Header Ads

Canal Brasil - Destaques de filmes de 04 a 10 de dezembro


Destaques de filmes Canal Brasil. (Imagem/Divulgação)
Conheça os filmes em destaques na programação do Canal Brasil de 04 a 10 de dezembro.

SEGUNDA-FEIRA, 04 DE DEZEMBRO

“É TUDO VERDADE”: SECA (2015) (88’)
- Apresentação: Amir Labaki
- Horário: Segunda, dia 4, às 22h
- Classificação: Livre
Inédito e exclusivo
Direção: Maria Augusta Ramos

Sinopse: Longe do desenvolvimento das grandes cidades do país, o sertão testemunha, há décadas, suas paisagens, rios e barragens secarem e a água, cada vez mais escassa, ganhar um brilho precioso em meio à terra batida e poeira. A documentarista Maria Augusta Ramos cruza a imensidão do horizonte do agreste pernambucano, especificamente da aridez da zona do Pajeú, composta por 17 municípios, para mostrar as consequências da falta desse recurso crucial à vida humana e a forma encontrada pela população da área para driblar os problemas trazidos pela seca, transtorno endêmico na história da região. 

Levando na boleia de seu veículo uma carga crucial à população, os condutores são aguardados com ansiedade por todos a cada cidade visitada. Suas paradas são sempre acompanhadas de uma prosa rala com os habitantes, quase sempre focadas na dificuldade de conseguir água no lugar. Uns reclamam da escassez, outros comemoram a tão esperada chegada do caminhão, meninos pedem trocados ao tapar buracos das estradas e homens buscam um milagre ao tentar achar alguma gota remanescente de um lençol freático. Todos, no entanto, trazem no rosto e no corpo as marcas de uma vida sofrida devido às estiagens. Sem intervir no cotidiano dos retratados, a diretora mostra como o dia a dia sem um recurso tão básico impede o crescimento de uma região.

TERÇA-FEIRA, 05 DE DEZEMBRO

TATUAGEM (2013) (110’)
- Horário: Terça, dia 5, às 22h
- Classificação: 16 anos
- Direção: Hilton Lacerda 

Sinopse:  A obra estrelada por Irandhir Santos, Jesuíta Barbosa e Rodrigo Garcia obteve os Redentores de melhor filme de ficção pelo júri popular, ator (Irandhir Santos), ator coadjuvante (Jesuíta Barbosa), prêmios Fipresci e especial do júri em ficção no Festival do Rio e os Kikitos de melhor longa-metragem, ator (Irandhir Santos) e trilha musical no Festival de Gramado.

A direção volta sua atenção para a capital pernambucana no ano de 1978, época de grande censura do regime militar a manifestações culturais tidas como subversivas. Na periferia de Recife, Clécio (Irandhir Santos) lidera o grupo teatral Chão de Estrelas, uma trupe de artistas libertários cujos integrantes interpretam uma atração extravagante e de estética contracultural típica do fim da década de 1970. Encenadas em um tablado mambembe para um pequeno público, as peças destilam ininterruptamente versos e danças debochados, sarcásticos e anárquicos com muita nudez e humor. Não muito distante dali, Fininha (Jesuíta Barbosa) serve em um quartel como soldado e sofre intimidações de colegas por uma suposta homossexualidade. O recruta é enviado à casa de espetáculos para entregar uma encomenda a Paulette (Rodrigo Garcia) e tem início uma paixão fulminante e revolucionária com o protagonista.

QUARTA-FEIRA, 06 DE DEZEMBRO

O OUTRO LADO DO PARAÍSO (2014) (101’)
- Horário: Quarta, dia 6, às 22h
- Classificação: 10 anos
- Direção: André Ristum

Sinopse: Anos 60, Brasil. Antonio é um idealista e sonhador. O desejo de ascensão social leva toda a família a se mudar para a recém-inaugurada e ainda em construção cidade de Brasília. Movido pelos movimentos políticos da época e pelas reformas prometidas pelo presidente João Goulart, Antonio se aproxima do ativismo político e da luta dos trabalhadores. Em abril de 1964, da noite para o dia, os sonhos de todos se transformam em pesadelos.

QUINTA-FEIRA, 07 DE DEZEMBRO

2 COELHOS (2012) (108’)
- Horário: Quinta, dia 7, às 22h 
- Classificação: 16 anos
- Direção: Afonso Poyart

Sinopse: Edgar (Fernando Alves Pinto) não suporta mais tanta corrupção no Brasil. Procurando resolver a situação, ele resolve fazer justiça com as próprias mãos e traça um plano que pretende destruir políticos e criminosos.

