Home Top Ad

Canal Brasil - Destaques da programação de 05 a 11 de agosto

Share:

Divulgação Canal Brasil
Conheça os destaques da programação do Canal Brasil de 05 a 11 de agosto.

SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO 

ANIMA MUNDI BRASIL
INÉDITO 
Episódio: Jornadas de Transformação
1º Horário: Segunda, dia 5/8, às 21h
Rebatidas: Terça, dia 6/8, às 7h30; e quinta, dia 8/8, às 14h
Classificação: Livre

Sinopse: Em sua nona temporada, o Anima Mundi Brasil traz mais uma seleção dos melhores curtas-metragens do festival para o Canal Brasil. Sob a curadoria de Aida Queiroz, César Coelho, Marcos Magalhães e Léa Zagury – esta última também responsável pela direção do programa –, as animações escolhidas mostram o que há de mais belo, moderno e interessante sendo produzido pela nova geração de talentos nos últimos anos. Com base no melhor do acervo do festival Anima Mundi, cada episódio do programa gira em torno de uma temática específica. Jornadas de Transformação”, Beirando o Colapso, Cada Passo, uma Escolha, Reféns do Medo e Encantos e Desencantos são alguns dos temas abordados nesta temporada, que traz 37 curtas-metragens de animação.

Neste episódio: Os curtas “Pruu (2017)”, “147 (2010)”, “Contra Feitiço (2017)”, “As Bordadeiras do Jardim (2017)” e “Aurora (2017)” abordam o crescimento pessoal.

ESPELHO 
INÉDITO 
Convidada: Monique França
1º Horário: Segunda, dia 5/8, às 21h30
Rebatidas: quarta, dia 7/8, às 13h30; e quinta 8/8, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Idealizado e apresentado por Lázaro Ramos, o programa segue sua busca pela pluralidade e atualidade, e, este ano, 14º no ar no Canal Brasil, tem como mote central o acolhimento e traz uma novidade: uma série de quatro episódios sobre religião tendo Monja Coen, Padre Vilson Groh, o pastor evangélico Henrique Vieira e a mãe de santo Egbomi Cici como convidados. Quem abre a temporada é Baco Exu do Blues. Lázaro recebe ainda convidados como: Fátima Bernardes, Péricles, Sophie Charlotte, Maíra Azevedo e Yuri Marçal, Poliana Abritta, Alexandre Nero e Luedji Luna. O humor também está bastante presente este ano, não só pela presença de humoristas como Thalita Carauta e Marcos Veras, mas também com convidados como Edy Star e Duh Moraes, que usam essa ferramenta como complemento para suas produções artísticas. Outra novidade é o quadro “Poesia no Espelho”, em que o poeta e influenciador digital baiano Jordan Villas Boas recita versos enquanto correm os créditos do programa.

Neste episódio: A médica Monique França fala sobre o trabalho na favela do Jacarezinho (RJ) e denuncia a omissão do Estado e a incapacidade da classe em atender com dignidade as áreas periféricas.

A ARTE DO ENCONTRO
REPRISE
Convidada: Ana Lúcia Torre
1º Horário: Segunda, dia 5/8, às 22h
Rebatidas: terça, dia 6/8, às 13h30; e quarta, 7/8, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Após 13 episódios comandados por Tony Ramos, Bárbara Paz assume o lugar do ator no comando da quarta temporada de “A Arte do Encontro”, do Canal Brasil, na quarta-feira, dia 14. Nos próximos programas, a atriz vai receber Bia Lessa, Daniel Dantas, Elisa Lucinda, Luis Miranda, Maria Ribeiro, Paulinho Moska, Xico Sá e Zélia Duncan para conversas intimistas intercaladas por leituras de trechos de livros, poesias e peças de teatro.

Neste episódio: “O artista sempre se sente sozinho em algum momento”. A atriz Ana Lúcia Torre reflete sobre a eterna busca por conhecimento de si próprio e destaca sua crença por uma nova geração lutadora.

