E! exibe o último episódio da segunda temporada de "I Am Cait"


Caityn Janner se despede da segunda temporada no E!. (Divulgação)
No domingo, 17 de julho, às 22h, chega ao fim mais uma temporada da aclamada série documental I Am Cait no E! Entertainment Television. Depois enfrentar o início de sua busca por uma vida normal como mulher transgênero, Caitlyn Jenner conseguiu, na segunda temporada, se divertir um pouco e se tornar mais aberta a novas ideias antes inexploradas de sua nova vida. Nesta temporada, Caitlyn também confrontou desafios à sua crença que a estremeceram, bem como seu grupo de amigos que não deixou nenhum tema fora da conversa. As discussões foram calorosas e bastante emotivas e, por fim, levaram Caitlyn para uma melhor compreensão de si mesma e da comunidade transgênero.

"A parte mais difícil foi aprender sobre esta comunidade. Para mim, pessoalmente, estou tão confortável sendo eu mesmo, que tem sido fácil. Pela primeira vez na minha vida, eu não sinto como se estivesse acordando de uma mentira. Lembro-me outro dia que acordei, e eu estava me preparando para sair, e pensei 'Meu Deus, é cedo, eu estou me preparando para sair, e estou realmente feliz.' Foi uma sensação maravilhosa. Então, essa tem sido a parte mais fácil do processo de transição. A parte difícil para mim foi aprender sobre esta comunidade. Eu nunca sequer conheci outra pessoa transgênera até nove meses atrás, quando eu estava com as meninas para jantar e começamos a falar sobre isso. Eu não tinha ideia. Então, aprender sobre a comunidade, quais são os problemas, quais são as questões para esta comunidade politicamente e socialmente, e tentando estar em uma posição como um grupo que vai tentar fazer a diferença e criar um entendimento. Essa tem sido a parte desafiadora", comenta Caitlyn Jenner.

Com tudo isso, Caitlyn se esforça para ser a melhor pessoa que pode ser, construindo vínculos ainda mais estreitos com seus amigos, sua comunidade e sua família.

"O primeiro com quem eu conversei com na minha família foi meu filho Brandon. Brandon é o meu pequeno guardião da família. Ele é um verdadeiro pensador; ele tem uma grande mente; ele é um grande músico; ele canta; ele escreve; e ele produz; e achei que Brandon e Leah (sua esposa) seriam os melhores. Nos sentamos e conversamos sobre isso. Obviamente, todos os meus filhos sabiam o que estava acontecendo, mas ninguém iria falar sobre isso porque estava na mídia. E Brandon me disse depois de uma longa conversa: 'Você sabe, Pai, eu sou muito orgulhoso de ser seu filho. Todo lugar que eu vou, se eu vou ao aeroporto e mostro minha identidade que diz Brandon Jenner, as pessoas falam ‘Seu pai é Bruce Jenner?'. E Brandon diria que sim e eles diziam que adoravam Bruce. Mas ele disse, 'eu não ficaria mais orgulhoso de você do que sou agora'. Ele foi o primeiro [com quem falei] e eu pensei que seria ok. É maravilhoso ouvir isso do seu filho. E ele é tão orgulhoso de mim agora. E praticamente ressoou em toda a família. Eu e Kris nos damos muito bem. Eu pensei - agora todo mundo tem um assunto diferente ou uma interpretação diferente do que aconteceu - mas eu provavelmente fui muito honesto com ela no início. Nós nos conhecemos há 25 anos. Eu imaginei que chegaria onde estou hoje? Não. Mas, nós tínhamos 23 grandes anos juntos, e ela é uma grande pessoa. Temos um ótimo relacionamento agora. Acho que às vezes ela tem desafios para lidar, mas eu entendo. Ainda somos bons amigos. Toda vez que estamos juntos, rimos e nos divertimos. E honestamente tem sido bom", relembra.

O círculo de amizade de Caitlyn inclui Candis Cayne, Jennifer Finney Boylan, Chandi Moore, Kate Bornstein, Zackary Drucker e sua nova amiga Ella Giselle, uma jovem de 18 anos que é acolhida pelas mulheres mais maduras que são suas primeiras amigas transgêneras. Este grupo de mulheres ama e apoia Caitlyn. Todas são extremamente cuidadosas com ela. Caitlyn é colocada à prova de seus limites quando as mulheres a pressionam para reavaliar suas crenças políticas conservadoras, e seu entendimento sobre ser transgênero e ser mulher. Ao longo da viagem, que vai de Los Angeles para o Grand Canyon, Tulsa, Kansas City, New Orleans e além, elas discutem temas que as confrontam, se abrem para falar sobre suas próprias vulnerabilidades e obstáculos que cercam seus relacionamentos, carreiras e famílias. Assim, Caitlyn abriu para novas possibilidades, como uma relação amorosa que nunca pensou ser possível. 

"Bruce era uma boa pessoa que fez muita coisa boa em sua vida, que teve uma vida absolutamente incrível, com filhos maravilhosos. Quando você tem seu nome alterado, um marcador de gênero mudou; você sabe que é a coisa certa a fazer em seu coração, mas às vezes eu me sinto como se estivesse o jogando para fora. E isso foi difícil. Mas lidamos com isso [no programa]", finaliza.

A primeira temporada de I Am Cait foi exibida em 153 países em 24 idiomas diferentes. A série documental é produzida por Bunim / Murray Productions, uma empresa que tem documentado histórias LGBT há mais de 20 anos. Caitlyn Jenner é Produtora Executiva, e Gil Goldschein, Jeff Jenkins, Farnaz Farjam, Andrea Metz e Melissa Bidwell são os Produtores Executivos para Bunim / Murray Productions.

Nenhum comentário:

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.