SEXTA-FEIRA, 08 DE DEZEMBRO

“CINEMÃO”: TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR (2006) (92’)
- Horário: Sexta, dia 8, às 22h
- Classificação: 16 anos 
- Direção: Moacyr Góes

Sinopse: Olímpia (Adriana Esteves) é uma faxineira confusa, fofoqueira e intrometida que trabalha no apartamento de classe média alta onde moram a arquiteta Inês (Bianca Byington) e o cardiologista Eduardo (Cassio Gabus Mendes). Mesmo criando uma série de confusões para seus patrões – a maioria delas até elaboradas com boas intenções –, ela praticamente faz parte da família. Justamente no dia do aniversário de 15 anos de casamento de seus empregadores, ela apronta mais uma de suas trapalhadas. Ao perceber o retorno antecipado do médico de uma viagem a Brasília, ela tenta esconder, de todas as formas, os preparativos para uma festa surpresa organizada pela patroa. 

Guardar segredo não é um dos pontos fortes da empregada doméstica, e ela começa a espalhar fofocas de comentários escutados aleatoriamente. Ela desconfia de uma suposta traição de Eduardo envolvendo a bela e jovem Salete (Lívia Rossy), uma dançarina do ventre que o homem conheceu no voo de volta para casa e que achou seu telefone celular, perdido no banco da aeronave. Logo após, presencia uma investida amorosa do síndico do prédio, Cláudio (Otávio Muller), em sua patroa, e também a julga infiel. Até Cristiano (Mário Schoemberger) e Lígia (Mônica Martelli), amigos do casal, entram nessa confusão capaz de deixar o prédio em polvorosa.

SÁBADO, 09 DE DEZEMBRO

CARANDIRU (2003) (97’)
- Horário: Sábado, dia 09,  às 22h
- Direção: ‎ Hector Babenco
- Classificação: 14 anos

Sinopse: Carandiru, história baseada em fatos reais e no livro escrito pelo médico Drauzio Varella (Luiz Carlos Vasconcelos), começa quando ele resolve fazer um trabalho de prevenção à AIDS no maior presídio da América Latina: a Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru, vítima de um dos dias mais negros da história do Brasil, quando a Polícia Militar do Estado de São Paulo, a pretexto de manter a lei e a ordem, fuzilou 111 pessoas. Ali, o médico toma contato com o que, aqui fora, temos até medo de imaginar: violência, superlotação, instalações precárias, falta de assistência médica e jurídica, falta de tudo. O Carandiru, com seus mais de sete mil detentos, merece sua fama de inferno na terra. Porém, nosso personagem logo percebe que, mesmo vivendo numa situação limite, os internos não representam figuras demoníacas. Ao contrário, ele testemunha solidariedade, organização e, acima de tudo, uma grande disposição de viver. Não é pouco e é o suficiente para que ele, fascinado, resolva iniciar um trabalho voluntário. Oncologista famoso, habituado a mais sofisticada tecnologia médica, Dráuzio Varella pratica a medicina como os antigos: com estetoscópio, olhar sensível e muita conversa.

DOMINGO, 10 DE DEZEMBRO

“CONE SUL”: A PASSAGEIRA (2015) (109’)
- Horário: Domingo, dia 10, às 22h
- Classificação: 12 anos
Inédito e exclusivo
- Direção: Salvador del Solar

Sinopse: A coprodução entre Peru, Argentina, Colômbia e Espanha conquistou prêmios em Havana (Cuba), Lima (Peru) e Washington (EUA), além de indicação ao Goya (Espanha). 

O roteiro, adaptado do livro La Pasajera, de Alonso Cueto, tem como personagem principal Magallanes (Damián Alcázar), um homem atormentado pelas sombras do passado. Ex-soldado do exército, ele divide seu expediente atual entre seu táxi pelas ruas de Lima, capital peruana, e cuidar do aposentado Coronel (Federico Luppi), seu antigo comandante dos tempos de forças armadas, um idoso de saúde debilitada. Sua rotina de marasmo ganha forte carga dramática quando Celina (Magaly Solier) faz sinal para seu veículo. A cabelereira de origem indígena, então com apenas 14 anos, foi levada pelo protagonista ao quartel e usada como escrava sexual pelo oficial militar no período final da ditadura no país. O motorista a reconhece imediatamente e enxerga naquela corrida a chance de retratar o perverso erro cometido.

O filme segue um ritmo típico de um thriller para adicionar pitadas de suspense, drama e emoção ao longo da narrativa. Magallanes cria um plano para extorquir o filho do coronel, um advogado de sucesso. A intenção é doar o dinheiro como forma de reparação pelos danos causados à moça e ajudá-la com os problemas financeiros – ela deve cifras altas a uma agiota e sofre com a truculência dos capangas da criminosa. Cada passo dessa arriscada empreitada é tomado com o máximo de cautela visto a influência política do jurista e os contatos do velho militar com as forças de segurança. O sentimento de culpa, alimentado por tantos anos, no entanto, vai consumir o protagonista, e mesmo com todas os riscos de roubar o antigo comandante, o ex-soldado vai entrar no campo de batalha, sem farda ou camuflagem, para a missão mais importante de sua vida.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.