Em segundo episódio de ‘Pra Onde Corre O Rio’, pescadores revelam sofrer ameaças



Série original do canal Curta!, “Pra Onde Corre O Rio”, de Paula Fiuza, chega ao segundo episódio na Sexta da Sociedade, 19 ás 20h, revelando o ponto de vista dos pescadores sobre a poluição da Baía de Guanabara. 

Presidente da AHOMAR (Associação dos Homens do Mar da Baía de Guanabara), o pescador Alexandre Anderson conta que já sofreu diversos atentados e que vive sob um programa de proteção federal. Ainda assim, ele fiscaliza a Baía com os companheiros para denunciar práticas irregulares de empresas como a Petrobras. O ativista revela que muitos pescadores da região foram assassinados depois de protestos contra atividades poluentes: “Nós estamos provando que todo processo de petróleo feito na Baía de Guanabara é feito de forma clandestina. Por isso, existem ameaças, porque estamos monitorando, estamos no mar. Eles não querem a gente na água porque somos vigilantes do mar”, assegura Alexandre.

Procurador da República, Lauro Coelho Jr. explica em depoimento à série que os protestos contínuos dos pescadores chamaram atenção do Ministério Público: “As pessoas que vivem da Baía sempre se revoltaram muito, tanto por essa poluição quanto pelas áreas de exclusão causadas pelos empreendimentos de petróleo e gás e tiveram a atuação deles, até de certa forma, criminalizada. O Alexandre Anderson foi perseguido pelo trabalho de ativismo ambiental que ele fazia e foi incluído no programa de proteção, mas do outro lado a gente encontrou opositores muito fortes: a Petrobras e o Governo do Estado do Rio”.

Segundo Alexandre Anderson, a ação dos navios petroleiros gera poluição sonora, visual, química e térmica e será preciso muito resistência para continuar enfrentando todo esse impacto. “Ou a gente resiste ou a gente morre. Porque não se mata só com tiro ou facada. Se mata com tristeza. Quando você tira um pescador do mar, você tira o sustento dele e vai tirá-lo da casa dele, porque ele não terá como mantê-la. Ele vai embora. Antes disso, talvez ele morra, talvez vire alcóolatra, talvez entre em depressão. Ele não sabe fazer outra coisa. Mas também ele não precisa saber fazer outra coisa, porque isso aqui é nosso”.

“Pra Onde Corre o Rio” terá oito episódios – inéditos sempre às sextas, às 20h – nos quais serão desvendados os grandes problemas que, há décadas, afetam a natureza do Rio de Janeiro, como a poluição da Baía de Guanabara, dos rios e lagoas; a ocupação irregular de áreas preservadas; a falta de conservação nas áreas de mata; a falta de saneamento básico e as ações de impacto das indústrias poluentes.

Nenhum comentário:

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.