio de seus desatinos. A trama tem uma reviravolta quando Raquel desaparece em um acidente marítimo e Ruth assume seu lugar para ficar ao lado de Marcos. No entanto, a vilã está mais do que viva, e só pensa em como se vingar da irmã. 

Durante entrevista concedida ao VIVA para o programa "Damas da TV", em 2013, Gloria relatou a experiência de interpretar estilos tão opostos. "Foi um ‘tour de force’, porque eram dois personagens. A Antônia (filha da atriz) estava com três meses. Eu trabalhava em dobro. Até aprender como fazer, era uma trabalheira louca. E houve grandes momentos. Lembro de quando gravei a cena em que a Ruth esbofeteia a Raquel. Fizemos o take onze vezes até ficar perfeito", explica. 

Tonho da Lua: a inocência estampada nas esculturas de areia 

Marcos Frota dá vida ao portador de problemas mentais Tonho da Lua, personagem de destaque de sua carreira como ator. Morador da vila de pescadores, Tonho varia de comportamento de acordo com fatores como a implicância de Raquel (Gloria Pires). A maquiavélica cisma em destruir as caprichosas esculturas de areia que ele dedica horas para construir. Com a chegada de Ruth ao Pontal D’Areia, Tonho fica confuso e demora a entender que ela não é a sua inimiga. Aos poucos, ele vai se aproximando da professora e cria uma paixão platônica por ela. 

E não é só Ruth que atormenta a vida de Tonho. Órfão, ele é mantido aos cuidados do cruel Donato (Paulo Goulart), um dono de barcos da região. Outros alvos do padrasto de Tonho são os pescadores e a enteada Glorinha (Gabriela Alves), a quem assedia sexualmente. 

A ovelha negra de Vivianne Pasmanter 

Se Virgílio (Raul Cortez) é um ambicioso homem de negócios, sua filha, Malu (Vivianne Pasmanter), é o inverso. Rebelde e crítica à postura do pai - vice-prefeito de Pontal D’Areia e dono do maior hotel da cidade -, a moça é considerada a ovelha negra da família Assunção. Para ela, não existe limite para atormentar a vida de Virgílio, principalmente quando o assunto envolve dinheiro e seus interesses profissionais. Malu também carrega um peso do passado: responsabiliza o pai pelo suicídio de seu ex-noivo. 

Há quem tente controlar os devaneios de Malu: a mãe, Clarita (Susana Vieira); o irmão, Marcos (Guilherme Fontes); e a melhor amiga, Carola (Alexandra Marzo). Mas o único que consegue conter sua rebeldia é o peão Alaor (Humberto Martins). A dupla vive um divertido e imprevisível romance. 

Turismo X Proteção ambiental 

A novela também serviu para Ivani Ribeiro falar sobre a questão da poluição ambiental com o embate entre o prepotente Virgílio (Raul Cortez) e os engajados Breno (Daniel Dantas), prefeito da cidade, e Tônia (Andréa Beltrão), uma comerciante local. De um lado, Virgílio sustenta o sonho de transformar Pontal D’Areia em um centro turístico. Mas não será fácil botar esses planos em prática. Não com a resistência de Breno e Tônia. 

O prefeito ambientalista chega a proibir o banho de mar na cidade, devido à poluição das águas, o que atrapalha os projetos turísticos do empresário e cria um alvoroço da população.

Nenhum comentário:

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.