Header Ads

Canal Brasil celebra o Dia da Consciência Negra na próxima segunda


Canal Brasil celebra o Dia da Consciência Negra. (Imagem/Divulgação)
Na próxima segunda-feira, dia 20, o Canal Brasil celebra o Dia da Consciência Negra com programação especial durante todo o dia, exibindo produções dirigidas ou estreladas por artistas negros. Entre ficções, documentários de curta e longa-metragem, séries e programas, o especial mostra como o cinema brasileiro vem retratando as questões raciais ao longo dos anos. A programação tem início às 7h com "Ganga Zumba", primeiro longa de Cacá Diegues, e termina com o "Espelho", em que Lázaro Ramos entrevista a historiadora Giovana Xavier.

ESPECIAL DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

GANGA ZUMBA (1964) (102')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 7h
-Classificação: Livre
-Direção: Cacá Diegues

Sinopse: O primeiro longa-metragem de Cacá Diegues narra a história de Ganga Zumba (Antonio Pitanga), líder de uma revolução de escravos de um engenho de cana-de-açúcar em fuga para o Quilombo dos Palmares.

UMA ONDA NO AR (2002) (92')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 8h45
-Classificação: 14 anos
-Direção: Helvécio Ratton

Sinopse: Jorge, Brau, Roque e Zequiel são quatro jovens amigos que vivem em uma favela de Belo Horizonte e sonham em criar uma rádio que seja a voz do local onde vivem. Eles conseguem transformar seu sonho em realidade ao criar a Rádio Favela, que logo conquista os moradores locais por dar voz aos excluídos, mesmo operando na ilegalidade. O sucesso da rádio comunitária repercute fora da favela, trazendo também inimigos para o grupo, que acaba enfrentando a repressão policial para a extinção da rádio.

ANTONIA (2007) (90')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 10h20
-Classificação: 12 anos
-Direção: Tata Amaral

Sinopse: Vila Brasilândia, periferia de São Paulo. Preta (Negra Li), Barbarah (Leila Moreno), Mayah (Quelynah) e Lena (Cindy) são amigas desde a infância e sonham em viver da música. Elas deixam o trabalho de backing vocal de um conjunto de rap de homens para formar seu próprio conjunto, o qual batizam de Antônia. Descobertas pelo empresário Marcelo Diamante (Thaíde), elas passam a cantar rap, soul, MPB e pop em bares e festas da classe média. Mas quando o sonho delas parece começar a se tornar realidade o cotidiano de violência, machismo e pobreza em que vivem afeta o grupo.

CIDADE DOS HOMENS (2007) (110')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 13H30
-Classificação: 16 anos
-Direção: Paulo Morelli

Sinopse: Laranjinha (Darlan Cunha) e Acerola (Douglas Silva) são amigos, que cresceram juntos em uma favela do Rio de Janeiro e agora estão com 18 anos. Acerola tem um filho de 2 anos para cuidar, mas sente-se preso pelo casamento e lamenta a paternidade precoce. Já Laranjinha está decidido a encontrar seu próprio pai, que não conhece. Paralelamente o morro em que vivem é sacudido pelo mundo do tráfico, já que Madrugadão (Jonathan Haagensen), primo de Laranjinha, perdeu o posto de dono do local para Nefasto (Eduardo BR).

 BRANCO SAI, PRETO FICA (2015) (93')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 15h20
-Classificação: 12 anos
-Direção: Adirley Queirós

Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

PELE SUJA MINHA CARNE (2016) (15')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 17h30
-Classificação: 12 anos
-INÉDITO E EXCLUSIVO
-Direção: Bruno Ribeiro

Sinopse: O curta-metragem de Bruno Ribeiro mostra as dificuldades de um adolescente para lidar com dois dilemas em sua vida: a desigualdade racial por ser o único negro entre os amigos, todos brancos, e a descoberta da homossexualidade, também repleta de preconceitos e autoafirmações. João (André Muniz) é um jovem que vive um cotidiano comum de um menino de sua idade. O rapaz passa os dias entre os afazeres escolares e os momentos de distração com os amigos, com partidas de videogame e futebol. Ele é o único negro entre os colegas e tem problemas em aceitar a cor de sua pele – assunto que nunca é questionado pelos companheiros. A raça, no entanto, não é a única diferença de seu convívio social, e ele vai descobrir que a sexualidade também será mais uma distinção a ser trabalhada.

CORES & BOTAS (2010) (16')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 17h44
-Classificação: Livre
-Direção: Juliana Vicente

Sinopse: A cineasta Juliana Vicente discute o preconceito racial neste curta-metragem vencedor do Prêmio Canal Brasil e do júri popular no Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM). Joana (Jhenyfer Lauren) tem um sonho comum a muitas meninas dos anos 1980: ser paquita. Sua família é bem-sucedida e a apoia em seu sonho. Porém, Joana é negra, e nunca se viu uma paquita de sua cor no programa da Xuxa.

