Home Top Ad

Lucas, o quase vilão do BBB 20

Share:

Divulgação Globo/João Cotta
Um quase vilão? Um vilão do bem? “Cada um tem a sua maneira de interpretar as coisas, mas eu não me acho um vilão, não. Eu entrei para competir”, define Lucas, o quarto eliminado do ‘Big Brother Brasil 20’. Com 62,62% dos votos, ele deixou a casa depois de enfrentar Babu Santana e Victor Hugo no paredão. Seu objetivo era fazer jus ao game e jogar para valer. Não doou estalecas, foi apontado como influenciador, falou para quem quisesse ouvir que, com ele, era “Oito ou 80”. Para Lucas, tudo foi válido para encarar o confinamento. A seguir, mais sobre o ponto de vista de ex-brother.
Como foi a sua passagem pelo BBB 20?
Eu só tenho a agradecer. Fui muito bem tratado, do início ao fim, desde a primeira seletiva até a eliminação. Uma experiência única.
Qual foi o melhor momento dessa experiência? 
Tive ótimos momentos. As amizades que eu fiz lá dentro, ter conhecido pessoas com personalidades tão diferentes... Mas foi na primeira prova, em grupo e ainda com o muro na casa, que a ficha começou a cair. Ali eu entendi que era uma competição mesmo.
E o que foi mais difícil para você?
O mais difícil foi estar confinado. Não poder sair e nem saber o que está acontecendo aqui fora. 
O que mais te surpreendeu lá dentro?
A infraestrutura da casa é de outro mundo. São muitas câmeras e eu não tinha familiaridade com essa exposição. É muito diferente viver com câmeras te filmando para milhões de pessoas. Mas o BBB é muito melhor do que eu imaginava. Superou todas as minhas expectativas.
Qual era a sua principal estratégia para chegar ao primeiro lugar? 
A minha estratégia era ser eu mesmo, não interpretar nenhum personagem. As pessoas gostando ou não do meu jeito de ser, eu não iria ser quem eu não sou. Fui a mesma pessoa do início ao fim. 
A sua decisão de não doar as estalecas irritou muita gente na casa e foi bastante repercutida aqui fora. Qual era o seu objetivo com essa jogada?
O ‘Big Brother Brasil’ é uma competição, um jogo. Fiz isso para desestabilizar os outros participantes. Eles usaram as armas deles para me desestabilizar e eu usei as minhas. Achei que era válido. 
Foi esse o motivo usado por Guilherme para te colocar no paredão. Você se arrepende de ter tomado essa decisão? 
Não me arrependo. Faria de novo e, se eu voltasse desse paredão, seria zero estalecas mais uma vez (risos). Se desse para desestabilizar os outros jogadores, desestabilizaria o máximo possível.
Mas você acabou eliminado. Ainda acha que foi a melhor estratégia?
Eu sou assim, sou competitivo. Não mudaria o que eu fiz. Não sei se todo mundo me acompanhou 24 horas por dia, talvez muita gente tenha se deixado levar pelo que ouviu dizer, pelos burburinhos. Isso pode ter influenciado na minha saída. O BBB tem torcidas muito fortes.
No começo dessa semana, no jogo da discórdia, você foi classificado pela maioria dos confinados como um influenciador. Você se sente dessa maneira? 
Eu concordo e fico bem feliz de ter conseguido influenciar bastante gente, assim como influenciei o Guilherme e o Babu a pararem de fumar, o Hadson a não falar tanta besteira. Espero conseguir influenciar cada vez mais gente pelo lado positivo.
Você se considera um vilão desta edição?
Cada um tem a sua maneira de interpretar as coisas, mas eu não me acho um vilão, não. Eu entrei para competir. 
Como foi viver a divisão Pipoca x Camarote dentro da casa?
Lá dentro isso não influenciou em muita coisa. Independente do grupo, todo mundo tinha que conviver junto, em harmonia, na mesma casa.
Nesse convívio você acabou ficando muito amigo do Prior. O que vocês tinham em comum?
O nosso pensamento de ser competitivo, de ganhar as provas, era muito parecido. A gente tinha muitas ideias diferentes também, mas um respeitava o outro, independente de concordar não. Cada um agia conforme seu coração mandasse.
Além do Prior, você fez outras amizades na casa? 
Com certeza. Quero levar todos os 19 participantes comigo daqui para frente. Aqui fora não tem jogo, quero ser amigo de todos eles, sem exceção.
Quem você acha que está forte no jogo? 
Acho o Prior muito forte. 
Por quem está torcendo?
Para o Prior!
Fora do BBB, quais são os seus planos? 
Agora eu quero curtir os meus amigos, minha namorada, minha família. Aproveitar (risos)! 
Se você pudesse resumir em uma palavra a experiência do ‘Big Brother Brasil 20’, qual seria?
Indescritível. Positivamente falando.
O 'BBB20' tem direção geral de Rodrigo Dourado e apresentação de Tiago Leifert. O programa vai ao ar segundas, terças, quintas, sextas e sábados, após ‘Amor de mãe’, quartas, após o ‘Segue o jogo’, e domingos, após o 'Fantástico'.