Home Top Ad

A cineasta Marina Person é a convidada de Inspira.mov Brasil na TV Cultura

Share:

Divulgação GF
No terceiro episódio inédito de Inspira.mov Brasil, no ar pela TV Cultura domingo, 12 de maio, às 23 horas, a cineasta e apresentadora Marina Person conta sobre sua constante busca por novos desafios e sua trajetória na televisão e no cinema. Com direção de Kenya Zanatta e produção executiva de Fernando Dias e Mauricio Dias, da premiada produtora GRIFA FILMES, a série, de 13 programas, apresenta ideias inovadoras e comportamentos inspiradores de personalidades das mais diversas áreas. Inspira.mov Brasil tem patrocínio da 3M do Brasil.

Filha de um dos maiores expoentes do cinema nacional, Luís Sérgio Person (1936-1976), Marina conta como se tornou conhecida ao apresentar programas na MTV.  Formada em cinema, ela lembra que começou a trabalhar em televisão porque o mercado de filmes brasileiros estava parado. Sem nenhuma experiência em frente às câmeras, recebeu muito apoio do canal para vencer o desafio de se tornar apresentadora: “Eles investiram em mim. Foi uma aposta em alguém que não tinha nenhum traquejo”, relembra.

Marina Person- Cinema, TV e Música

A busca pela realização do sonho de trabalhar em cinema começou ainda na MTV quando, em paralelo, tocava projetos individuais, como o documentário Person (2007) sobre seu pai e os filmes importantes que ele dirigiu, como São Paulo Sociedade Anônima e O Caso dos Irmãos Naves: “Eu tinha necessidade de falar sobre isso no meu processo de busca da identidade, de quem eu sou. Fui resgatar esta história através do filme”. 

Música e cinema também estão unidos em Califórnia (2015), primeiro filme de ficção que Marina dirigiu.  Nos Inspira.mov, ela lembra várias curiosidades deste trabalho sobre a adolescência de uma garota nos anos 80, na época das Diretas Já (1984), e que também aborda a questão da AIDS. A produção foi realizada sem muitos recursos, por isto, a diretora recorreu a várias músicas da época para criar a ambientação.  Para conseguir duas canções da banda inglesa The Cure na trilha sonora, Marina conta que viveu uma situação extrema “sem as músicas, não teria o filme”.  Seu recurso foi apelar, em uma carta, ao líder do grupo, Robert Smith. “Você mudou a minha vida!”, escreveu para ele.