header ads

Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 04 a 10 de junho


Canal Brasil: Filmes em destaques da programação. (Imagem: Divulgação)
Conheça os filmes em destaque na programação do Canal Brasil de 04 a 10 de junho.

É Tudo Verdade: Lila (2018) (76’)
Horário: SEGUNDA, DIA 04, ÀS 22H
INÉDITO E EXCLUSIVO
Apresentação: Amir Labaki
Direção: Alfredo Sirkis e Silvio Da-Rin
Classificação: 12 anos

Sinopse: A estilista Liliana Syrkis lançou, em 2011, uma autobiografia para contar como escapou com vida das atrocidades sofridas na Segunda Guerra Mundial e se tornou referência na alta sociedade carioca. Seis anos depois, Alfredo Sirkis – seu filho e ex-deputado federal – e Silvio Da-Rin decidiram transpor as memórias da costureira para o cinema em um documentário, trazendo imagens e concedendo ainda mais fidelidade aos escritos de Lila, como ficou conhecida. O filme homônimo à publicação remonta o caminho feito pela intelectual em sua saga pela liberdade, iniciada na Polônia, onde nasceu, passando pelos campos de trabalhos forçados na Sibéria e culminando finalmente em terras cariocas.

Lila nasceu na Polônia em 1923. Aos 16 anos, quando a Segunda Guerra Mundial estava prestes a eclodir na Europa, a jovem foi jogada, em companhia da mãe, em um trem de carga a caminho da Sibéria. No lugar mais frio do mundo, sofreu com um regime de trabalhos forçados, enfrentou a fome extrema e conviveu com a morte iminente. Mesmo com todas as adversidades, conseguiu fugir para a Suécia pouco tempo após o fim do conflito e finalmente desembarcou no Brasil em 1947, onde se tornaria uma referência da alta costura e estilista renomada na sociedade carioca. No filme, a protagonista dessa história revisita seus passos, passeando pela rua em que foi criada, viajando por lugares de sua infância e recriando uma trajetória de sucesso mesmo com todos os dramas a que foi submetida.

Seleção Brasileira – Vidas Partidas (2016) (103’)
Horário: TERÇA, DIA 05, ÀS 22H
Direção: Marcos Schechtman
Classificação: 16 anos

Sinopse: O longa marca a estreia de Marcos Schechtman, que tem longa e bem estabelecida carreira como diretor na televisão, no cinema e aborda com franqueza incômoda e profundidade surpreendente um drama que aflige o cotidiano do país e da sociedade moderna como um todo: a violência doméstica. No elenco, Naura Schneider e Domingos Montagner – em uma de suas últimas participações nas telonas.

A Recife da década de 1980 é o cenário para as agruras da vida de Graça (Naura Schneider). Ela é mãe de duas filhas, trilha uma carreira promissora como farmaceutica e está em um casamento supostamente feliz com Raul (Domingos Montagner) – apesar da longevidade do relacionamento, eles apresentam evidente química e uma paixão carnal intensa. Frustrado por sua fracassada trajetória profissional, apesar de possuir títulos relevantes e uma formação acadêmica sólida, o marido começa a demonstrar um comportamento violento.

Brava Gente Brasileira (2000) (104’)
Horário: QUARTA, DIA 06, ÀS 22H
Direção: Lucia Murat
Classificação: 18 anos

Sinopse: Pantanal, 1778. Um grupo de soldados acompanha Diogo (Diogo Infante), cartógrafo recém-chegado, enviado pela Coroa Portuguesa para fazer um levantamento topográfico da região. O grupo se encaminha para o Forte Coimbra, que vive em guerra com os índios cavaleiros, com os quais os portugueses tentam selar um acordo de paz. No caminho do forte, um batedor descobre um grupo de mulheres índias tomando banho perto do rio. Elas são estupradas pelos soldados e também por Diogo, forçado por Pedro (Floriano Peixoto), chefe do grupo, a participar do ato. Chegando ao Forte, Diogo passa então a encarar um novo mundo, com a crescente ferocidade de Pedro, a fantasia de Antônio (Buza Ferraz) em encontrar minas de prata que lhe deixariam rico e a proximidade junto aos índios da região.