 AS GRANDES ENTREVISTAS DO PASQUIM
- Episódio: Madame Satã
- Horário: Segunda-feira, dia 20, às 18h
- Reprise
- Classificação: 14 anos

Sinopse: Com direção de André Weller e roteiro de Ricky Goodwin, a atração resgata histórias por trás das mais icônicas entrevistas feitas pelo jornal. Entre depoimentos de envolvidos na história do Pasquim e imagens de arquivo, há a dramatização dos bastidores de alguns dos mais polêmicos bate-papos realizados pela equipe formada por Sérgio Cabral, Jaguar, Tarso de Castro, Ivan Lessa e Ziraldo, entre outros, agora interpretados por atores como Bruce Gomlevsky, Augusto Madeira, Daniel Braga e Márcio Vito.

Neste episódio: Tony Tornado interpreta Madame Satã na reconstrução da entrevista do emblemático transformista ao Pasquim. A publicação ajudou a redescobrir uma figura mitológica do Rio de Janeiro.

BALADÁGUA (2016) (27')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 19h
-Classificação: 10 anos
-Direção: Eduardo Oliveira

Sinopse: O curta-metragem de Eduardo Oliveira traz à tona um feito que rendeu ao Brasil o bronze nos Jogos Olímpicos de 2000, realizados em Sidney (Austrália). Edvaldo Valério é o único atleta negro a conquistar uma medalha para a natação brasileira até os dias de hoje. O esportista trouxe para casa a terceira colocação em uma prova tradicionalmente liderada por homens brancos. No documentário, Edvaldo reconta como foi sua trajetória até aquela conquista: a infância pobre em Salvador, a descoberta do talento na adolescência, os momentos de incerteza na juventude, os desafios diários contra o preconceito, a falta de apoio financeiro e até a batalha contra a genética, já que a formação física dos negros cria uma série de dificuldades para o desenvolvimento de um nadador de alto rendimento.

FILHAS DO VENTO (2004) (84')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 19h30
-Classificação: 14 anos
-Direção: Joel Zito Araújo

Sinopse: Criadas por um pai severo numa cidade do interior de Minas Gerais, duas irmãs seguem rumos diferentes na vida. Cida (Taís Araújo / Ruth de Souza) sonha em ser atriz e foge de casa em busca desse ideal. Ju (Thalma de Freitas / Lea Garcia) permanece na cidade, casa-se e cuida do pai, Zé das Bicicletas (Milton Gonçalves). Apesar da distância, elas têm algo em comum: um relacionamento ruim com suas filhas. Passados 45 anos, Ju e Cida se reencontram para o enterro do pai. O tempo não diminuiu os ressentimentos que ambas guardaram da juventude e a morte do patriarca, naquele momento, aparenta ser o menor dos problemas.

RAPSÓDIA PARA O HOMEM NEGRO (2015) (24')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 21h
-Classificação: 14 anos
-Direção: Gabriel Martins

Sinopse: Gabriel Martins discute relações políticas, raciais, de ancestralidade e urbanização no mais cenário social contemporâneo brasileiro em sua mais recente película, vencedora do Prêmio Canal Brasil no Festival de Brasília.

ESPELHO (2017) (25')
-Horário: Segunda-feira, dia 20, às 21h30
-Episódio: Giovana Xavier
-12ª temporada - Reprise
-Classificação: Livre

Sinopse: A 12ª temporada da atração comandada e criada pelo apresentador, ator, diretor e escritor Lázaro Ramos traz novidades e abertura repaginada. "Quando o 'Espelho' surgiu, em 2005, pretendíamos levantar a autoestima negra e debatê-la, o que é bem diferente de reduzir a discussão ao racismo", analisa o anfitrião. "Com o passar dos anos, compreendemos que poderíamos conversar sobre qualquer tema. O tempo nos fez agregar mais gente, porém, o que nunca mudou é a nossa procura incansável em trazer convidados que tenham ideias diversas e que abordem questões urgentes para a sociedade", explica Lázaro sobre o programa, que já ultrapassou a marca de 300 entrevistados em sua trajetória.

Um dos destaques do novo ano é a interatividade: os convidados recebem perguntas enviadas pelo Twitter. "Estas participações inúmeras vezes mudam o rumo da conversa. E ressaltam nosso motriz em realizar entrevistas relevantes sobre comportamento e cultura", resume Lázaro.

Neste episódio: Giovana Xavier defende a reeducação das relações raciais no Brasil. Historiadora da UFRJ, ela fala sobre representatividade e construção do protagonismo negro em diferentes ambientes.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.