Home Top Ad

Inédito na TV, documentário de Eduardo Escorel sobre o Estado Novo estreia no Canal Curta! com trechos exclusivos

Share:

Inédito na TV, documentário de Eduardo Escorel sobre o Estado Novo estreia no Curta!. (Imagem: Divulgação)
Depois de ser premiado nos festivais É tudo Verdade e Recine e ter uma elogiada exibição nos cinemas, chega ao Curta! o documentário “Imagens do Estado Novo 1937 – 1945”, filme do cineasta Eduardo Escorel sobre o período ditatorial do governo de Getúlio Vargas. Em versão exclusiva, mais longa do que a projetada nos cinemas, a produção será exibida no canal em cinco partes. A primeira vai ao ar na Sexta da Sociedade, 4 de maio, às 23h.

Com intenso trabalho de pesquisa e de produção, em "Imagens do Estado Novo 1937- 45", Escorel recorre a cinejornais, cartas, filmes, diários e músicas populares para explorar as contradições do período político histórico. O documentário, com duração de quatro horas, levou 12 anos para chegar às telas e será exibido na TV com exclusividade no Curta!. No primeiro episódio, imagens oficiais e registros de família, o diário de Getúlio Vargas e músicas de época são as fontes históricas que revelam a consolidação do regime autoritário até as vésperas do golpe que dá início ao Estado Novo, com a suspensão dos direitos constitucionais, censura à imprensa e intensificação do anticomunismo no Brasil e no mundo.

Na Segunda da Música, 30 de abril, às 22h20, o Curta! exibe mais um documentário de Eduardo Escorel, “Paulo Moura – Alma Brasileira”, que revela a trajetória de um dos mais importantes instrumentistas do país. Com trechos de entrevistas, registros filmados e escritos, a produção constrói um retrato completo do compositor e arranjador de choro, samba e jazz, que tocou com nomes como Ary Barroso, Dalva de Oliveira, Elis Regina, Milton Nascimento e Sérgio Mendes. O longa apresenta 25 canções do repertório do músico, enquanto ele próprio dá mais detalhes sobre sua história no cenário musical brasileiro.

Outra grande estreia da semana está na Quarta de Cinema, 2, às 23h, com o documentário “Orson Welles: Sombras e Luz”. Em destaque, a trajetória do multifacetado artista Orson Welles. Aos 24 anos de idade, ele reinventou as linguagens do teatro e do cinema, se tornou referência em criatividade e virou uma figura lendária. O longa-metragem dirigido por Elisabeth Kapnist revela o homem por trás da lenda.

Ainda na Quarta de Cinema, só que às 20h, um dia após o Dia do Trabalhador, a faixa “A Vida é Curta!” homenageia os profissionais da cultura. Para começar, “Mauro, Humberto”, de David Neves, revela a trajetória do cineasta Humberto Mauro, realizador atuante entre 1925 e 1974. Na sequência, é a vez de “Diário de um Compositor em Viagem”, de Jayme Monjardim. A produção acompanha a rotina do compositor Alexandre Guerra no processo de gravação da trilha de um filme, realizada nas cidades de Budapeste e de Paris. Para encerrar a faixa, a cantora e compositora Maria Bethânia dá voz ao poeta Manoel de Barros em ‘Ruína’, curta-metragem dirigido por Gabriel Sanna. No filme, vencedor do Prêmio de Aquisição Canal Curta e Porta Curtas no Curta Cinema 2016, a baiana recita o poema de mesmo nome de Manoel de Barros que dá título ao filme.

Na Terça das Artes, 1º de maio, às 22h30, o destaque é o documentário “Domingos”. Um dos mais importantes diretores de cinema e de teatro do país, Domingos de Oliveira é investigado pelo olhar da atriz, diretora e amiga Maria Ribeiro. No longa-metragem, o público poderá conferir as motivações, as inquietações, as produções e o cotidiano do diretor. Parceiros de peso, como Paulo José, que atuou nos primeiros filmes de Domingos, e a premiada atriz Fernanda Montenegro participam da produção aclamada pela crítica. 

Na Segunda da Música, 30 de abril, às 22h20, a trajetória de um dos mais importantes instrumentistas do país é destaque em “Paulo Moura – Alma Brasileira”, documentário do cineasta Eduardo Escorel. Morto em 12 de julho de 2010, o compositor e arranjador de choro, samba e jazz tocou com nomes como Ary Barroso, Dalva de Oliveira, Elis Regina, Milton Nascimento e Sérgio Mendes. Com trechos de entrevistas, registros filmados e escritos, a produção constrói um retrato completo do artista. O longa apresenta 25 canções do repertório do músico, enquanto ele próprio dá mais detalhes sobre sua história no cenário musical brasileiro.

A educação é destaque na Quinta do Pensamento, 3 de maio. O canal exibe às 23h o documentário "Revolução da Escola 1918 - 1939". O longa-metragem, produzido pelo Arte France, tradicional canal público franco-alemão, revela a tentativa de pensadores como Maria Montessori, Célestin Freinet, Ovide Decroly e Alexander S. Neill, logo após a Primeira Guerra Mundial, de introduzir novos métodos de ensino mais focados no desenvolvimento natural das crianças. Eles acreditavam em um mundo sem violência e buscavam o ensino centralizado nas crianças. A ascensão do fascismo, porém, derrubou a expectativa de revolução e afetou o método educativo usado pelas escolas até hoje. Dirigido por Joanna Grudzinska, “Revolução da Escola 1918 – 1939” faz parte do pacote de aquisições do Curta! de conteúdos do Arte France. 




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.