Home Top Ad

Embarque na edição especial de 'Novo Mundo'

Share:

Divulgação Globo/Mauricio Fidalgo
A partir da próxima segunda-feira, dia 30, o público vai poder matar a saudade dos personagens de 'Novo Mundo', que volta em uma edição especial. E quem não teve a oportunidade, em 2017, também irá embarcar em uma jornada de lutas e aventuras, que vai transformar vidas e interferir diretamente no rumo da história: a que está nos livros e a que ficou guardada no coração de quem viveu naquela época. Seja bem-vindo a esta viagem!

Há quase 200 anos, uma travessia grandiosa do Atlântico trouxe a arquiduquesa austríaca Leopoldina (Leticia Colin) ao Brasil para se tornar a esposa de Dom Pedro I (Caio Castro) e personagem fundamental no processo de independência do país. Nesta mesma viagem, dois jovens se apaixonam e despertam para o Brasil que encontram. Na trama, o romance ficcional entre a professora de português Anna Milmann (Isabelle Drummond) e o ator Joaquim Martinho (Chay Suede) se entrelaça à luta do Brasil pela construção de uma nação independente. 'Novo Mundo' é uma aventura romântica ambientada no Brasil do início do século XIX, entre 1817 e 1822, escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson, com direção artística de Vinícius Coimbra, juntos também na criação e no desenvolvimento de 'Nos Tempos do Imperador'.
Anna é uma escritora inglesa que tem a missão de acompanhar Leopoldina e ensinar a nova língua para a futura princesa. Joaquim é um atrevido ator de commedia dell’arte, que embarcou no navio por acaso e se tornará o herói desta história por ter como principal missão na vida o bem comum. Ao cruzarem seus destinos, terão que lutar contra muitos obstáculos para ficarem juntos. No seu encalço, o oficial inglês Thomas Johnson (Gabriel Braga Nunes), que vê em Anna o melhor cartão de visitas para suas ambições. O casal se envolverá intensamente nos acontecimentos que culminam na separação do Brasil de Portugal, ao lado de Dom Pedro I e Leopoldina, em um período em que o Brasil já havia deixado de ser colônia para ser um Reino unido a Portugal.

Para os autores, a volta da novela no horário é uma oportunidade de trazer alegria para o público que está em casa e fazer uma ponte natural para a próxima trama que irá estrear. "As pessoas vão conhecer personagens que em 'Novo Mundo' eram crianças, cresceram e terão suas tramas desenvolvidas em 'Nos Tempos do Imperador'. Vão poder entender melhor Dom Pedro II, criado para ser tão diferente do pai, e ver a diferença entre o Brasil de 1820 e o de 1860”, declara Alessandro. "Temos um amor enorme por essa novela, que, além de ter sido nossa estreia como autores titulares, foi muito bem recebida pelo público. É uma oportunidade de refrescar a memória de quem já assistiu e cativar um público futuro para a próxima. 'Novo Mundo' é uma novela cheia de aventura, romance, muito humor e personagens que ficaram muito queridos de todos. E ainda fala de um herói, Joaquim, que luta pelo bem coletivo, tudo que esse momento de pandemia pede”, complementa Thereza. 

Os autores lembram também dos personagens que são campeões nas lembranças deles e do público, como Elvira (Ingrid Guimarães), Germana (Vivianne Pasmanter), Licurgo (Guilherme Piva), Leopoldina (Leticia Colin) e citam com carinho os núcleos da trama. "Adorávamos escrever para o trio Germana, Licurgo e Elvira porque podíamos fazer quase tudo com eles. Leopoldina cativou demais o coração das pessoas e, nesse sentido, sabemos que foi muito importante para ela ter sua história conhecida por milhões de brasileiros. Deixou saudades também o jeito impulsivo de Pedro, tão novelesco! Além de Anna e Joaquim, casal mais que querido, romântico e responsável, assim como os piratas, Miss Liu (Luana Tanaka), os índios, o núcleo de empregados da Quinta, Amália (Vanessa Gerbelli), Dr. Peter (Caco Ciocler), Cecília (Isabella Dragão), Libério (Felipe Silcler), Diara (Sheron Mennexes), Wolfgang (Jonas Bloch) e todos que fizeram parte dessa história", lembram Thereza e Alessandro.

Já Vinícius Coimbra ressalta o quanto foi importante levar a história do Brasil para o povo brasileiro. "Vivemos tempos marcados pela descrença, pelo desânimo com os rumos do país, e a novela retratava o nascimento dessa grande nação, tentando resgatar o orgulho de ser brasileiro. Levar isso para as pessoas foi especial", ressalta o diretor artístico.

