Header Ads

Canal Brasil - Destaques de filmes de 28 de agosto a 03 de setembro


Destaques da filmes Canal Brasil. (Imagem/Divulgação)
Confira os filmes em destaques no Canal Brasil de 28 de agosto a 03 de setembro.

SEGUNDA-FEIRA, 28 DE AGOSTO

“É TUDO VERDADE”: JOVEM AOS 50 — A HISTÓRIA DE MEIO SÉCULO DA JOVEM GUARDA (2016) (120’)
- Horário: 22h
- Classificação: 12 anos
- Inédito e exclusivo
- Direção: Sérgio Baldassarini Júnior

Sinopse: O documentário parte de uma extensa pesquisa de discos, filmes e imagens de arquivos da televisão brasileira para contar como foi o início do chamado “iê-iê-iê” – expressão em português retirada do “yeah-yeah-yeah” de She Loves You, um dos primeiros sucessos de The Beatles, conjunto seminal para o rock no mundo e, consequentemente, para a Jovem Guarda. A narração do diretor guia o espectador pelos detalhes da história antes do surgimento do programa comandado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa, lembrando trabalhos de bandas como Golden Boys, The Clevers, The Fevers e Renato e Seus Blue Caps, entre outras. Como os lançamentos internacionais demoravam a chegar ao Brasil à época, artistas nacionais se consagraram produzindo versões em português de clássicos americanos e europeus.

A produção reúne depoimentos de mais de 50 cantores e compositores brasileiros que fizeram sucesso na época. Erasmo fala sobre a inspiração para suas principais canções, e Wanderléa comenta a empolgação de participar de um movimento tão novo. Os integrantes da banda The Jordans resgatam uma fita antiga de um memorável encontro com os famosos rapazes de Liverpool, e Caetano lembra a passeata contra a guitarra elétrica comandada por Elis Regina e Gilberto Gil – apesar do baiano ter usado o instrumento para se apresentar ao lado de Rita Lee e Arnaldo Baptista, membros de Os Mutantes. Há ainda o resgate da figura polêmica de Carlos Imperial, e a rivalidade criada entre Ronnie Von e Roberto Carlos, concorrentes em emissoras de televisão distintas. Tudo reunido em uma obra indispensável para os amantes do rock nacional.

TERÇA-FEIRA, 29 DE AGOSTO

“POR TRÁS DO CÉU” (2017) (111’)
- Horário: Terça, 22h
- Classificação: 16 anos
- Inédito e exclusivo
- Direção: Caio Sóh

Sinopse: Protagonizada por Nathalia Dill e Emilio Orciollo Netto, a coprodução do Canal Brasil saiu da 20ª edição do Cine PE com o Calunga de melhor filme pelo júri popular, roteiro, direção de arte, ator coadjuvante (Renato Góes) e atriz coadjuvante (Paula Burlamaqui).

A aridez do sertão de Cabaceiras, no interior da Paraíba, não é capaz de impedir a semente das fantasias de Aparecida (Nathalia Dill) de germinarem. A bela e inocente jovem vive reclusa em uma casa pobre, erguida em cima de uma rocha gigante, isolada do resto da população do vilarejo mais próximo. Na miséria do agreste nordestino, ela não possui qualquer conexão com o mundo exterior e seu contato humano se resume ao marido, Edivaldo (Emilio Orciollo Netto), um homem amargurado por traumas do passado. Presa nessa pedra erma, ela nutre a fantasia de viajar ao espaço e entender o que há por trás do céu, como sugere o título do filme, além das estrelas e nuvens. Seus devaneios são alimentados por pequenas peças por ela construídas, como um descascador de sonhos para eliminar pensamentos ruins ou um foguete feito de sucata.

QUARTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO

“A FLORESTA DE JONATHAS” (2012) (90’) 
- Horário: 22h
- Classificação: 12 anos
- Direção: Sérgio Andrade

Sinopse:  Jonathas (Begê Muniz) vive com seus pais e o irmão mais velho na zona rural da Amazônia. A família se mantém através da venda de frutas na estrada e está sempre em contato com viajantes que visitam o local. Enquanto o caçula é deslocado e quieto, Juliano (Ítalo Castro) vive para farrear e sair com turistas. Depois de conhecer o indígena Kedassere (Alex Lima) e a ucraniana Milly (Viktoryia Vinyarska) em suas andanças, Juliano convida o irmão para um acampamento na selva. Animado com o passeio, o grupo logo se enturma e o interesse entre Jonathas e Milly fica evidente.  Encantado com a jovem estrangeira, o garoto sai em busca de uma fruta rara da região para impressionar a amada, mas acaba perdido na imensidão da floresta. 

Sempre misteriosa, a Amazônia protagoniza uma jornada de descobertas além da abordagem costumeira. Ao mergulhar nas profundezas da floresta, a exuberância cede lugar ao medo e incerteza da sobrevivência. Composto por uma equipe local em sua grande maioria, o filme representa um importante passo na descentralização cultural do cinema brasileiro, além de destacar a pouco conhecida obra cinematográfica amazonense. A liberdade narrativa e o interesse no cotidiano do homem do Norte, tão pouco explorado nas produções nacionais, também são diferenciais da película, que circula entre o real e o fantástico em velocidade surpreendente.

QUINTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO

“TRAIÇÃO” (1998’) (104’)
- Horário: Quinta, 22h
- Classificação: 18 anos
- Direção: José Henrique Fonseca (Cachorro!), Arthur Fontes (O Primeiro Pecado), Cláudio Torres (Diabólica)

Sinopse: “O Primeiro Pecado” acontece nos anos 50. Um rapaz tímido conhece uma mulher casada e tem o primeiro caso amoroso de sua vida.

“Diabólica” mostra o Rio dos anos 70 como cenário para um triângulo amoroso. Dagmar e Geraldo estão de casamento marcado, mas a doce Alice, irmã da noiva, decide seduzir o futuro cunhado.
“Cachorro!” apresenta outro triângulo, mas desta vez nos anos 90 e a partir de um clássico flagrante: o marido pega a mulher com seu melhor amigo em um motel de quinta categoria.

SEXTA-FEIRA, 01 DE SETEMBRO

CINEMÃO: “CARANDIRU” (2003) (97’)
Horário: Sexta, 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Hector Babenco

Sinopse: Carandiru, história baseada em fatos reais e no livro escrito pelo médico Drauzio Varella (Luiz Carlos Vasconcelos), começa quando ele resolve fazer um trabalho de prevenção à AIDS no maior presídio da América Latina: a Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru, vítima de um dos dias mais negros da história do Brasil, quando a Polícia Militar do Estado de São Paulo, a pretexto de manter a lei e a ordem, fuzilou 111 pessoas. Ali, o médico toma contato com o que, aqui fora, temos até medo de imaginar: violência, superlotação, instalações precárias, falta de assistência médica e jurídica, falta de tudo. O Carandiru, com seus mais de sete mil detentos, merece sua fama de inferno na terra. Porém, nosso personagem logo percebe que, mesmo vivendo numa situação limite, os internos não representam figuras demoníacas. Ao contrário, ele testemunha solidariedade, organização e, acima de tudo, uma grande disposição de viver. Não é pouco e é o suficiente para que ele, fascinado, resolva iniciar um trabalho voluntário. Oncologista famoso, habituado a mais sofisticada tecnologia médica, Dráuzio Varella pratica a medicina como os antigos: com estetoscópio, olhar sensível e muita conversa.

SÁBADO, 02 DE SETEMBRO

“A HISTÓRIA DA ETERNIDADE” (2015) (120’)
- Horário: Sábado, 22h
- Classificação: 16 anos
- Direção: Camilo Cavalcante

- Sinopse: Alfonsina (Débora Ingrid) tem 15 anos e sonha conhecer o mar. Querência (Marcélia Cartaxo) está na faixa dos 40. Das Dores (Zezita Matos) já no fim da vida, recebe o neto após um passado turbulento. No sertão compartilham sobrenome e muitos sentimentos. Amam e desejam ardentemente.

DOMINGO, 03 DE SETEMBRO

“CONE SUL”: “VIDA SEXUAL DE LAS PLANTAS” (2015) (95’)
- Horário: Domingo, 22h
- Classificação: 16 anos
- Inédito e exclusivo
- Direção: Sebastián Brahm

Sinopse:  Bárbara (Francisca Lewin) e Guille (Mario Horton) formam um casal perfeito. A paisagista e o advogado vivem um relacionamento amoroso e ela sonha em engravidar do namorado – ideia sempre postergada por ele, ainda um tanto reticente com relação aos planos paternais. Uma breve escapada para as margens da Cordilheira dos Andes prometia ser uma viagem prazerosa, mas ganha contornos desastrosos depois de um imprevisto. O rapaz sobe em uma rocha para buscar uma flor desejada pela companheira, mas acaba por se desequilibrar e bate a cabeça ao rolar pedra abaixo. O acidente lhe causa uma confusão momentânea e algumas escoriações, mas não sugere, inicialmente, algum trauma maior. A queda, no entanto, deixa uma sequela eterna no jovem e ele começa a sofrer constantes mudanças de personalidade.

O roteiro – também de autoria do cineasta – não disseca os detalhes sobre a nova condição de saúde do homem e faz uso de um lapso temporal para mostrar como o casal se adaptou à nova realidade. O foco e o interesse da direção estão voltados quase inteiramente para as reações da paisagista e em suas tentativas de lidar com esse novo companheiro. A moça não sente mais qualquer atração pelo rapaz, mas ainda guarda o carinho pelo passado. Em questão de segundos, ele sofre alterações de humor e tem dificuldade para recordar lembranças cotidianas. A relação estremecida e a falta de afeto abrem espaço para a chegada de Nils (Cristián Jimenez), um engenheiro e empreiteiro que lhe oferece carícias desaparecidas desde o acidente, mas tampouco preenche a lacuna da paixão antiga. Barbara vai, então, conviver com a dualidade de um relacionamento doente, assim como o namorado, ou algo saudável, mas sem brilho.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.