DUNAS DO BARATO 
PRINCIPAL
Episódio: As Musas e Os Poetas
Horário: Segunda, dia 5/8, às 22h30
Rebatidas: quinta, dia 8/8, às 13h30; e sexta, dia 9/8, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: A praia de Ipanema é um dos cartões-postais mais conhecidos do Rio de Janeiro. No início da década de 1970, as águas da zona sul carioca abrigaram um grande píer, e a orla teve sua paisagem radicalmente alterada. A construção, projetada para erguer um emissário que levaria o esgoto da cidade ao mar, propiciou também o surgimento de ondas perfeitas para surfistas e dunas que impediam a visão de pedestres no asfalto. A soma desses fatores é responsável pela idealização de um ponto fértil para o nascimento da contracultura, lugar preferido de atletas, poetas, artistas e revolucionários. A série documental de Olívio Petit resgata um pequeno pedaço dessa memória a partir de depoimentos de quem vivenciou essa história.

O programa, dividido em cinco capítulos temáticos, resgata imagens históricas da praia de Ipanema, contextualizando o momento político do Brasil à época, quando a ditadura militar ainda enfrentava seu período mais crítico. No episódio de estreia, a série apresenta as musas e os poetas nascidos no lugar. Nas semanas seguintes, surfistas como Rico de Souza e Evandro Mesquita lembram as dificuldades enfrentadas com a repressão do exército nas ruas e Carlos Vergara e Moraes Moreira falam sobre música, arte e moda, remontando um pedaço importante da memória do Rio de Janeiro e de todo o país.

Neste episódio: No episódio de estreia da série, personalidades resgatam a história das musas e dos poetas que surgiram nas areias de Ipanema, no Rio de Janeiro, em 1970.

O SOM DO VINIL
INÉDITO
Episódio: Letrux – Em Noite de Climão
1º Horário: Segunda, 5/8, às 23h
Rebatidas: sexta, dia 9/8, às 13h30; e sábado, dia 10/8, às 7h
Classificação: Livre 

Sinopse: Charles Gavin se jogou de cabeça no universo feminino para traçar um panorama inédito da música brasileira sob a ótica de grandes mulheres, das mais diferentes gerações. A 13ª edição do programa O Som do Vinil apresenta entrevistas com 27 intérpretes, compositoras e musicistas. Este ano, as conversas vão além da arte, e questões de gênero, machismo e homofobia são discutindas pela primeira vez. “O meio da música ainda é muito machista e até hoje a mulher é muito associada ao ofício de cantora. Não existe na língua portuguesa o feminino da palavra ‘músico’. Eu chamo as artistas da música de musicistas, mas é uma licença poética”, diz Gavin, que reuniu uma equipe inteiramente formada por mulheres para esta temporada. A direção do programa é dele e de Gabriela Gastal.

Os episódios passeiam pela história de discos notáveis produzidos por artistas da nova geração, como a carioca Letrux e a baiana Xênia França, e de grandes damas como Elza Soares, Sandra de Sá, Leny Andrade e Gal Costa, que abre a temporada. O baterista e pesquisador ainda recebe personalidades como Roberta Sá, Fernanda Takay, Zélia Duncan, Leila Pinheiro, Joyce, Fátima Guedes, Simone, Dóris Monteiro e Joanna, Tia Surica e Aurea Maria, da Portela, entre outras. E joga luz sobre artistas que estão longe dos holofotes, como Sandra Pera, que depois de deixar As Frenéticas lançou um único LP solo, em 1983; Doris Monteiro, rainha do rádio, que ela fala sobre o disco “Sobre Doris Monteiro”, de 1969; e Eliana Pittman, que comenta o álbum “Tô Chegando, Já Cheguei”, de 1974, e sobre o ápice de sua carreira, quando tocou no Olympia de Paris e foi entrevistada por Jerry Lewis, em seu talk show.  
Neste episódio: O titã Charles Gavin apresenta os bastidores de álbuns que se tornaram clássicos da MPB. Os depoimentos dos artistas e personalidades do cenário musical revelam o processo criativo de cada obra.
 
