Header Ads

Discovery Turbo estreia temporada inédita de 'Battlebots' nesta sexta


Nova temporada de 'Battilebots - Batalhas de Robôs'. (Imagem/Divulgação)
Novos confrontos entre as máquinas mirabolantes de BATTLEBOTS - BATALHA DE ROBÔS (Battlebots) esperam o telespectador na tela do Discovery Turbo, a partir desta sexta-feira, 28 de abril, às 20h30. Na temporada inédita, uma equipe brasileira traz a sua criação, o Minotaur, para o páreo disputado por 48 times: entre eles estão os veteranos que apresentam seus robôs aprimorados, e novatos que contam com o ‘elemento surpresa’ para faturar o troféu.

BATTLEBOTS - BATALHA DE ROBÔS transforma os embates entre as máquinas em megaeventos com cargas pesadas de drama e rivalidade: os membros das equipes fazem pose, se encaram, e guardam armas secretas para o ringue onde estratégia e robótica definem quem avança no circuito. Samantha Ponder é a apresentadora; Kenny Florian e Chris Rose são comentaristas que trazem curiosidades sobre as equipes e suas máquinas.

Faruq Tauheed narra as lutas com o estilo característico dos grandes eventos esportivos; três jurados atribuem notas aos desempenhos e decidem qual dos competidores avança nas etapas – apenas um deles, despois de esmagar e destruir os demais competidores, leva o título ao final da temporada.

Cada episódio de uma hora acompanha diversas lutas entre esses robôs construídos especialmente para o torneio de equipes formadas por engenheiros, técnicos em eletrônica e amadores aficionados por robótica.  Os gladiadores podem parecer inanimados, mas quando chegam à arena revelam suas personalidades – há os agressivos, os espalhafatosos e os discretos. Durante a batalha, vale quase tudo: drones que “cospem” fogo, lanças e serras que se projetam sobre o adversário espalhando faíscas, alavancas que fazem o oponente capotar, carrocerias que se assemelham a armaduras medievais ou perfis minimalistas com caixas blindadas.

As competições atraem participantes vindos de diversas partes do mundo e desafia: qual deles fará o robô indestrutível para ficar com título de grande campeão? As equipes aparecem com pequenos tanques de guerra revestidos por aço – e até titânio – controlados remotamente pelos seus capitães. O objetivo dos embates é causar o maior dano possível no oponente. Aquele que conseguir reter o adversário em uma das armadilhas espalhadas pelo ringue e deixa-lo combalido sai vitorioso.

No primeiro episódio, acontecem quatro lutas de desempate: 12 robôs disputam as quatro vagas que restam no circuito oficial de BATTLEBOTS - BATALHA DE ROBÔS.  Na primeira luta, Son of Whyachi traz novas habilidades disfarçadas no design clássico. Aos 19 anos, Kelly Smith é uma das mais jovens entre os capitães e traz o seu Creepy Crawlies para o ringue, máquina inspirada nas características de insetos. Finalizando o trio que disputa uma das quatro vagas, está o Ultraviolent, com tecnologia formulada por um prodígio da engenharia mecânica que já desenvolveu um catamarã utilizado pela marinha americana.

O segundo episódio marca o início da disputa oficial da temporada: 48 equipes foram selecionadas entre as centenas de escritas. Na quarta luta da noite, os brasileiros da RioBotz, liderada por Marco Meggiolaro, trazem o seu Minotaur, um robô capaz de “chutar” os adversários para longe e que já derrotou oponentes de peso em competições anteriores.

O Minotaur é resultado de um extenso trabalho de pesquisa sobre a resistência dos diferentes materiais – construir a máquina indestrutível que, ao mesmo tempo, é capaz de destroçar as armaduras dos adversários é o objetivo de Marco e sua equipe.  A Rio Botz já coleciona mais de 50 títulos desde que começou a competir, em 2003, e quer trazer mais um para essas terras: o troféu de BATTLEBOTS - BATALHA DE ROBÔS.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.