"a gente se sente discriminado", diretora da TV Gazeta critica a operadora NET



A TV Gazeta de São Paulo, da Fundação Cásper Líbero, está enfrentando dificuldades para disponibilizar seu sinal HD aos assinantes da operadora Net.

Segundo a superintendente de programação da emissora, Marinês Rodrigues, a operadora discrimina a TV Gazeta, em relação ao procedimento que ela adota com o sinal em alta definição das outras emissoras de TV aberta. "Essa situação é revoltante", diz a diretora, em entrevista ao site NaTelinha.

O carregamento da TV Gazeta por parte da Net é obrigatório em São Paulo devido à lei 12.485/11, o chamado 'must carry' gratuito, onde as empresas de TV paga são obrigadas a carregar o sinal das geradoras locais de radiofusão. O sinal da Gazeta pode ser sintonizado na Net no canal 21, na frequência analógica (baixa qualidade).

"Tem uma questão que a gente vive tentando reverter e não consegue. Porque a Net entende que se ela faz um carregamento numa das posições, no caso da analógica, ela atendeu o que a lei determina. Então, não seria obrigada a nos carregar na posição HD", conta Marinês Rodrigues.

O que determinou o questionamento maior da diretora, foi quando a Net carregou o sinal HD da TV Cultura. Com isso, exclusivamente, a única TV aberta de São Paulo em alta definição fora da operadora foi a Gazeta. "Uma postura que não guarda relação com o que ela pratica com as demais emissoras. A gente se sente discriminado. Essa situação é revoltante. É uma postura empresarial que a Net não quer nos carregar".

Segundo Marinês Rodrigues, a interpretação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) é que o rigor da lei está sendo cumprido. "Mas obviamente há um prejuízo claro para a TV Gazeta neste cenário. Quem nos assiste pela Net em São Paulo não tem acesso ao canal em HD, porque a operadora não quer carregar. Ela não faz porque não quer", diz a superintendente.

Ela também afirma que a TV Gazeta já tentou de todas as formas oferecer o sinal para a Net, inclusive com mediação da Anatel, mas que nada disso resultou em um acordo. "Ela diz que pode fazer o carregamento em HD, mas que vai descontinuar o analógico. Situação que ela não faz com nenhuma outra emissora ou geradora. A gente não pode ainda neste momento abrir mão do sinal analógico, porque os pacotes HDs não representam a totalidade da venda de serviço por parte da Net. Teríamos que estar nos dois pacotes, como todas as geradoras", conta.

A Sky e outras operadoras de caráter nacional não são obrigadas a carregar a TV Gazeta, mas segundo a diretora, o canal é muito cobrado pelos assinantes que optam pelo serviços dessas empresas sobre a entrada do sinal. "Foi aí que surgiu a campanha da hashtag #EuQueroATVGazeta. Isso foi para deixar claro, que nós, TV Gazeta, queremos e podemos ceder o nosso sinal para quaisquer operadora de forma gratuita. Mas não temos como obrigar a operadoras de fazer o carregamento, teria que ser algo por adesão, como fez a Vivo TV", finaliza.

Procurada, a assessoria da Net não enviou sua posição sobre a matéria.

Nenhum comentário:

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.