Novo Mundo’ é escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson, com Duba Elia, João Brandão e Renê Belmonte e tem direção artística de Vinícius Coimbra e direção de André Câmara, João Paulo Jabur, Bruno Safadi, Guto de Arruda Botelho e Pedro Brenelli.

ENTREVISTA COM LETICIA COLIN
Fale um pouco sobre a experiência de interpretar Leopoldina em 'Novo Mundo'. O que você destaca na personagem?
Leopoldina é uma personagem complexa, tinha um pensamento avançado para o tempo. Foi uma governante admirável. Na novela, vamos poder acompanhar o quanto ela foi importante para o desenvolvimento do país e o quanto sua conduta é inspiradora. Era muito voltada para educação, cultura e ciência, uma humanista. É lindo ter esse exemplo. Estamos falando de 1817, essa personagem é muito rica em todos os sentidos. Era uma princesa, totalmente subjugada aos costumes da época, de subserviência ao marido e à cultura machista do patriarcado. A função dela era ter filhos e dar continuidade à família. Tem também esse lado todo conservador. Era amante de cavalos e de cavalgadas. Uma figura histórica muito interessante, forte e, ao mesmo tempo, frágil. Ela abre mão do convívio com a família dela, na Áustria, e vem para um país muito distante.

Quais cenas mais te marcaram?
Eu adoro as cenas da Leopoldina jogando bilha. Foi uma surpresa descobrir que o esporte do bilhar era uma coisa da realeza. Tivemos uma cena na novela da gente tentando jogar sinuca no navio. Foi muito curioso! Porque como se joga em um navio? As cenas com a filha também eram lindas, assim como as com os funcionários da casa, a Dalva (Mariana Consoli), a Lurdes (Bia Guedes), quando ela desabafava. Achava bonita essa relação. Ela conseguia se abrir.

O que achou do anúncio sobre a edição especial da novela?
Achei muito pertinente. Precisamos conhecer muito mais a história do nosso país, e a figura de Leopoldina é inspiradora nesse tempo em que as referências de governantes são tão decadentes. Ela era realmente uma mulher notável, com muitas qualidades e aspectos positivos para gente se espelhar.

Você estava ansiosa pela estreia de 'Nos Tempos do Imperador'? Afinal, Dom Pedro II é filho de Leopoldina, sua personagem, com Dom Pedro I (Caio Castro).
Estava muito ansiosa para a estreia de ‘Nos Tempos do Imperador’ porque adoro novelas de época e que contam a história do Brasil. Adoro o elenco que está lá, sou amiga da maioria deles, fiquei muito amiga dos diretores e criadores, Thereza Falcão e Alessandro Marson, que são dessa nossa equipe de ‘Novo Mundo’. Sempre vou assistir a tudo o que fizerem, ainda mais sendo uma continuidade com o filho da Leopoldina, o Dom Pedro II, que o Selton Mello deve estar fazendo brilhantemente. É um dos atores que mais admiro. Somos amigos também. Tem muitas coisas que acho encantadoras em 'Nos Tempos do Imperador'. E tenho muito interesse em conhecer a história desse homem, né? Vai ser muito bacana a gente poder fazer essa revisão histórica com ‘Novo Mundo’ para depois receber a nova novela tendo compreendido o que aconteceu antes.

Qual foi o maior desafio ao fazer a novela?
É sempre muito desafiador fazer novela de época, porque tem um rigor e um cuidado com os signos e códigos todos da época. Então estudamos desde boas maneiras para entender aquele gestual, os pratos na hora do jantar. Tivemos aulas de montaria, de espada. Era uma novela feita com muita leveza e muito amor. Um bastidor muito agradável. Eu tenho as melhores memórias do mundo dessa época. Fomos muito felizes fazendo a novela.

Como será rever 'Novo Mundo'?
Estou feliz porque agora vou pode assistir. Tenho um carinho enorme pela Isabelle Drummond, uma atriz que admiro desde sempre. Então, vou poder rever esse trabalho dela, que está muito bem como a Anna Millman. O meu parceiro, Caio Castro, que faz um brilhante Dom Pedro I. Fomos muito felizes fazendo essa novela. Tem ainda o Chay Suede e a Ingrid Guimarães, que é uma pessoa que também conheci por causa da novela. O personagem que ela faz, a Elvira, é uma coisa inesquecível. Qualquer cena dela eu adoraria rever, acho muito bem humorado, divertido e bem feito. Também adorava as cenas do Quinzinho (Theo de Almeida). O Theo era muito jovem e talentoso. Ficávamos muito comovidos com o trabalho dele, o envolvimento, a dedicação, a paixão que ele tinha para ir gravar todos os dias. Tem um monte de coisa boa nessa novela pra gente curtir.

