Header Ads

Canal Brasil - Filmes em destaques de 27 de novembro a 3 de dezembro


Destaques da programação Canal Brasil. (Imagem/Divulgação)
Conheça os filmes em destaques na programação do Canal Brasil de 27 de novembro a 03 de dezembro.

SEGUNDA-FEIRA, 27 DE NOVEMBRO

“É TUDO VERDADE”: CIDADES FANTASMAS (2017) (72’)
- Apresentação: Amir Labaki
- Horário: Segunda, dia 27, às 22h
- Classificação: Livre
Inédito e exclusivo
Direção: Tyrell Spencer

Sinopse: As lembranças da infância e adolescência nos encontros entre amigos e familiares inspiraram o diretor na construção da narrativa de seu primeiro longa-metragem, vencedor do prêmio de melhor filme na edição de 2017 do Festival É Tudo Verdade. O cineasta gaúcho viajou por quatro países da América Latina para investigar o cotidiano de cidades de grande prosperidade no passado, lugares chamados de casa por milhares de pessoas e possíveis oásis de esperança, hoje completamente abandonadas, esquecidas ao passar dos anos em um grande cenário desértico e decadente de cinzas. 

O documentário contrasta grande beleza estética de sua fotografia com a tristeza de locais esquecidos ao longo dos anos e nunca mais habitados como Humberstone, no Chile , Fordlândia, no Pará,  Epecuén, na Argentina e Armero, na Colômbia.

TERÇA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO

CHATÔ  —  O REI DO BRASIL (2016) (102’)
- Horário: Terça, dia 28, às 22h
- Classificação: 14 anos
Inédito e exclusivo
- Direção: Guilherme Fontes

Sinopse: Assis Chateaubriand foi uma das personalidades mais polêmicas e controversas da história brasileira no século passado. Genial, mentiroso, mulherengo, cínico e debochado, concomitantemente visionário e oportunista, o magnata das comunicações construiu um império de jornais, rádios e emissoras de televisão, com grande protagonismo em momentos decisivos da política e cultura nacional. Retratado pelo escritor Fernando Morais em Chatô – O Rei do Brasil, o nada convencional monarca tupiniquim teve sua trajetória filmada para o cinema em 1995 sob direção de Guilherme Fontes, mas devido a uma série de imbróglios judiciais chegou aos cinemas apenas em 2016 em filme estrelado por Marco Ricca, Paulo Betti e Andréa Beltrão. 

Vencedora do troféu Grande Otelo de melhor direção de fotografia, direção de arte, montagem e som na 14ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, a obra faz uma retrospectiva bem-humorada da complexa trajetória de Assis Chateaubriand (Marco Ricca) ao longo de sua vida. Para isso, a direção adotou uma narrativa repleta de flashbacks criados a partir de um local bem peculiar à biografia do protagonista. 

A biografia de Chateaubriand se confunde com momentos fundamentais da história do país. O filme remonta as muitas entrevistas e o convívio próximo com Getúlio Vargas (Paulo Betti), mesmo antes do político assumir a presidência, e os momentos de ciúme de Vivi Sampaio (Andréa Beltrão). Bordões eternizados pelo protagonista como “anúncio é dinheiro, notícia é perfumaria” explicam seu tino para os negócios e ao mesmo tempo mostram como o advogado e jornalista criou manchetes e usou seu poder para derrubar ou ascender empresas e governos. Do trabalho nos jornais, passando pela criação de emissoras de rádio e televisão até o gosto pelas artes clássicas, o roteiro mostra como esse paraibano de tantas facetas eternizou seu nome nas páginas de jornal e livros – e, finalmente, na tela do cinema.

QUARTA-FEIRA, 29 DE NOVEMBRO

VAZIO CORAÇÃO (2013) (90’)
- Horário: Quarta, dia 29, às 22h
- Classificação: Livre
- Direção: Alberto Araújo

Sinopse: Hugo Kari (Murilo Rosa) é um cantor brasileiro nacionalmente famoso. Em um determinado momento de sua carreira, ele decide fazer uma pausa em sua agenda para se encontrar com o pai, o Embaixador Mário Menezes (Othon Bastos), no Grande Hotel Termas do Arazá, lugar onde a família costumava se reunir nas férias. Nesse lugar repleto de memórias e recordações boas, ambos tentaram se reconciliar e concertar uma relação despedaçada pelo tempo e por conflitos, principalmente de ideias, e por uma tragédia que eles nunca conseguiram superar.

QUINTA-FEIRA, 30 DE NOVEMBRO

AMORES URBANOS   (2016)  (102’)
- Horário: Quinta, dia 30, às 22h 
- Classificação: 14 anos
- Direção: Vera Egito

Sinopse: Três amigos, Diego (Thiago Pethit), Júlia (Maria Laura Nogueira) e Micaela (Renata Gaspar)estão no auge de suas vidas, revelando suas personalidades, experimentando desilusões amorosas e e procurando a carreira ideal. Eles moram no mesmo prédio de São Paulo e compartilham diariamente suas experiências, fracassos e conquistas. Rindo ou chorando, eles estarão juntos.

