Header Ads

Nelson Pereira dos Santos, cineasta e acadêmico, é destaque em “Imortais da Academia” do Canal Curta!


Nelson Pereira dos Santos, cineasta e acadêmico, é destaque em “Imortais da Academia”. (Imagem/Divulgação)
A interseção entre o cinema e a literatura é o ponto de partida do episódio inédito da série exclusiva “Imortais da Academia”, na Quinta do Pensamento, 2 de novembro, às 23h30. O programa fala sobre a cadeira de número 7 da Academia Brasileira de Letras e apresenta o diálogo entre as expressões artísticas a partir da trajetória de Nelson Pereira dos Santos, o primeiro cineasta a ser eleito para a ABL. Diretor de aclamados longas-metragens, como "Rio 40 Graus" e "Vidas Secas", Nelson Pereira dos Santos é um dos mais importantes nomes do cinema nacional e é o atual ocupante da cadeira de número 7. O episódio de “Imortais da Academia” aborda também os antecessores de Nelson em sua poltrona na Academia: Castro Alves, o famoso poeta dos escravos, Euclides da Cunha e seu emblemático "Os Sertões", e Dinah Silveira de Queiroz, grande escritora que muito batalhou pela entrada de mulheres na ABL. “Imortais da Academia” foi produzida pela Giros com exclusividade para o Curta! e tem direção de Belisario Franca.  

A trajetória do jurista Heráclito Sobral Pinto, que ganhou visibilidade ao defender a democracia durante a ditadura militar, é destaque na Sexta da Sociedade, 3 de novembro, às 22h30. Na semana em que Sobral faria aniversário, estreia no Curta! o documentário “Sobral – O homem que não tinha preço”. O longa-metragem é dirigido pela neta do jurista, a cineasta Paula Fiuza, e traz uma série de depoimentos de advogados e historiadores, além de imagens de arquivo que revelam o advogado e ressaltam a importância de seu trabalho na defesa da justiça e dos direitos humanos. Um dos depoimentos do filme é de Anita Leocádia Prestes, filha dos militantes comunistas Luiz Carlos Prestes e Olga Benário. Ela conta que a relação com Sobral Pinto era como a de pai e filha “Ele dizia que era o meu segundo pai, porque ele contribuiu decisivamente para me salvar das garras do nazismo”.

Na Quarta de Cinema, 1º de novembro, véspera do Dia de Finados, a faixa “A Vida é Curta” apresenta uma seleção de filmes sobre ausência e saudade. Às 20h, “Barqueiro”, de José Menezes e Lucas Justiniano, abre a sessão especial. Na história, Sérgio é motorista do Serviço Funerário Municipal de São Paulo há mais de 20 anos e se especializou em serviços que outros motoristas têm dificuldade em realizar: a remoção de crianças. Em uma noite de inverno em particular, Sérgio espera por sua primeira chamada. Na sequência, é a vez de “Ovos de Dinossauro na Sala de Estar”, de Rafael Urban. Em cena, a história da alemã Ragnhild Borgomanero, de 77 anos, que estudou fotografia digital e fez cursos de edição de imagens para manter viva a memória do falecido marido, Guido, com quem reuniu a maior coleção particular de fósseis da América Latina. Encerrando a faixa, o curta “A Cidade”, de Liliana Sulzbach. O documentário mostra a cidade de Itapuã, no Rio Grande do Sul, que já abrigou quase 1.500 pessoas durante mais de 70 anos de existência, mas que conta hoje com apenas 35 moradores, todos acima de 60 anos e com hábitos bem característicos.

Ainda na Quarta de Cinema, às 23h30, o episódio inédito da série “Luz & Sombra - Fotógrafos do Cinema Brasileiro” revela a trajetória de um profissional de olhar apurado e talento duplo: o fotógrafo e diretor de arte, Adrian Cooper. Inglês radicado no Brasil, Cooper se formou em artes plásticas antes de iniciar a carreira no audiovisual. No episódio, ele fala de seu trabalho como diretor em “Chapeleiros” (1983), e como diretor de arte e fotógrafo, em filmes como: “A Batalha do Chile” (1978), de Patrício Guzmán, “Marvada Carne” (1985), de André Klotzel, “Sonho sem fim” (1986), de Lauro Escorel, “ABC da Greve” (1979), de Leon Hirszman, “O Fio da Memória” (1991), de Eduardo Coutinho, e “Desmundo” (2002), de Alain Fresnot.

Na Terça das Artes, 31, às 23h30, o episódio inédito da série exclusiva “Caçadores da Alma” revela que as fotografias, em alguns casos, podem ser sonhos, fantasias e até mesmo delírios de seus autores. No episódio “Artes Que Dialogam com a Fotografia”, o cineasta Silvio Tendler apresenta depoimentos e trabalhos de renomados artistas como Walter Carvalho, Renan Cepeda, Lúcio Kodato, Fernando Naiberg e César Ovalle. Aristas consagrados que incorporam o cinema, a música, a pintura e a escultura como influências para a criação de suas imagens. “caçadores da Alma” foi produzida pela Caliban, com exclusividade para o Curta!.

Na Segunda da Música, 30, às 22h, os personagens, as canções e as histórias de uma das mais importantes bandas de rock do Brasil retornam ao Curta!, com a reapresentação do documentário exclusivo “Barão Vermelho: por que a gente é assim?”. O filme mostra a trajetória do grupo que surgiu em 1981, da vontade dos amigos Guto Goffi e Maurício Barros de criar uma banda de rock´n roll. Estão lá, desde o convite a Roberto Frejat, Dé Palmeira e a caça ao vocalista ideal, Cazuza, até suas mais recentes formações. É o percurso de um conjunto que marcou a música brasileira ao ser um dos precursores do chamado BROCK, movimento musical do rock nacional. Dirigido por Mini Kerti, o longa é uma coprodução entre o Barão Vermelho e a Conspiração Filmes, e teve financiamento pelo Fundo Setorial do Audiovisual.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.