Header Ads

Canal VIVA - Destaques da programação de 23 a 29 de outubro


Destaques da programação Canal Viva. (Imagem/Divulgação)
Conheça os destaques da programação do Canal Viva de 23 a 29 de outubro.

ESCOLINHA DO PROFESSOR RAIMUNDO
segunda-feira, dia 23 de outubro, às 22h45

O programa desta segunda tem um sabor especial, com a participação de Chico Anysio da sala de aula. Os alunos são surpreendidos com a chegada do humorista, que vai fazer uma visitinha ao Professor, mas Raimundo não estava presente, claro. Batista (Elieser Mota) diz que gosta muito dele e pede um autógrafo. Dona Catifunda (Zilda Cardoso) não perde a oportunidade e pede que ele faça um monólogo para ela. “Eu sou fã de vocês todos”, diz Chico Anysio e resolve ficar mais um pouquinho com a turma. Ele vai andando entre os alunos e faz piadas e brincadeiras com todos.

SAI DE BAIXO
terça-feira, dia 24 de outubro, às 21h15

Vavá (Luis Gustavo) fica todo emocionado ao encontrar seu livro de ex-namoradas. Ao folhear o álbum, relembra todas as histórias e ‘pés na bunda’ que levou. Afinal, sempre foi trocado por outras pessoas em seus relacionamentos. Quando Sirene (Claudia Rodrigues) joga fora, sem querer, a relíquia do patrão, Caco (Miguel Falabella) planeja um jeito de se dar bem e descola uma pretendente para Vavá, que nem imagina que seja tudo uma armação. Quando a verdade vem à tona, Vavá fica inconformado e viaja com Athaide (Luiz Carlos Tourinho) para conhecer a família circense do rapaz.

Em seu retorno, o Largo do Arouche vira um picadeiro no episódio “Hoje tem namorada? Tem sim senhor”. Depois de ficar dez anos solteiro, Vavá, finalmente, encontra uma mulher que lhe agrade: Craudete, irmã de Athaide, ambos os papeis interpretados por Luiz Carlos Tourinho. A moça é uma contorcionista e vai botar ordem no apartamento. Para começar, coloca Caco (Miguel Falabella) para correr. Sobra para Magda (Marisa Orth) e Cassandra (Aracy Balabanian) que, agora, recebem ordens da nova dona da casa.

ESTADOS ANYSIOS DE CHICO CITY
quinta-feira, dia 26 de outubro, às 21h15

A convidada de Alberto Roberto é a atriz Eva Todor, que foi chamada para gravar uma cena romântica com ele. Mas, claro, Alberto faz a maior desfeita com Eva e ela vai embora furiosa. Justo Veríssimo, o deputado mais corrupto, não se abala com os problemas de Chico City e diz que só pobre vai para o xilindró: “Eu quero que pobre se exploda”. O programa também tem a participação de Tavares e Biscoito, Jovem e sua namorada, a mulher gorila e Profeta, que encerra falando sobre a felicidade.

TOMA LÁ DÁ CÁ
sexta-feira, dia 27 de outubro, às 21h15

Rita (Marisa Orth) e Arnaldo (Diogo Vilela) mal acordam após viverem o mesmo sonho – que envolve uma fantasia com os vizinhos do 302, Denise (Larissa Bracher) e Marcelo (Carlos Casagrande) – e o edifício Jambalaya já começa a entrar em ebulição. Dona Álvara (Stella Miranda) invade a casa de Celinha (Adriana Esteves) dizendo que a moradora do 601, Deise Coturno (Norma Bengell), prestou queixa contra Mário Jorge (Miguel Falabella). O fato é que, numa disputa por vaga no prédio, ele chamou a mulher de “sapatão furiosa”.

Não é à toa que o nome do episódio é “Falando Grosso”. Isadora (Fernanda Souza) também se revolta e vai logo tirar satisfações com o pai, temendo perder o apoio político de Deise por causa do ato de preconceito. Copélia (Arlete Salles) também fica indignada, se declara pansexual e exige respeito. Já Adônis (Daniel Torres) e Tatalo (George Sauma) tentam dar seus pitacos na confusão.

A VIDA COMO ELA É
sexta-feira, dia 27 de outubro, às 23h

Vadeco (Guilherme Fontes) era o típico bom vivant. Não trabalha e todos os dias enchia a cara. O pai já não sabia mais o que fazer. Depois de ter arrumado confusão numa boate, o rapaz foi obrigado a assumir o cargo de gerente em uma  das empresas da família. Logo contratou o amigo Aristides (Marcos Palmeira) e os dois gastavam o dia jogando conversa fora e paquerando a telefonista. Arlete (Claudia Abreu) era uma moça série e estava noiva. Mas Vadeco não desistia enquanto não a conquistasse. Foi então que um dia, depois de já ter bebido, fez uma proposta indecente: cem mil cruzeiros por uma hora apenas em sua companhia. No dia seguinte, Arlete foi ao seu encontro, rasgou o cheque, deu tapas na cara de Vadeco e entregou-se ao novo patrão.

No episódio “O Pediatra”, Menezes (Marcos Palmeira) contou aos amigos que estava apaixonado por Ieda (Giulia Gam), mulher séria, a mais séria de todas, casada com um pediatra e que nunca havia traído o marido. Falavam-se todos os dias por horas ao telefone. Até que marcaram um encontro. O amigo de Menezes emprestou o apartamento e ele arrumou tudo para o momento mais esperado de sua vida. Quando chegou, um pouco atrasada, Ieda foi logo tirando a roupa e dizendo que tinha pouco tempo, pois o marido estava lá embaixo esperando. Menezes ficou desesperado. Como assim? Ela disse que o marido sabia de tudo e que o preço era dois mil cruzeiros. Menezes não conseguiu fazer nada, apenas chorou. Ele só gostava de mulher séria.

