Header Ads

Discovery Turbo estreia a produção local "Classicomaníaco", com Paulo Loco


Discovery Turbo estreia a produção local "Classicomaníaco", com Paulo Loco. (Imagem/Divulgação)
Paulo Figueiredo, conhecido como Paulo ‘Loco’, é um sujeito excêntrico que escolheu colocar a emoção das pistas no seu dia-a-dia. Ex-piloto de Stock Car, ele negocia carros clássicos e trabalha como curador de uma das maiores coleções de carros clássicos do mundo. Engana-se quem pensa que a tranquilidade é regra nos galpões onde ele guarda com esmero a coleção composta por mais de 500 veículos. O acervo tem vida e, assim como o dono, ritmo acelerado.

A partir desta terça-feira, 13 de junho, às 21h15, o Discovery Turbo leva o telespectador a incursões pelo universo do “antigomobilismo” e mostra o trabalho apaixonado de Paulo, que alcançou o sucesso internacional ao conciliar rigor técnico e irreverência, com a estreia de CLASSICOMANÍACO, sua nova produção local.

Coprodução entre Discovery Turbo e Urca Filmes, a série conta com oito episódios de meia hora. Os episódios vão ao ar em ‘duplas’, com dois inéditos na estreia e, a partir da semana seguinte, um episódio inédito seguido de uma reexibição do episódio da semana anterior, totalizando uma hora de exibição. Em cada um deles, o galpão que Paulo mantém na região central de São Paulo é o ponto de partida – ali, o ritmo é frenético e as funções mobilizam uma equipe que conserta, restaura e compra e vende sem parar.

O negócio depende de uma rede de contatos que Paulo articula – as amizades de longa data são também clientes em potencial e cada encontro entre os aficionados por carros clássicos pode trazer oportunidades para ele, que aprendeu a utilizar todo o carisma e o dom natural de contar histórias a favor das vendas.

O cliente quer um genuíno F1? O Paulo tem. A intenção é dar uma voltinha “com emoção”? O Paulo ajuda. Uma preciosidade requer atenção de um especialista em mecânica? O time de Paulo conserta. A antiguidade parou de funcionar no meio da rua? O Paulo empurra. O colecionador está em busca de um Cadillac, Rolls-Royce ou Packard? O Paulo tem. Assim, com versatilidade, acervo e nenhuma restrição na hora de ajudar, o empresário paulistano colocou o Brasil na rota internacional dos modelos clássicos e conseguiu montar uma equipe de profissionais tão “classicomaníacos” quanto ele próprio:

PAULO – curador / entusiasta

Paulo não é chamado de louco por acaso, afinal leva a vida a mil por hora. Filho de um piloto de testes, cresceu frequentando autódromos e corridas. Desde a adolescência, correu em diversas categorias automobilísticas e ainda hoje encara desafios no mundo da velocidade. Falante, bem-humorado e maníaco por tudo relacionado a motor, Paulo é uma enciclopédia viva. Domina cada detalhe das máquinas que administra, além de conhecer como ninguém suas histórias e curiosidades.

JUNIOR – mecânico / aprendiz

Metódico, atencioso, detalhista: essas poucas palavras definem o jovem mecânico, que se esforça todos os dias para manter as joias da coleção em bom estado e, de vez em quando, trazê-las de volta à vida. Por outro lado, a sina de Junior é ajudar a concretizar as loucuras mecânicas de Paulo, que não são poucas…

PEDRO – mecânico / faz-tudo

Pedro é colega de trabalho de Junior. “Pau para toda obra” e capaz de resolver problemas cabeludos e é tido por sua equipe como uma espécie de super-herói. “Problema, você não toma um Melhoral; você chama o Pedro que ele resolve”, diz Paulo Loco sobre seu fiel escudeiro.

ROGÉRIO – esteticista automotivo / confidente

Rogério é o cara quando é preciso deixar um carro ainda mais lindo. Ele é especialista em detalhamento automotivo e faz o trabalho de reativação estética da coleção: trazer carros raríssimos e delicados à vibrante forma original. Paulo adora Rogério e entre eles o desabafo sobre problemas pessoais e profissionais é bem frequente. Rogério é mais que um colega de Paulo, mas também alguém que coloca os pés do chefe no chão.

No episódio de estreia, Paulo apresenta seu arquivo com mais de 500 máquinas que um dia serão o acervo de um museu. Ali os carros hibernam – tanques de gasolina, óleo e fluídos são preenchidos com vaselina e silicone até que as belezuras sejam requisitadas para rodarem novamente. Todos os carros estão prontos para serem reativados a qualquer hora.

Um colecionador americano que negocia há 15 anos com Paulo chega de surpresa ao Brasil em busca de exemplares raros da Mercedes, os modelos Gullwing SLS AMG e Gullwing 300SL – este segundo foi produzido na década de 1950. Paulo logo aciona sua rede de contatos em busca das preciosidades.  Em seguida, no mesmo episódio, o galpão recebe a visita ilustre de Wilson Fittipaldi Junior – Paulo prepara uma surpresa para o amigo: um Brabhan 1972 que Wilson pilotou décadas atrás. Finalizando o episódio, Paulo vai a um encontro de veículos militares a bordo de um tanque de guerra de 1948.

Ainda na estreia, no segundo episódio, Paulo reativa o primeiro carro comprado por ele: um premiado Highboy de 1930 que o ajudará a contar a história de sua coleção para o amigo Otávio Mesquita. De repente, um outro amigo pede socorro: um HRG 1948 parou de funcionar no meio de uma via movimentada, em um sábado ensolarado. Paulo arregaça as mangas e faz o carro pegar no tranco – e aproveita para tentar negociar um modelo da coleção particular do amigo socorrido. Finalizando a noite de estreia, Paulo participa de um evento chamado “Carretada da Solidariedade” que tem como objetivo arrecadar agasalhos.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.