O PAÍS DO CINEMA
REPRISE
Episódio: Tatuagem
1º Horário: Segunda, dia 5/8, às 23h30
Rebatidas: terça, dia 6/8, às 7h; e segunda, dia 12/8, às 13h30
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fabiula Nascimento comandou, durante dois anos, um mergulho na história do cinema brasileiro em O País do Cinema. No terceiro ano da atração, a atriz passa o bastão para a também intérprete Andreia Horta, que assume a posição de apresentadora para receber realizadores, diretores e intérpretes e colocar em pauta uma abordagem crítica e informativa da produção nacional recente. O programa dirigido por Marcello Ludwig Maia foca sua atenção em filmes da mais recente safra da sétima arte do país. Entre os escolhidos estão trabalhos de premiados artistas como Laís Bodanzky, Julio Bressane, Cláudio Assis, Ruy Guerra, Camila Pitanga, Fellipe Barbosa, Sérgio Rezende, Caroline Leone, Carolina Jabor, Jorge Durán e Hilton Lacerda, entre outros.

Neste episódio: Hilton Lacerda e Rodrigo Garcia, diretor e ator de "Tatuagem", são os convidados de Andréia Horta. Os entrevistados comentam a atualidade do roteiro ambientado em 1978 e o papel da arte marginal.

ELETROGORDO
INÉDITO
Convidado: Dexter
1º Horário: Segunda, dia 5/8, à 0h
Rebatida: Terça, dia 6/8, às 11h15
Classificação: 14 anos

Sinopse: Personalidade irreverente da cultura pop brasileira, conhecido pelas letras anárquicas e apresentações explosivas nos palcos com os Ratos de Porão, João Gordo chega à quarta temporada de sua atração no Canal Brasil trazendo convidados ainda mais provocativos e questionadores. O cenário do programa dirigido por André Barcinski é o mesmo; o cantor continua comandando uma pequena oficina de eletrodomésticos cujos frequentadores trazem sempre um aparelho velho, mas o reparo pouco importa. Todos chegam ali para trocar dois dedos de prosa com o mecânico, em papos sobre a vida e a carreira, sempre com revelações bombásticas sobre suas histórias e comentários cômicos e curiosos.

João Gordo, que comanda a conversa praticamente sem cortes e sempre com um tom leve de amigos de longa data conversando, fez questão de escolher entrevistados – alguns indicados por sua filha, Victoria, de 14 anos – com um perfil confrontador. A lista inclui a ex-deputada e ex-candidata à presidência, Manuela D’Ávila; a jornalista, escritora e apresentadora de televisão Barbara Gancia; o poeta e romancista Ferréz; o compositor, ator e músico André Abujamra e uma seleta lista de personalidades do rap e hip-hop, como BNegão, Karol Conka, Preta-Rara e Rincon Sapiência – com destaque para o reencontro de Dexter e Afro-X, fundadores do icônico 509-E, que finalmente acertaram suas desavenças na oficina do apresentador. Adriane Galisteu, Danilo Beyruth, Dudu França, Edu Lane, Eliane Dias, Fernanda Lira e Gilliard, entre outros, também aparecem na loja com suas bugigangas.

Neste episódio: O rapper Dexter fala sobre a tragédia que o fez largar as drogas e denuncia um sistema arbitrário que transforma o pobre em bandido, enquanto mantém a periferia carente de cultura e educação.

TERÇA-FEIRA, 6 DE AGOSTO

FAIXA MUSICAL – Geraldo Azevedo – Solo Contigo
1º Horário: Terça, dia 6/8, às 14h
Rebatidas: quarta, dia 7/8, às 9h15; e quinta dia 8/8, às 11h25
Classificação: Livre

Sinopse: Geraldo Azevedo apresenta um show intimista, interpretando sucessos de sua trajetória e canções inéditas. O repertório traz faixas como “Táxi Lunar” e “Bicho de Sete Cabeças”.

