Header Ads

Estreia com exclusividade no Curta! documentário inédito no Brasil sobre os 100 anos da Revolução Russa


documentário inédito no Brasil sobre os 100 anos da Revolução Russa. (Imagem/Divulgação)
A Revolução Russa completa 100 anos em 2017. Para esclarecer todo o processo de um dos mais importantes marcos históricos do mundo contemporâneo, estreia com exclusividade no Curta!, na Sexta da Sociedade, 10, às 23h, o documentário inédito no Brasil, “1917 – Construindo a Revolução Russa”. Disponível também on demand, através do NOW, para assinantes NET, “1917 - Construindo a Revolução Russa” é um documentário da Arte France dirigido por Stan Neumann que revela a teoria e a prática das ideias propostas pela revolução através das narrativas de dois dos seus principais personagens: Maxim Gorky e Vladimir Illyich Lenin. Utilizando arquivos exclusivos e de recursos de animação, o diretor Stan Neumann mergulha nos eventos, dia após dia, de fevereiro a outubro de 1917.

Na Segunda da Música, 6, às 21h35, estreia no Curta! “Tropicália”, documentário que retrata um dos movimentos mais marcantes na cultura brasileira, o Tropicalismo. Dirigido por Marcelo Machado, o longa-metragem foi produzido quase que inteiramente com imagens de arquivo dos anos de 1967, 1968 e 1969. Além de vasto e rico material fotográfico, “Tropicália” revela ao público sequências de filmes e programas de TV especialmente recuperados para o filme. A narrativa é embalada pela música de alguns dos principais nomes do movimento musical: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes e Tom Zé.

Na Quarta de Cinema, 8, a faixa “A Vida é Curta” apresenta uma seleção de em homenagem a música popular brasileira. Abrindo a sessão especial que homenageia a música popular brasileira, às 20h, estreia no Curta! “Se Me Chamar Ô Sorte - O Mais Recente CD de Wilson Das Neves”, minidocumentário da diretora Paola Viera sobre os bastidores da gravação do último álbum de Wilson das Neves, saudoso instrumentista, compositor e cantor falecido em agosto deste ano. Na sequência, é a vez de “Tim Maia”, de Flávio Tambellini. No curta de 1987, o pensamento do ‘síndico’ Tim Maia é apresentado numa linguagem antiacadêmica, misturando bate-papo e música, deixando a montagem fluir no swing de Tim. Em seguida, o curta “Cordiais Saudações”, de Gilberto Santeiro, retrata a trajetória do compositor Noel Rosa, um dos pais da moderna música brasileira. Encerrando a seleção especial, “Brasil”, de Rogério Sganzerla, registra os bastidores da gravação do disco Brasil, de João Gilberto, de 1981, com a presença de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Maria Bethânia no estúdio.

Ainda na Quarta de Cinema, às 23h30, o episódio inédito da série “Luz & Sombra - Fotógrafos do Cinema Brasileiro” apresenta a trajetória do diretor de fotografia argentino radicado em São Paulo, Rodolfo Sanchez. O programa revela o rigor e a criatividade do profissional desde o filme que ele dirigiu na Argentina, “Tiro de Gracia” (1967), até, é claro, suas produções e parcerias realizadas no Brasil, como com Ugo Giorgetti, que rendeu filmes como “Quebrando a Cara” (1977) e “Prédio Martinelli” (1977). Outra parceria marcante de Rodoflfo Sanchez foi com o também diretor argentino radicado no Brasil, Hector Babenco. Eles trabalharam juntos em “Pixote” (1981) e “O Beijo da Mulher Aranha” (1985). Dentre as parcerias mais recentes, destaca-se o trabalho com Ana Carolina em “Sonho de Valsa” (1987) e “Amélia” (2009). 

Na Quinta do Pensamento, às 23h30, o episódio inédito da série exclusiva “Imortais da Academia” fala sobre a cadeira de número 8 da Academia Brasileira de Letras e revela o frequente enlace entre o jornalismo e a literatura. Três dos acadêmicos que ocuparam a poltrona e que são destacados no episódio fizeram carreiras tanto num campo como noutro. Cleonice Berardinelli, atual ocupante da cadeira, é professora de Letras e teve entre seus alunos vários de seus colegas imortais. Austregésilo de Athayde, Antonio Callado e Antonio Olinto são outros acadêmicos revelados no episódio. Produzida pela Giros e dirigida por Belisario Franca, “Imortais da Academia” conduz o público em um passeio pelo presente e pelo passado da ABL e é uma série financiada pelo Fundo Setorial Audiovisual, o FSA.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.