Header Ads

Didi Wagner explora a Nova Zelândia na temporada inédita de “Lugar Incomum”


Nova temporada de "Lugar Incomum". (Imagem/Divulgação)
Com muitas viagens no currículo, Didi Wagner desembarca pela primeira vez na Nova Zelândia na temporada inédita de “Lugar Incomum”, com estreia marcada para 17 de abril, às 18h30, no Multishow. Experiências radicais não ficam de fora da temática do programa. Didi se aventura em uma caverna a 15 metros de profundidade, conhece a prática de cricket, segundo esporte mais popular local, faz o famoso bungee jumping na cidade Queenstown, entre outras atividades. A atração conta com oito episódios, produção da Chocolate, e apoio do Turismo da Nova Zelândia e da Air New Zealand.

“É a minha primeira vez na Oceania. Fiquei muito encantada com a Nova Zelândia, um país tão jovem, mas com uma consciência ecológica e uma identidade cultural tão fortes. O passeio que mais me marcou foi o bungee jumping, modalidade que foi popularizada no mundo por um neozelandês e que eu nunca tinha feito. A sensação de se jogar no vazio é muito estranha e libertadora ao mesmo tempo. Saltei duas vezes seguidas”, relembra Didi.

A cidade de Auckland é um dos cenários do primeiro episódio. A apresentadora encara uma caminhada com vista de 360 graus, no topo da Sky Tower. Ainda na estreia, a bordo de um hidroavião da década de 60, Didi chega à Waiheke Island, que foi eleita uma das ilhas mais atrativas do mundo em 2016 pelo guia Lonely Planet. “O povo neozelandês é muito simpático e acolhedor, e como o turismo é uma das mais importantes economias do país, eles recebem muito bem os visitantes. As paisagens são muito variadas e de uma beleza indescritível”, conta.

Além dos passeios, Didi destaca a culinária herdada pela cultura Maori, do povo polinésio que ocupava as ilhas antes da chegada dos ingleses. “Uma experiência gastronômica bem interessante foi provar o ‘hangi’, prato típico Maori, que consiste basicamente em legumes e raízes (antigamente embrulhadas em tecido, o que foi adaptado hoje em dia para uma embalagem de alumínio) e cozidas com pedras aquecidas no vapor dos gêiseres de Rotorua”, explica a apresentadora.

À frente do “Lugar Incomum” há 10 anos, Didi ainda almeja conhecer outros destinos através do programa, nacionais e internacionais, como Austrália, México, países escandinavos, Patagônia chilena e argentina, Chapada dos Veadeiros, Lençóis maranhenses e as cidades mineiras de Ouro Preto, Diamantina e Tiradentes. “Que bom que o mundo é tão grande e que ainda há tanto para desbravar no Lugar Incomum”, comemora Didi.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.