TRANSMISSÃO 
INÉDITO 
Convidada: Madama Brona
1º Horário: Terça, dia 6/8, à 0h
Rebatidas: Quarta, dia 7/8, às 14h10; e sexta, 9/8, às 15h55
Classificação: 12 anos

Sinopse: Linn da Quebrada e Jup do Bairro são duas das mais revolucionárias personalidades da nova geração da cultura brasileira. Suas apresentações de rap nas periferias são incendiárias e críticas, com letras focadas nos dilemas do universo LGBTQI, na desigualdade social e questões raciais. Suas trajetórias encantaram os documentaristas Kiko Goifman e Claudia Priscila, diretores de Bixa Travesti (2018), no qual elas expõem suas rotinas e mostram como suas posturas nos palcos visam desconstruir estereótipos de gênero, raça e classe. Novamente juntos, cineastas e cantoras estrelam o novo programa da faixa da meia-noite no Canal Brasil, dando sequência ao bastão passado por Laerte Coutinho em Transando com Laerte, que se despede da grade depois de quatro temporadas.

O talk show comandado pelas plurais artistas traz convidados para um bate-papo irreverente, no qual questões de gênero, sexo e raça são frequentemente abordadas, mas não limitadoras a conversa. O papo com Laerte Coutinho fala sobre transexualidade, mas também aborda relacionamentos amorosos e religião. Com a funkeira MC Carol, elas discutem a influência do rap na periferia e a descoberta da veia artística. A deputada Erica Malunguinho fala sobre a dificuldade de pessoas trans em ocupar espaços de poder, tanto na política quanto na academia, e a atriz Glamour Garcia fala sobre aceitação da personalidade. Há espaço ainda para os músicos Jards Macalé, Tom Zé e Letrux, o ex-prefeito Fernando Haddad, a cineasta Anna Muylaert, o ex-jogador de futebol Vampeta e a chef de cozinha Paola Carosella, entre outros.

Neste episódio: “Trago seu amor próprio em sete dias”. A astróloga Madama Brona fala sobre descolonização da espiritualidade e revela não crer em livre arbítrio em virtude das determinações culturais.

QUARTA-FEIRA, 7 DE AGOSTO

PORNOLÂNDIA
INÉDITO
Episódio: Satã, O Senhor dos Bastidores da Pornochanchada
1º Horário: Quarta, dia 7/8, à 0h
Rebatida: Sexta, dia 9/8, às 3h55; sábado, dia 10/8, às 1h30; e domingo, dia 11/08, às 4h35
Classificação: 16 anos 

Sinopse: A musa da pornochanchada Nicole Puzzi retorna à tela do Canal Brasil em entrevistas picantes, com membros do universo da pornografia e do erotismo no país. Sempre em tom irreverente, a apresentadora discute abertamente temas como fetiche, sensualidade, nudez artística e o mercado brasileiro de filmes adultos. A anfitriã está ainda mais curiosa e provocativa no quinto ano do programa, seja investigando as práticas sexuais menos comuns, revendo os velhos amigos ou conversando com figuras da indústria pornô. 

Neste episódio: O ator Melquiades Neto (Satã) comenta como o trabalho de guarda-costas do cineasta José Mojica Marins (Zé do Caixão) abriu as portas para sua ativa participação no cinema brasileiro.

QUINTA-FEIRA, 8 DE AGOSTO

302 
INÉDITO
Convidado: Iasmin
1º Horário: Quinta, dia 8/8, à 0h
Rebatidas: Sábado, dia 10/8, às 1h45; e segunda, dia 12/08, às 3h55
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fotógrafo consagrado pelo olhar perspicaz e retratos impactantes em preto e branco, Jorge Bispo traz novamente para o Canal Brasil, em sua quinta temporada, um de seus projetos mais ousados. Em 302, o artista recebe em seu próprio apartamento 13 mulheres comuns que toparam tirar a roupa à frente de sua câmera. Longe dos rígidos padrões de beleza estabelecidos pelas celebridades por ele já clicadas, cujas fotos estamparam capas das principais publicações do país, Bispo traz à tela uma iniciativa artística e minimalista.

Neste episódio: “Troquei a opressão do meu pai pela dos namorados que tive”. Iasmin manifesta o processo para tomar posse do próprio corpo graças ao feminismo e destaca a importância da individualidade.