Pelé – Um Rei Desconhecido (2017) (38’)
Horário: QUINTA, DIA 07, ÀS 19H30
Direção: Ernesto Rodrigues
Sinopse: Coproduzido pelo Canal Brasil em parceria com a Bizum, o documentário de Ernesto Rodrigues traz imagens raras de acervos estrangeiros, preservadas ao longo dos anos, com registros valiosos do craque em ação dentro e fora de campo, filmados no Brasil, na Europa, nas Américas e até na Oceania.

Chatô – O Rei do Brasil (2016) (102’)
Horário: SEXTA, DIA 08, ÀS 22H
Direção: Guilherme Fontes
Classificação: 14 anos

Sinopse: Retratado pelo escritor Fernando Morais em Chatô – O Rei do Brasil, o controverso magnata das comunicações Assis Chateaubriand teve sua trajetória filmada para o cinema em 1995 sob direção de Guilherme Fontes, mas devido a uma série de imbróglios judiciais chegou aos cinemas apenas em 2016 em película estrelada por Marco Ricca, Paulo Betti e Andréa Beltrão.

Vencedora do troféu Grande Otelo de melhor direção de fotografia, direção de arte, montagem e som na 14ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, a obra faz uma retrospectiva bem-humorada da complexa trajetória de Assis Chateaubriand (Marco Ricca) ao longo de sua vida. Para isso, a direção adotou uma narrativa repleta de flashbacks criados a partir de um local bem peculiar à biografia do protagonista. A biografia de Chateaubriand se confunde com momentos fundamentais da história do país. O filme remonta as muitas entrevistas e o convívio próximo com Getúlio Vargas (Paulo Betti), mesmo antes do político assumir a presidência, e os momentos de ciúme de Vivi Sampaio (Andréa Beltrão). Bordões eternizados pelo protagonista como “anúncio é dinheiro, notícia é perfumaria” explicam seu tino para os negócios e ao mesmo tempo mostram como o advogado e jornalista criou manchetes e usou seu poder para derrubar ou ascender empresas e governos. Do trabalho nos jornais, passando pela criação de emissoras de rádio e televisão até o gosto pelas artes clássicas, o roteiro mostra como esse paraibano de tantas facetas eternizou seu nome nas páginas de jornal e livros – e, finalmente, na tela do cinema.

Polaróides Urbanas (2008) (82’)
Horário: SÁBADO, DIA 09, ÀS 22H
Direção: Miguel Falabella
Classificação: 12 anos

Sinopse: Uma jovem em conflito com a mãe, uma terapeuta incapaz de resolver seus problemas, uma dona de casa de classe média que não consegue mais sonhar, uma atriz consagrada cuja carreira está em decadência e uma mulher que, sem querer, foi escolhida como mãe da filha de sua patroa. As vidas destas mulheres e seus respectivos maridos, namorados e amigos se cruzam no Rio de Janeiro.

Siembra (2015) (82’)
Horário: DOMINGO, DIA 10, ÀS 22H
Direção: Ángela María Osorio Rojas e Santiago Lozano Álvarez
Classificação: 12 anos

Sinopse: O trabalho de graduação de Ángela María Osorio Rojas e Santiago Lozano Álvarez na universidade discutia o êxodo forçado de moradores de zonas rurais e pobres da Colômbia para as periferias das grandes cidades do país, fato preocupante para o cotidiano de milhares de famílias. O argumento do artigo serviu de base para o roteiro – também de autoria dos cineastas – de estreia dos diretores na sétima arte. Estrelada por Diego Balanta, Ines Granja e Jose Luis Preciado, a película conquistou o prêmio da crítica independente de melhor direção no Festival de Locarno (Suíça), o grande prêmio no Festival de Toulouse (França) e o prêmio especial do júri no Festival de Cartagena (Colômbia).

El Turco (Diego Balanta) deixou suas propriedades, em uma zona rural na costa da Colômbia, devido às dificuldades financeiras para quem vive da semeadura – a siembra, como sugere o título da obra. A pobreza o levou a procurar, ao lado do filho, Yosner (Jose Luis Preciado), prosperidade em Cali, uma das principais cidades do país. O homem é uma figura taciturna e tem grande dificuldade para se adaptar ao estilo de vida agitado do município, mas o jovem rapidamente encontra na dança e no hip hop uma forma de expressão que lhe encanta e o faz esquecer suas raízes. Desolado com a distância de sua terra natal e inadaptado ao cotidiano urbano, o homem sofre um baque ainda mais intenso quando Yosner sai para um encontro de dançarinos de rua e um duelo de passos lhe custa a vida.

Postar um comentário

0 Comentários