Como acha que a novela vai contribuir nesse momento do país?
Nesse momento, a gente precisa ser responsável e amoroso acima de tudo. Temos que ter esperança e cuidar das pessoas mais vulneráveis dos nossos grupos de risco. A novela vem como um presente, pois vamos poder assistir, se entreter e passar um tempo com essas figuras e histórias inspiradoras de superação. Histórias de vida e outras reais, né? Sempre gostei e acho estimulante poder assistir coisas que estão retratando um período que aconteceu aqui, para conscientizar. E temos que aproveitar para nos transformar e fortalecer nessa quarentena. Conectar com o que é essencial, exercitar nossa compaixão, nossa simpatia, para voltarmos mais fortes e melhores depois disso. Acho que esse é um grande momento de evolução. Que a gente tire disso tudo um aprendizado sobre a nossa coletividade e vulnerabilidade aqui no planeta Terra.

ENTREVISTA COM ISABELLE DRUMMOND

O que você achou de Novo Mundo ter sido escolhida para ser exibida neste momento?
Adorei essa notícia. Apesar do momento difícil, a arte nos cura muito. Acho que, no que pudermos nos ajudar nesse momento, melhor. 'Novo Mundo' é uma novela especial. A personagem Anna Millman foi muito importante dramaticamente, e seu diário, muito poético. É o olhar dela sobre toda essa história. Ela é muito forte. E a história do Brasil precisa ser contada. É lindo esse enredo.

Qual cena gostaria de rever? E que lembranças você guarda da época?
Quero rever algumas cenas como a do tiro em Joaquim (Chay Suede) no barco e as nossas lutas, pois foram muitas madrugadas gravando naquele barco. O barco é uma dessas lembranças com certeza. O elenco se uniu muito para todas aquelas lutas. Fizemos quase tudo, mas nos treinaram muito antes. Foi a melhor preparação de novela que já fiz.

A novela estreou em 2017. Como acha que o público vai recebê-la agora?
Acho que muito bem. Estamos vivendo um momento difícil no país e no mundo. É bom falar sobre nossa cultura. Entender de novo o porquê de sermos quem somos.

O que aprendeu com sua personagem?
Ah, muitas coisas! Anna é arte pura. Gostava de poesia, pintura e contemplava a natureza, obra de Deus. E além disso, tirava uma lição de tudo o que vivia. Aprendi muito com ela.

Como foi a experiência de trabalhar com esse elenco e equipe?
Foram muitos encontros lindos. Dhu Moraes, Rodrigo Simas, meu querido irmão, Leticia Colin, Chay Suede. Todos uns queridos, além dos diretores que adoro, Vinícius Coimbra, Bruno Safadi. Só tinha gente do bem.

