Home Top Ad

Investigação Discovery estreia a série inédita "Câmera Crime"

Share:

Divulgação ID
Câmeras de vigilância guardam registros de pessoas comuns que vêm e vão, cenas curiosas, engraçadas, comoventes e, por vezes, representam o testemunho aterrador dos últimos momentos de vida de alguém que está prestes a ser vítima de homicídio.

CÂMERA CRIME (The Murder Tapes), nova série que o Investigação Discovery estreia na sexta-feira, 10 de janeiro, às 22h10, utiliza registros de câmeras de segurança que passaram a ser de acesso exclusivo da polícia para recapitular investigações de assassinatos nas quais essas imagens foram cruciais para a solução dos casos e prisão dos autores.

Em cada um dos dez episódios da temporada um caso é revisto a partir do acesso exclusivo da produção a esses vídeos. As imagens foram feitas por câmeras instaladas dentro das viaturas e das delegacias, nas residências e empresas próximas às cenas dos crimes e por dispositivos de captação acoplados aos uniformes dos agentes policiais.

Nesse material estão documentadas as primeiras reações dos oficiais e testemunhas, registros de suspeitos, averiguação de álibis, contradições que aparecem durante interrogatório, descoberta de evidências e uma série de informações que são utilizadas para a solução dos casos.

Junto aos vídeos estão fotografias e áudios de conversas entre polícia, testemunhas e suspeitos, além dos depoimentos dos investigadores que ajudam a montar a cronologia dos casos; em suas falas, essas fontes descrevem como conduziram as principais etapas das apurações, suas hipóteses, suspeitas e achados.

O episódio de estreia retorna ao dia 29 de dezembro de 2006, quando o bombeiro Don Fluitt foi encontrado morto na garagem de casa. As imagens compiladas pela produção mostram a chegada da polícia à cena do crime, onde os agentes acharam o corpo inerte da vítima com um corte profundo no pescoço.

Entre as fontes do episódio estão os policiais que responderam ao chamado de emergência feito por uma colega de trabalho da vítima que havia ido à casa de Don a pedido da filha deste –  a menina tentava, sem sucesso, falar com o pai há algumas horas e esteva preocupada. Sharron Fluitt, mãe de Don, também fala às câmeras.

A hipótese de latrocínio foi quase que imediatamente descartada, já que itens de valor estavam intocados na residência. As imagens das câmeras de vigilância particular, instaladas na casa de um vizinho da vítima, captam a chegada da vítima em casa – inadvertidamente para encontro de um destino trágico. Sutilezas registradas nesse vídeo, tais como a sombra da luz da garagem de Don que mostrava o tempo de fechamento da porta automática, foram fundamentais para a prisão do assassino.