SEXTA-FEIRA, 01 DE DEZEMBRO

“CINEMÃO”: ESTÔMAGO (2008) (114’)
- Horário: Sexta, dia 24, às 22h
- Classificação: 16 anos 
- Direção: Marcos Jorge

Sinopse: João Miguel, Fabiula Nascimento, Babu Santana, Carlo Briani, Zeca Cenovicz e a participação especial de Paulo Miklos, num longa-metragem do estreante Marcos Jorge. Em 2009, ganhou os troféus de melhor filme pelos júris oficial e popular, diretor, roteiro original e ator coadjuvante (Babu Santana) no Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro. No ano anterior, conquistou o Lions Award no Festival de Roterdã (Holanda), além de melhor filme e ator (João Miguel) no Festival Internacional de Punta del Este (Uruguai). Na edição de 2007 do Festival do Rio, venceu nas categorias diretor, ator, filme pelo voto popular e o Prêmio Especial do Júri. 

A trama gira em torno de Raimundo Nonato (João Miguel), nordestino que migra para São Paulo na esperança de ter uma condição mais digna. Contratado como faxineiro no bar de Zulmiro (Zeca Cenovicz), descobre um talento nato para cozinha e, com suas deliciosas coxinhas, transforma o boteco em local de sucesso. A vida na capital paulista progride até que, de repente, tudo se transforma. Numa noite, há poucos dias de oficializar o noivado com Íria (Fabíula Nascimento), Raimundo procura pela namorada, mas se depara com a dura realidade de um mundo que não cede espaço à pureza de sentimentos. Movido pelo ódio, sela seu destino, indo parar atrás das grades. Apesar da ingenuidade e simplicidade, ele aprendeu as leis sociais sobre os devoradores e os devorados. Regras essas que usa a seu favor, pois mesmo um mestre-cuca tem o direto de comer a sua parte – e sabe, mais do que ninguém, qual é o melhor pedaço.

SÁBADO, 02 DE DEZEMBRO

ORFEU (1999) (100’)
- Horário: Sábado, dia 02, às 22h
- Direção: ‎ Cacá Diegues
- Classificação: 14 anos

Sinopse: Baseado na peça de Vinícius de Morais, o filme conta a história do jovem líder de Escola de Samba, principal poeta e compositor, Orfeu (Toni Garrido) que se apaixona pela adolescente Eurídice (Patrícia França), recém-chegada de uma pequena cidade na floresta amazônica. Assim divide sua atenção: entre os quatro dias de carnaval e Eurídice, até que esta é vítima de traficantes de drogas que dominam a área em que mora. O exemplo de Orfeu, de sua arte e de sua paixão, serve de instrumento de vitória na luta de sua comunidade contra a violência cotidiana.

DOMINGO, 03 DE DEZEMBRO

“CONE SUL”: SIEMBRA (2015) (82’)
- Horário: Domingo, dia 03, às 22h
- Classificação: 12 anos
Inédito e exclusivo
- Direção: Ángela María Osorio Rojas e Santiago Lozano Álvarez

Sinopse: Estrelada por Diego Balanta, Ines Granja e Jose Luis Preciado, o filme conquistou o prêmio da crítica independente de melhor direção no Festival de Locarno (Suíça), o grande prêmio no Festival de Toulouse (França) e o prêmio especial do júri no Festival de Cartagena (Colômbia). 

El Turco (Diego Balanta) deixou suas propriedades, em uma zona rural na costa da Colômbia, devido às dificuldades financeiras para quem vive da semeadura – a siembra, como sugere o título da obra. A pobreza o levou a procurar, ao lado do filho, Yosner (Jose Luis Preciado), prosperidade em Cali, uma das principais cidades do país. O homem é uma figura taciturna e tem grande dificuldade para se adaptar ao estilo de vida agitado do município, mas o jovem rapidamente encontra na dança e no hip hop uma forma de expressão que lhe encanta e o faz esquecer suas raízes. Desolado com a distância de sua terra natal e inadaptado ao cotidiano urbano, o homem sofre um baque ainda mais intenso quando Yosner sai para um encontro de dançarinos de rua e um duelo de passos lhe custa a vida. 

A morte do filho atormenta ainda mais o já infeliz trabalhador rural. Sem dinheiro, ele enfrenta dificuldades para enterrar o jovem. Os tradicionais rituais de velório são celebrados – o filme dedica boa parte de seu roteiro a mostrar em detalhada fotografia em preto e branco os pormenores dos ritos – e o personagem, inconsolável por duas grandes perdas em sua vida, vaga pela cidade em busca de respostas. Em uma narrativa com poucos diálogos e de imensa poesia, tanto estética quanto social, o filme acompanha um homem sem força para reconstruir as pontes que o ligavam ao passado, implodindo em um luto eterno e feroz. El Turco é um protagonista afogado pela desolação, que tenta reunir as ruínas de sua vida e passa os dias a cantar um réquiem para o filho e sua terra, dois amores aniquilados pela crueldade.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.