Home Top Ad

Cinemax exibe Esporte e Impacto Social, novo episódio da série Missões de Vida

Share:

Divulgação HBO
Nesta terça-feira, 26 de maio, às 18h55, no canal Cinemax e na HBO Go, estreia o episódio Esporte e Impacto Social da série Missões de Vida. Por meio das histórias de Eva Alves, fundadora da Comunidade Esportiva Novo Glicério, na região central de São Paulo, e de Luke Dowdney, fundador da ONG Luta pela Paz, que atua no complexo da Maré, no Rio de Janeiro, o programa conta como o esporte não é só uma atividade que visa manter a saúde, mas também uma poderosa arma a favor do resgate social.

No ar, em 10 programas, com episódios inéditos exibidos no canal Cinemax, às terças-feiras, às 18h55 e na HBO GO, Missões de Vida é resultado de uma parceria entre a HBO, a GRIFA FILMES e a NÓS.  Criada por Ana Cláudia Streva e Bruno Modolo, que assina o roteiro ao lado de Selma Perez e Paulo Mattos, a série é produzida por Roberto Rios, Eduardo Zaca, Patricia Carvalho e Rafaella Giannini da HBO Latin America Originals, e por Fernando Dias e Mauricio Dias, da GRIFA FILMES, e Ana Cláudia Streva, da NÓS. A direção é de Mauro Martins, Hélcio Alemão Nagamine e Carlos Baliú, com direção geral de Mara Mourão (dos premiados longas Doutores da Alegria e Quem Se Importa).

Esporte e Impacto Social -Eva Alves e Luke Downey
Canal Cinemax: terça-feira, 26 de maio, às 18h55- NOVO EPISÓDIO- 9

Ex-moradora de rua e trabalhando como faxineira, Dona Eva Alves acompanhava diariamente a fuga de alunos de uma escola perto de casa, na Baixada do Glicério, no centro de São Paulo. Inconformada com a situação, decidiu conversar com as crianças e descobriu que uma forma de atrair o interesse delas era por meio do jogo de futebol. Resolveu, então, fundar o projeto Comunidade Esportiva Novo Glicério, no ano 2000, para oferecer a prática do esporte como opção para vida fora da marginalidade. “Nosso intuito não é formar jogadores, mas mudar princípios e valores para que as crianças fiquem na escola e virem homens de bem”, ela explica.

No programa, Eva conta toda sua trajetória até conseguir um local para as crianças jogarem. No início, os treinos aconteciam no Parque da Aclimação e, todo sábado de manhã, ela caminhava, com dezenas de crianças, por 40 minutos, para percorrer os quatro quilômetros que separavam o Glicério até o local de treino. Sem vergonha de pedir por ajuda, Dona Eva continuou batalhando por seu projeto e com a ajuda do governo do estado conseguiu  uma sede na região da Sé onde, além do futebol, oferece também aulas de balé.

“O esporte não vai mudar o mundo, mas faz parte da mudança ao tirar a arma da mão de uma criança e dar uma alternativa melhor para superar a violência”, explica o boxeador e antropólogo britânico Luke Dowdney. Ele fundou o projeto Luta pela Paz, também no ano 2000, no complexo de favelas da Maré, no Rio de Janeiro, com o objetivo de causar um impacto positivo na vida de crianças e jovens afetados pelo crime. “O boxe traz disciplina e respeito”, explica. “A ideia foi utilizar a luta para começar uma conversa”.

No Missões de Vida, Luke lembra sua trajetória na Inglaterra. Por sua origem pobre, teve problemas em uma escola particular e sentiu-se excluído. O boxe foi seu meio de superar as injustiças. O projeto Luta pela Paz começou com 10 crianças e muitas delas se perderam para a violência do tráfico de drogas. Luke entendeu então que teria de trabalhar outras áreas da vida destes menores e iniciou os projetos educativos. Hoje, além de escolas para ensino fundamental e médio, o projeto oferece suporte para jovens entrarem no mercado de trabalho.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.