PERFIS DOS PERSONAGENS
Os protagonistas

Joaquim Martinho (Chay Suede) – Jovem ator, sua vida se transforma totalmente quando ele embarca no navio rumo ao Brasil. Apaixonado por Anna (Isabelle Drummond), torna-se um herói e defensor de Dom Pedro I (Caio Castro). Grande entusiasta da independência brasileira. No início da trama, é casado com a colega do teatro, Elvira (Ingrid Guimarães).
Anna Millman (Isabelle Drummond) – Inteligente, forte e culta, a jovem inglesa professora de português de Leopoldina (Leticia Colin), se apaixona por Joaquim (Chay Suede) e pelo projeto de nação brasileira. Se envolve com Thomas (Gabriel Braga Nunes) e chega a sofrer com as investidas de Dom Pedro I (Caio Castro), mas não deixa de amar Joaquim. Durante a viagem para o Brasil, começa a escrever seu diário de viagem. É irmã adotiva de Piatã (Rodrigo Simas) e filha de Sir Edward, desaparecido misteriosamente no Brasil.
A realeza
Dom João (Leo Jaime) – Rei português, casado com a rainha espanhola Carlota (Débora Olivieri). Pai de Dom Pedro I (Caio Castro), Maria Tereza (Carolina Pismel) e Miguel (Daniel Rangel).
Carlota Joaquina (Débora Olivieri) – Rainha espanhola casada com Dom João (Leo Jaime). Mãe de Dom Pedro (Caio Castro), Maria Tereza (Carolina Pismel) e Miguel (Daniel Rangel). Mandona, vive às turras com Dom João por causa do comportamento de Dom Pedro I e não controla seus impulsos sexuais.
Dom Pedro I (Caio Castro) – Príncipe regente. Mulherengo ao extremo, explosivo e avesso às convenções. É amado pelo povo e apaixonado pela bailarina francesa Noémie (Luisa Micheletti). Casa-se com Leopoldina (Leticia Colin) por procuração depois de um acordo político entre as duas nações. Quando sua família retorna para Portugal e o deixa sozinho no Brasil, transforma-se em um verdadeiro governante e luta para fazer com que o Brasil se livre das injustiças de Portugal. Sua vida muda quando encontra Domitila (Agatha Moreira) pelo caminho. Filho de Carlota Joaquina (Débora Olivieri) e Dom João (Leo Jaime) e irmão de Maria Tereza (Carolina Pismel) e Miguel (Daniel Rangel).
Leopoldina (Leticia Colin) – Filha de Francisco I, princesa da Áustria. Educada, culta, humana, inteligente, foi criada na alta nobreza. Casa-se com Dom Pedro I (Caio Castro) por procuração sem conhecê-lo, após um acordo político entre as duas nações. Acaba se apaixonando pelo Brasil e se tornará uma grande entusiasta da independência. É confidente de Anna (Isabelle Drummond).
Chalaça (Romulo Estrela) – Secretário e alcoviteiro de Dom Pedro I (Caio Castro). Envolve-se com Domitila (Agatha Moreira) que pretende usá-lo para se aproximar de Dom Pedro I (Caio Castro).
Lurdes (Bia Guedes) – Ama portuguesa de Leopoldina (Leticia Colin), fiel e dedicada, embarca com ela para a viagem da Europa até o Brasil.
Maria Tereza (Carolina Pismel) – Irmã de Dom Pedro I (Caio Castro) e Miguel (Daniel Rangel). Filha de Carlota (Débora Olivieri) e Dom João (Léo Jaime).
Miguel (Daniel Rangel) – Irmão de Dom Pedro (Caio Castro) e Maria Tereza (Carolina Pismel). Filha de Carlota (Débora Olivieri) e Dom João (Leo Jaime).
José Bonifácio (Felipe Camargo) – Ministro de Dom Pedro I (Caio Castro). Com a partida da família real para a Europa, torna-se grande amigo e confidente de Leopoldina (Leticia Colin). Inimigo declarado de Domitila (Agatha Moreira) e um grande entusiasta da independência brasileira.
Narcisa Emília (Marcia Cabrita) – Esposa de José Bonifácio (Felipe Camargo), mantém o marido na linha a muito custo. Não raro, vai buscá-lo na boemia. Narcisa está longe de ser uma santa. Ele é a “má boazinha”, que está sempre criticando e fazendo intriga, infernizando os outros, mas com muita simpatia e sorrisos.
Patricio (André Dias) – Mordomo da família real no Brasil. Cúmplice “forçado” de Dom Pedro I (Caio Castro) em suas escapadelas. Controla todo o movimento e serviçais do palácio.
Dalva (Mariana Consoli) – Lacaia da Quinta. Espevitada, vive à procura de um noivo e é parceira de bilhar de Leopoldina (Leticia Colin).
A comitiva de Leopoldina