ARMAÇÃO ILIMITADA
sábado, dia 28 de outubro, às 17h15

“Uma Dupla do Peru” é o nome do episódio que traz Hermínio (Evandro Mesquita) e Deodoro (Luís Fernando Guimarães) como os grandes concorrentes de Juba e Lula. Os dois surgem de repente na Armação e roubam a agenda dos rapazes, além de se envolverem com Zelda. Juba e Lula percebem que algo estranho está acontecendo e descobrem que a dupla peruana criou a “Armassão SA” e está pegando todos os trabalhos que eles deveriam fazer. Com a ajuda de Bacana, conseguem forjar uma competição e mandam os rivais para Beirute.

GLOBO DE OURO
sábado, dia 28 de outubro, às 22h30

O convidado especial da edição é Léo Jaime, que se apresenta com um pot- pourri de seus grandes sucessos da época. Na sequência, Isabela Garcia e César Filho anunciam Alcione, que canta “Ou Ela, Ou Eu” e a banda Ego Trip com “Viagem ao Fundo do Ego”. Nico Rezende entra no palco para cantar “Penso Nisso Amanhã”. Mais uma vez no programa com o hit do momento, Dominó e “Com Todos Menos Comigo”. O Globo de Ouro traz, ainda, Engenheiros do Havaí, Banda Reflexus e Lulu Santos.

OS ANOS 80 ESTÃO DE VOLTA
domingo, dia 29 de outubro, às 18h

A série “Os Anos 80 Estão de Volta” aborda neste domingo a invasão do universo infantil na televisão brasileira. A edição conta com depoimentos de Afonso Nigro, Byafra, Evandro Mesquita, Guilherme Arantes, Guto Graça Mello, Juninho Bill, Leo Jaime, Michael Sullivan, Paulo Aragão, Orival Pessini, Sylvinho Blau Blau, entre outros nomes.

A música criada para crianças e adolescentes foi bastante forte na década de 1980 e a ela se dedicaram desde grandes nomes da MPB até artistas mirins. O programa recorda especiais realizados por Augusto Cesar Vannucci para a Globo como “Pirlimpimpim”. Em paralelo, A Turma do Balão Mágico e o Trem da Alegria tornaram-se verdadeiros ícones das crianças. Juninho Bill, um dos integrantes do Trem da Alegria, conversou com o programa e relembrou momentos da época.

Na esteira do sucesso dos Menudos, apareceram as boy bands Polegar e Dominó. “A minha amizade com os meninos do Dominó vinha de bem antes. Eu, Marcos [Quintela] e o Marcelo [Rodrigues] éramos concorrentes em publicidade, já tínhamos começado nossa carreira com 8, 9 anos de idade. Quando teve o teste para o Dominó, conhecemos o Nill. Foi muito bacana, foi uma junção de profissionais de muita capacidade. Por isso, aquele sucesso estrondoso. Lembro que, em uma semana, já ganhamos o disco de ouro, e não conseguíamos sair na rua. Nem nós entendíamos o que estava acontecendo. Tínhamos 13 e 14 anos, imagina! Aí foi muito importante ter pessoas na equipe que nos orientavam mesmo, pq para você se perder no meio do caminho é muito fácil: você tem grana, está cada vez em uma cidade, em um país”, explica Afonso Nigro.

Xuxa, Angélica e Mara Maravilha são outros destaques da invasão infantil na TV. Guto Graça Mello recorda o começo do fenômeno Xuxa: “Ninguém acreditava que o disco de estreia fosse vender. Nos primeiros dez dias, bateu 100 mil. Mais dez, quinta dias… 250 mil. Aí foi disco de Ouro, Platina, Duplo Platina, Quádruplo Platina, Oito Platinas. E não parava de vender! Foi a primeira vez no mundo de um disco de Diamante, não havia até então. Para o primeiro álbum, era uma luta de arrumar repertório. No segundo, não houve um artista brasileiro que não quisesse mandar música pra ela!”.

Durante o programa, Sylvinho Blau Blau também dá seu depoimento sobre essa fase musical do Brasl. “É impressionante como essa geração 80 é rica em vários aspectos. Essa questão infantojuvenil é emblemática. Foi o Brasil inteiro, de uma única vez, se encantando com a quantidade e qualidade das músicas. Tínhamos músicas infantis de extrema qualidade. Os artistas criavam para as crianças. Existia uma preocupação para que elas participassem também da vida cultural do Brasil, coisa que não acontece mais hoje em dia“, comenta o músico.

Paulo Aragão ainda recorda o sucesso dos filmes de Os Trapalhões: “Caso não tivesse filme deles em julho e dezembro, era como se não tivesse férias.”. Intérprete do Fofão, Orival Pessini também fala sobre a criação do personagem que caiu nas graças do público. “Pensei que o ET (filme) era um bicho feio, asqueroso, mas fazia um baita sucesso. Tive a ideia de criar um ET, misturando tudo. Se vocês perceberem, o Fofão é um pouco de porquinho, urso, cachorro. O palhaço, que não deixa de ser… É um ser humano e um ET.”.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.