Header Ads

Em ‘As Canções da Minha Vida’, Marcelo Jeneci surpreende ao citar pagode como referência


Marcelo Jeneci mostra suas referências em 'As Canções da Minha Vida'. (Imagem/Divulgação)
Em “As Canções da Minha Vida”, na Segunda da Música, 17, às 23h30, no canal Curta!, o cantor e compositor de MPB Marcelo Jeneci surpreendeu ao mostrar a diversidade de suas referências musicais. Ele revelou como o pagode "“Recado a minha amada (Lua Vai)”, do grupo Katinguelê, marcou sua adolescência: “O pagode estava bombando nessa época. E desde então eu tenho uma enorme admiração por essa canção. Eu acho que ela foi a canção que eu mais cantarolei durante a vida. Eu acho ela maravilhosa” – conta em depoimento inédito e exclusivo para o diretor Bruno Levinson. No episódio, Jeneci interpreta sua versão de "Lua Vai" e de outros sucessos de diferentes gêneros da música nacional, como "Não tenho Medo da Morte", de Gilberto Gil, e "Feito Para Acabar", de sua autoria. O músico ainda conta fatos curiosos sobre sua trajetória e referências musicais.

Com 13 episódios, a série “As Canções da Minha Vida” traça um panorama sobre as canções que marcaram e influenciaram o repertório de importantes nomes da música brasileira. Produzida pela Raccord Produções, com direção e roteiro de Bruno Levinson, o programa é financiado pelo Fundo Setorial do Audiovisual.

A trajetória plural do ator e diretor Sérgio Britto, um dos principais nomes do teatro e das artes no Brasil, é destaque na Terça das Artes, às 21h30. O Curta! apresenta “Sérgio Britto – Mestre dos Palcos”. Dirigido por Vicente Tigre, o documentário revela o artista, desde os bastidores das companhias de teatro até suas experiências na literatura e na ópera. Dentre tantos trabalhos, em uma vida dedicada às artes, destaca-se o "Grande Teatro Tupi", programa que idealizou e para o qual fez mais de 450 adaptações de peças teatrais. A produção trazia no elenco atores que se tornaram referência em artes no país, como Fernanda Montenegro e Ítalo Rossi. Sérgio Brito faleceu em 2011, deixando um grande legado para a arte nacional.

Ainda na Terça das Artes, às 23h30, o episódio inédito de “Estados da Arte” discute o papel da memória na formação da subjetividade e o mergulho no inconsciente. O diretor Eduardo Goldenstein apresenta a obra da artista Ana Miguel, que aborda a infância e a lembrança. No mesmo capítulo, a artista Rosângela Rennó mostra suas coleções de arquivos. Já o artista Jonathas de Andrade explora a memória etnográfica. A série sobre arte contemporânea traz também a discussão proposta por Marilá Dardot sobre a linha tênue da memória que se apaga e se constrói a partir do universo literário. Produzida pela Aion Cinematográfica, “Estados da Arte” investiga, ao longo de 12 episódios, a motivação, os pensamentos e as obras de artistas contemporâneos dos mais variados estilos. A série é financiada pelo Fundo Setorial do Audiovisual (PRODAV 02/2013).

A faixa “A Vida é Curta”, da Quarta de Cinema, dia 19, traz um clima de suspense. O primeiro filme, “O Hóspede”, dirigido por Anacã Agra e Ramon Porto Mota, mostra um incidente misterioso em uma pousada no interior da Paraíba envolvendo um estranho hóspede. O fato deixa o proprietário inquieto e obcecado em descobrir quem é aquele homem e o que ele está fazendo ali. Na sequência, “Cova Aberta”, curta de Ian Abé. Na história, Roberta viaja pela BR230 até encontrar uma criatura mais atormentada que ela. A fim de enganar a própria dor, Roberta oferece socorro para a garota. Isso fará com que experimente um sentimento diferente: o medo da morte. Encerrando a faixa “Lojas de Répteis”, produção com os personagens Aluísio, que ama a loja e seus animais, e Cristina, que não vê a hora de vender o lugar. A direção é do cineasta pernambucano Pedro Severien.

Ainda na Quarta de Cinema, às 23h30, a série “Luz & Sombra – Fotógrafos do Cinema Brasileiro” apresenta o depoimento do diretor Lula Carvalho. Filho de Walter Carvalho e sobrinho de Vladimir Carvalho, Lula começou a carreira na retomada do cinema brasileiro e se destacou como diretor de fotografia de filmes nacionais premiados em festivais, como “Tropa de Elite” 1 e 2, e também internacionais, como “Robocop” (2014) e “Tartarugas Ninja” (2014). O cineasta ganhou o Kikito de ouro por melhor fotografia no Festival de Gramado 2008, com o filme A Festa da Menina Morta, dirigido por Matheus Nachtergaele. 

O terceiro episódio da série documental “Mark Twain” será exibido na Quinta do Pensamento, às 22h30. O documentário é produzido e dirigido por Ken Burns e conta a vida pública e privada do autor Samuel Langhome Clemens, conhecido internacionalmente pelo pseudônimo Mark Twain, um dos escritores mais célebres dos Estados Unidos.

No episódio inédito da série exclusiva do Curta!, “Mish Mash – A presença judaica no Brasil”, na Sexta da Sociedade, 21, às 23h30, estão dois arquitetos de origem judaica que ajudam a transformar cidades brasileiras. Ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná, Jaime Lerner é referência mundial em planejamento urbano. Pioneira na arquitetura da paisagem no Brasil, Rosa Kliass assina projetos de diversos cartões postais do país, como a reforma do Vale do Anhangabaú e o Parque da Juventude, em São Paulo, e o Mangal das Garças, em Belém. Produzida pela Pacto Audiovisual, com direção de Tatiana Toffoli, Liana Schnaider e Pedro Gorski, “Mish Mash – A presença judaica no Brasil” é financiada pelo Fundo Setorial do Audiovisual.



Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.