Piatã (Rodrigo Simas) -– Irmão de criação de Anna (Isabelle Drummond). É um jovem nascido índio, no Brasil, mas criado como europeu na Inglaterra. Ele e o pai Rudá acompanhavam Edward, pai de Anna, em uma expedição, quando Rudá morreu. Edward decide criar Piatã na Europa. Não sabe muito sobre seu passado. Vive sem conseguir se adaptar e procura seu lugar no mundo.
Thomas Johnson (Gabriel Braga Nunes) – É o grande vilão da história. Oficial da marinha inglesa. Vem para o Brasil a serviço da Inglaterra e como espião de Portugal para tentar impedir que o país se torne independente. Seu ponto fraco é ter se apaixonado por Anna (Isabelle Drummond), com quem vai se envolver para se aproximar de Leopoldina (Leticia Colin) e da família real. A fama de herói da marinha britânica esconde a sua verdadeira identidade: um mercenário, traficante de escravos, louco por dinheiro e traidor.
Doutor Peter (Caco Ciocler) – Médico que vem na missão austríaca na comitiva de Leopoldina (Leticia Colin) sem saber o que lhe espera. Vai ficar responsável por cuidar de Dom Pedro I (Caio Castro) e se envolverá não só com a Corte, mas com os cidadãos do novo mundo.
Letícia (Maria João) – Bióloga. Esposa de Ferdinando (Ricardo Pereira). Ela e Ferdinando chegam com a missão austríaca, junto com a comitiva de Leopoldina (Leticia Colin). Farão uma expedição pelas matas do novo mundo.
Ferdinando (Ricardo Pereira) – Botânico. Veio com sua esposa Letícia (Maria João) para o Brasil, junto com a comitiva de Leopoldina (Leticia Colin), para estudar a flora do país. Farão uma expedição pelas matas do novo mundo.
Wolfgang (Jonas Bloch) – Nobre austríaco. Vem para o Brasil na comitiva de Leopoldina (Leticia Colin) e é responsável pelos investimentos e economias da princesa. Casa-se com Diara (Sheron Menezzes) depois de se apaixonar por ela enquanto era sua escrava. Sofre uma grande transformação ao se casar com ela.
Mordomo Schultz (Ruben Gabira) – Mordomo austríaco de Wolfgang (Jonas Bloch). Recusa-se a aprender português. Detesta o Brasil e não suporta Diara (Sheron Menezzes) por quem tem profundo desprezo.
A Estalagem dos Portos
Licurgo Ferreira (Guilherme Piva) – Dono da Estalagem dos Portos, um dos estabelecimentos comerciais mais mal afamados da Corte. Marido de Germana (Vivianne Pasmanter) e a personificação do jeitinho brasileiro de se dar bem e de tirar vantagem em cima dos outros.
Germana Ferreira (Vivianne Pasmanter) – Autoritária, preguiçosa e mandona, a dona da estalagem está sempre ligada nas conversas que escuta e quando pode tira alguma vantagem das informações privilegiadas que consegue. Casada com Licurgo (Guilherme Piva).
Hugo (César Cardadeiro) – Chega à Estalagem em busca de trabalho. Logo desperta sentimentos há muito tempo esquecidos em Germana (Vivianne Pasmanter).
Elvira Matamouros (Ingrid Guimarães) – Atriz portuguesa da mesma companhia de Joaquim (Chay Suede). Ambiciosa, mas muito engraçada e apaixonada por Joaquim (Chay Suede).  Aproveitou de uma fragilidade dele para fazê-lo casar-se com ela. Nunca mais dá sossego ao rapaz.
Quinzinho (Theo de Almeida) – Filho de uma sobrinha de Licurgo (Guilherme Piva), que vem a falecer depois do parto, será criado por ele e por Germana (Viviane Pasmanter) na Estalagem dos Portos e protegido por Elvira (Ingrid Guimarães). Todos acham que ele é mudo de nascença.
Os Piratas
Fred Sem Alma (Leopoldo Pacheco) – Pirata inglês. Conheceu o pai de Anna (Isabelle Drummond), Edward, e sabe vários segredos envolvendo o passado de Thomas (Gabriel Braga Nunes).
Hassan (Thiago Thomé) – Pirata parceiro de Fred Sem Alma (Leopoldo Pacheco).
Família de Domitila
Domitila (Agatha Moreira) – Casada com um oficial da Guarda, Felício (Bruce Gomlevsky), tenta usar Chalaça (Romulo Estrela) para se aproximar de Dom Pedro I (Caio Castro). Não medirá esforços para chegar até o príncipe. Usará sua posição de vítima no casamento com Felício para pedir ajuda ao príncipe.
Maria Benedita (Larissa Bracher) – Irmã de Domitila (Agatha Moreira) e Francisco (Alex Morenno).
Felício (Bruce Gomlevsky) – Marido de Domitila (Agatha Moreira). Oficial do exército. Homem violento que agride fisicamente a esposa.
