Home Top Ad

Quarta temporada de Vivendo com o Inimigo estreia no Investigação Discovery

Share:

NOVA TEMPORADA TRAZ HISTÓRIAS DE FAMÍLIAS QUE DESCOBRIRAM SER LARES DE ASSASSINOS
Divulgação ID
Os casos reais trazidos pela nova temporada de VIVENDO COM O INIMIGO (Evil Lives Here) são baseados em relatos de quem já dedicou amor e carinho a pessoas que, só depois, revelariam seus instintos homicidas.

Com estreia na terça-feira, 28 de maio, às 23h05, a nova leva de episódios continua com entrevistas exclusivas nas quais essas vítimas indiretas de crimes hediondos narram a dor de constatar que confiaram em assassinos e os mantiveram em seus próprios lares.

Cada episódio de uma hora aborda um caso diferente, utilizando dramatizações para reconstituí-lo sob a perspectiva daqueles que conviviam com os criminosos.  Os depoimentos fortes, carregados de emoção, servem de ponto de partida para a série. Completam o panorama dos casos materiais como imagens de arquivo, entre elas registros dos julgamentos e entrevistas com promotores e procuradores que estiveram à frente da acusação em cada caso.

Ao narrar os fatos de dentro desses lares prestes a se desfazerem, VIVENDO COM O INIMIGO cria uma trama de suspense e tensão em torno da descoberta aterradora dessas pessoas comuns que se viram envolvidas em casos de polícia.

Divulgação ID
Alguns desses familiares viram pistas de que algo muito errado poderia estar em curso, mas não conseguiram entender a gravidade da situação a tempo. Outros, em negação, fecharam os olhos para o mal que tinham dentro da própria casa. Há ainda aqueles que foram atrás de justiça. Todos eles, entretanto, viveram o momento crítico do confronto com a verdade: aquela pessoa amada e em quem confiavam plenamente é um assassino monstruoso.

O episódio que inaugura a nova safra conta a história de Karen Kuzma, uma jovem que sempre teve seu irmão mais velho como grande exemplo.  Hoje, ela conta que a dor trazida pelos crimes que ele cometeu ainda a assombra – por mais que ela tente, há três décadas, perdoá-lo.

Karen acredita que falar sobre as mais de 33 vidas brutalmente destruídas pelo irmão, o serial killer John Wayne Gacy, a ajudará a finalmente expurgar os sentimentos contraditórios que ainda traz consigo. Ela conta que chegou a perceber mudanças no comportamento do irmão ainda na adolescência deste, que até então havia ocupado o lugar de amigo e protetor. No entanto, ela não tinha condições de prever que essas mudanças, ocorrida em meio ao relacionamento difícil com o pai violento, significariam o surgimento de impulsos assassinos. As vidas da família do assassino, de Karen, de filhos dele e da ex-esposa, também desmoronaram quando essas pessoas descobriram que Pogo, o palhaço que John criou, servia de atrativo para vítimas.