Header Ads

Afiliadas do grupo Simba podem atrapalhar a estratégia de negociação com as operadoras de TV paga


Afiliadas podem atrapalhar o andamento das negociações. (Imagem/Divulgação)
Com a aproximação do desligamento da TV analógica em Goiânia e 28 cidades de seu entorno no próximo dia 31, uma nova variável deverá entrar na equação das negociações entre a Simba (joint venture entre SBT, Rede TV e Record) e as operadoras de TV paga para carregamento dos sinais das emissoras abertas: o peso das afiliadas locais. Até agora, nos dois desligamentos de sinais analógicos ocorridos, na região metropolitana de Brasília e São Paulo, apenas a Rede TV, na Capital Federal, operava por meio de afiliada. As demais emissoras eram próprias das três redes que compõem a Simba. Como não havia nenhuma informação sobre as consequências do corte dos sinais analógicos das emissoras, a afiliada da Rede TV em Brasília acatou a decisão de ter seu sinal tirado das operadoras.

O site telaviva apurou, contudo, que a coisa deve ser diferente em Goiânia, onde o SBT tem uma afiliada importante, a TV Serra Dourada, que atua em quase todo o estado de Goiás. As primeiras sinalizações são de que a emissora não pedirá às operadoras de TV paga para que o seu sinal seja suspenso. As notícias de queda de audiência após a suspensão dos sinais no cabo e no DTH também não ajudam a afiliada a concordar com a estratégia da Simba de suspender o sinal primeiro e negociar depois. A Lei do SeAC dá à geradora local a prerrogativa de dizer se o seu sinal pode ou não ser transmitido pelas empresas de TV paga, e por isso a palavra final é da afiliada, salvo em casos em que o contrato de afiliação prever algum outro tipo de ingerência da cabeça de rede. Mas estes contratos de afiliação normalmente são sigilosos e variam de caso a caso. No caso da TV Serra Dourada, o SBT dificilmente iria contra um pedido de seu parceiro local.

A questão das afiliadas tende a ganhar ainda mais peso quando o processo de desligamento for iniciado nas capitais do Nordeste e Sul do País, onde as emissoras da Simba não têm geradoras próprias.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.