Francisco (Alex Morenno) – Irmão de Domitila (Agatha Moreira) e Maria Benedita (Larissa Bracher).
Rosa (Alice Morena) – Escravizada de Domitila (Agatha Moreira).
Aldeia indígena
Padre Olinto (Daniel Dantas) – Padre que veio jovem para o Brasil e rebelou-se contra a visão da Igreja Católica sobre os índios e passou a viver junto a eles. Torna-se grande defensor dos índios.
Jacira (Giullia Buscacio) – Índia guerreira que vai contra as regras aplicadas às mulheres na aldeia. Lutará por seus direitos de lutar como os homens, por exemplo. Se apaixonará por Joaquim (Chay Suede), mas, ao saber do seu amor por Anna (Isabelle Drummond), tentará esquecê-lo. Se encantará com o botânico Ferdinando (Ricardo Pereira) ao mesmo tempo em que despertará a paixão de Piatã (Rodrigo Simas).
Cacique Ubirajara (Allan Souza Lima) – Guerreiro e líder de uma das aldeias.
Jurema (Jurema Reis) – Esposa do cacique Ubirajara (Allan Souza Lima).
Pajé Tibiriça (Roney Villela) – Líder espiritual da aldeia.
Outros
General Avilez (Paulo Rocha) – Oficial português a serviço da corte portuguesa. Quer que o Brasil volte a ser colônia. Terá sua esposa Dulcina (Joana Solnado) seduzida por Dom Pedro I (Caio Castro). Será comparsa de Thomas (Gabriel Braga Nunes).
Dulcina (Joana Solnado) – Esposa de Avilez (Paulo Rocha). Será uma das conquistas de Dom Pedro I (Caio Castro).
Noemie (Luisa Micheletti) – Bailarina Francesa. Primeira amante de Dom Pedro I (Caio Castro), por quem ele se apaixona verdadeiramente. Ficará grávida do príncipe. Dom João (Leo Jaime) e Carlota (Débora Olivieri) tentarão afastá-la do filho.
Diara (Sheron Menezzes) – Escrava que se casa com o nobre austríaco Wolfgang (Jonas Bloch) e passa a ser a Baronesa de Paciência. Aparentemente é uma mulher espalhafatosa, mas sua personalidade esconde outras camadas. Filha adotiva de Idalina (Dhu Moraes) e irmã adotiva de Matias (Renan Monteiro), Diara fará de tudo para conseguir a liberdade dos dois e lutará pelo fim da escravidão.
Idalina (Dhu Moraes) – Escrava antiga da casa de Sebastião (Roberto Cordovani). Sabe muita coisa sobre o passado dele. Mãe biológica de Matias (Renan Monteiro) e mãe adotiva de Diara (Sheron Menezzes).
Matias (Renan Monteiro) – Filho de Idalina (Dhu Moraes) e irmão adotivo de Diara (Sheron Menezzes). Faz-tudo da casa. É um homem forte e fiel ao patrão Sebastião (Roberto Cordovani). É apaixonado por Diara (Sheron Menezzes), a quem não suporta ter perdido.
Sebastião Quirino Plácido (Roberto Cordovani) – Representante das Cortes Portuguesas e comerciante de escravizados. Associa-se a Thomas (Gabriel Braga Nunes) para impedir que o Brasil se torne independente. Pai de Cecília (Isabella Dragão), uma jovem rebelde que insiste em contrariá-lo.
Cecília (Isabella Dragão) – Filha de Sebastião (Roberto Cordoavni). Idealista, culta, gosta de estudar. Foi criada em um convento, pois sua mãe morreu na viagem para o Brasil. Se apaixonará por Libério (Felipe Silcler) e terá que enfrentar o pai para ficar ao lado dele.
Libério (Felipe Silcler) – Jornalista, dono do jornal Diário da Corte. Ele se apaixona por Cecília (Isabella Dragão), mas Sebastião (Roberto Cordovani) fará da vida dele um verdadeiro inferno.
Jacinto (Babu Santana) – Capataz de Sebastião (Roberto Cordovani). Faz trabalhos sujos para Thomas (Gabriel Braga Nunes).
Maria Amália (Vanessa Gerbelli) – Portuguesa. Uma mulher misteriosa. Perdeu a memória. Contará com a ajuda de Dr. Peter (Caco Ciocler) para recobrar seu passado e esclarecer o mistério que cerca sua vinda para o Brasil.

Miss Liu (Luana Tanaka) – Chinesa contratada por Thomas (Gabriel Braga Nunes) que se torna confidente de Anna (Isabelle Drummond).
Nivea (Viétia Zangrandi) – Funcionária da casa de Thomas (Gabriel Braga Nunes).
Manoel (Chao Chen) – Chinês de Macau. Está no navio de carga onde Elvira (Ingrid Guimarães) embarca escondida. Vai acobertá-la na esperança de receber o ouro em troca.
Catarina (Alice Borges) – Terá seus pertences roubados por Elvira (Ingrid Guimarães).
Raphael Sander (Guarda) – Guarda europeu.