O artista plástico Eduardo Srur é o convidado do “Inspira.mov Brasil”



Eduardo Srur, artista plástico que se destaca por intervenções urbanas, é o convidado do Inspira.mov Brasil, produção inédita da GRIFA FILMES, que a TV Cultura exibe quarta-feira, dia 17 de agosto, à meia-noite, logo após o Cultura Livre. No programa, ele comenta a utilização do espaço público com suas obras, para chamar a atenção a questões ambientais e do cotidiano nas metrópoles. Com o bom humor que permeia suas obras,  Srur indica as fontes de inspiração para sua arte.

Ideias e comportamentos inspiradores são a matéria-prima da série inédita de 13 programas Inspira.mov Brasil. A GRIFA FILMES, premiada produtora brasileira que comemora 20 anos em 2016, criou o formato do programa para a TV com o patrocínio da 3M do Brasil. A direção é da premiada diretora de documentários e filmes Mara Mourão.

Eduardo Srur – “O artista não é domesticável”- dia 17 de agosto

Eduardo Srur começa o programa lembrando que tem 20 anos de carreira como pintor, e que, na última década, tem se dedicado também a fazer as intervenções urbanas que tornaram seu trabalho conhecido do grande público. O artista plástico explica que foi um sentimento de inquietação que o levou para além do universo da pintura, a busca de novas linguagens e formas de expressão.

Para ele, “São Paulo é um lugar caótico” e, por este motivo, a cidade é “um laboratório perfeito para a prática artística”. E foi da janela de sua casa, que ele obteve inspiração para as instalações no Rio Pinheiros que geraram enorme repercussão. Na primeira delas, Eduardo Srur colocou 150 caiaques com manequins de plástico no leito do rio para lembrar a época em que o local podia ser navegado. O Pinheiros também recebeu esculturas realistas de pessoas em trampolins ameaçando pular nas águas poluídas, uma escultura com a cara do artista que mergulhou e desapareceu no meio da sujeira e até reproduções gigantes de onças.

“Eu sempre fui um cara provocador”, reconhece Srur ao recordar as vezes que teve de prestar explicações para as autoridades devido às suas obras. Acabou preso por sua intervenção na “Cow Parade” quando réplicas do touro Bandido fizeram uma “inseminação artística” nas vacas espalhadas pela cidade. “A arte não pode ser tão domesticada como a vaca” é sua explicação. 

Para Eduardo Srur, a arte pode ajudar a salvar a consciência das pessoas. “O artista torna visível tudo que é invisível aos olhos”, afirma. Ele defende que a arte rompa as barreiras de público, atingindo aqueles que não têm informação artística. Suas intervenções, comenta, sempre terminam de uma forma diferente da proposta inicial. Para Srur, “Todo ser humano pode ser um artista, ajudando outros a enxergar a realidade de forma diferente”. 

Confira os convidados dos próximos programas:
  • 24 de agosto - Cilene Saorin
  • 31 de agosto - Mauro Beting
  • 7 de setembro - Edgard Piccoli

Com meia-hora de duração, Inspira.mov Brasil apresenta os pensamentos inovadores fundamentais que nortearam as trajetórias profissional e pessoal dos músicos Antonio Nóbrega e Negra Li, dos artistas plásticos Elifas Andreato e Eduardo Srur, da filósofa Viviane Mosé, dos empreendedores sociais Eduardo Lyra e Rodrigo Baggio, da sommelière de cervejas Cilene Saorin, dos jornalistas Paulo Lima e Mauro Beting, do radialista Edgard Piccoli, do empresário da noite Facundo Guerra e da especialista em economia criativa Lala Deheinzelin. A série foi gravada no teatro Franco Zampari,  da TV Cultura, em São Paulo.  Os depoimentos são intercalados por imagens dos convidados nos locais onde desenvolvem suas atividades de criação e trabalho.

Nenhum comentário:

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.