Header Ads

Fernando Henrique Cardoso e Fernando Gabeira estão em ‘Cortina de Fumaça’, documentário sobre a legalização das drogas que estreia no Canal Curta!


Fernando Henrique Cardoso e Fernando Gabeira estão em ‘Cortina de Fumaça'. (Imagem/Divulgação)
As políticas públicas para as drogas ao redor do mundo são investigadas no documentário “Cortina de Fumaça”, que estreia no Curta! na Sexta da Sociedade, 15, às 22h. No filme, o diretor Rodrigo Mac Niven apresenta uma série de entrevistas sobre a legalização de substâncias atualmente ilícitas e seus impactos na sociedade em diferentes cidades e países do mundo. Rodrigo Mac Niven conversa com médicos, pesquisadores, advogados, líderes, policiais e representantes de movimentos civis e políticos, como o sociólogo e ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, e o jornalista, escritor e ex-deputado federal Fernando Gabeira. O filme também apresenta depoimentos de pessoas comuns, que refletem sobre essa questão.

Também na Sexta, 15, só que mais cedo, às 18h30, estreia no canal o documentário exclusivo “Do jazz ao samba”. Roberto Menescal, Elza Soares, Ivan Lins e Diogo Nogueira, entre outros aclamados artistas da música brasileira, participam do longa-metragem em depoimentos que contam sobre as influências e as relações que compõem a música brasileira e a música internacional. O filme, dirigido por Bruno Veiga Valentim, com produção da “Ideias Ideais Design” e da “Produções & Brasil Raiz Cine 1”, também traz a opinião de artistas norte-americanos para comentar sobre o impacto que as nossas composições tiveram sobre o cenário musical no Estados Unidos.

Na Quarta de Cinema, 13, a partir das 20h, a faixa “A Vida É Curta!” traz uma retrospectiva com três dos principais curtas experimentais que foram exibidos na faixa ao longo de 2016. Para começar, “A Festa e os Cães”, de Leonardo Mouramateus. No filme o diretor compartilha uma memória afetiva poderosa e pessoal, sobre um tempo de curtição, de emoções libertárias, no subúrbio de Fortaleza. Na sequência, a cantora e compositora Maria Bethânia dá voz ao poeta Manoel de Barros em ‘Ruína’, curta-metragem dirigido por Gabriel Sanna. No filme, vencedor do Prêmio de Aquisição Canal Curta e Porta Curtas no Curta Cinema 2016, a baiana recita o poema de Manoel de Barros, de mesmo nome. Encerrando a retrospectiva, “Abigail”, de Isabel Penoni e Valentina Homem, conta a história de Abigail Lopes, mulher do sertanista pernambucano Francisco Meirelles. Chamada de 'Tipizari' pelos índios Xavantes da Serra do Roncador, em Goiás, o filme apresenta seu trabalho com os índios, as suas memórias e também relatos pessoais.

Ainda na Quarta de Cinema, às 23h30, o episódio inédito da série “Luz & Sombra - Fotógrafos do Cinema Brasileiro” apresenta a trajetória do diretor de fotografia Antônio Luiz. O programa revela a carreira do profissional brasileiro radicado nos Estados Unidos que começou sua carreira como assistente de câmera de Ricardo Aronovich no filme “Os Fuziz” (1964), de Ruy Guerra. Fundador da Associação Brasileira de Cinematografia, a ABC, nos anos 1960 Antônio Luiz trabalhou com alguns dos mais respeitados diretores do cinema brasileiro, como Glauber Rocha em “O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro” (1969), e Julio Bressane, em “Cara a Cara” (1967). Nos Estados Unidos, ele construiu uma parceria produtiva com Jim McBride, quando filmou, entre outros: “Acerto de Contas” (1986) e “A Fera do Rock!” (1989). Ele trabalhou também com os diretores Cacá Diegues, em “Orfeu” (1999) e “Deus é Brasileiro” (2003), Walter Salles, em “Dark Water” ( 2005), e Pedro Almodóvar, em “Carne Trêmula” (1997) e “Tudo Sobre Minha Mãe” (1999).

Na série exclusiva “Imortais da Academia”, exibida na Quinta do Pensamento, 14, às 23h30, é a vez do episódio inédito sobre a cadeira de número 13 da Academia Brasileira de Letras e revela os imortais que ocuparam o lugar Entre os acadêmicos abordados está Sérgio Paulo Rouanet, atual ocupante do assento e criador da lei de fomento à cultura que leva seu nome. O diplomata, filósofo, professor universitário, tradutor e ensaísta brasileiro, Sérgio Paulo Rouanet ingressou na Academia Brasileira de Letras em 1992. Além de Rouanet, o episódio também apresenta ao público detalhes sobre as trajetórias de outros imortais que passaram pela cadeira de número 13: Visconde de Taunay e Augusto Meyer. Produzida pela Giros e dirigida por Belisario Franca, “Imortais da Academia” conduz o público em um passeio pelo presente e pelo passado da ABL e é uma série financiada pelo Fundo Setorial Audiovisual, o FSA.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.