Home Top Ad

Histórias de vida se entrelaçam em documentário sobre o Museu da Pessoa no Canal Curta!

Share:

Divulgação Curta!
Quase todos os museus são criados para abrigar acervos materiais, obras, objetos, documentos. Mas, no caso do Museu da Pessoa, o acervo é composto por histórias de vida que são coletadas e disponibilizadas na internet. Colaborativo e virtual desde a sua criação em 1991, ele conta com mais de 18 mil depoimentos e cerca de 62 mil fotos e documentos. Convidados pela fundadora do museu, Karen Worcman, e pela produtora Minom Pinho, cinco documentaristas — Marcelo Machado, Marco Del Fiol, Pedro Cezar, Tatiana Toffoli e Viviane Ferreira — mergulharam nesse vasto acervo de histórias de brasileiros ali reunidas para propor releituras autorais e temáticas. Esse esforço resultou no documentário “Pessoas — Contar Para Viver”, que estreia no Curta!.

Entre as histórias de vida que se entrelaçam no longa, estão as dos próprios realizadores do documentário e as de outros tantos brasileiros, como o navegador Amyr Klink, que cruzou o Oceano Atlântico em uma canoa, Tula Pilar, empregada doméstica que se tornou poeta, o premiado educador Paulo Freire e o escritor Kaká Werá, que se descobriu indígena quando entrou na escola.

Concluído em 2019, o filme faz uma reflexão importante para o atual momento de crise política e pandemia no Brasil. “As histórias presentes no filme revelam um Brasil desigual, injusto, racista e excludente. No entanto, revelam também a força de vida e a humanidade presentes em pessoas hoje silenciadas, como indígenas, empregadas domésticas, jovens vítimas de abuso sexual, entre outros”, afirma Karen. Nesse sentido, o longa traz uma reflexão atual para um país que hoje tem suas fraturas sociais expostas à luz da pandemia.


Pessoas — Contar Para Viver” integrou a seleção da Mostra Brasil na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O documentário é uma produção da Casa Redonda, viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A estreia é na Quinta do Pensamento, 28 de maio, às 22h15.

Série explora a presença da música brasileira em diversos países

Forró, tecnobrega, chorinho, tropicália, entre outros desdobramentos da música brasileira, são trilha sonora de histórias curiosas vividas em outros países. A série “Beyond Ipanema — Ondas Brasileiras na Música Global”, dirigida por Guto Barra e exibida pelo Curta!, conta várias delas, por meio de entrevistas com mais de 60 artistas, produtores e jornalistas, gravadas nos Estados Unidos, na Europa e no Japão.

O primeiro episódio da segunda temporada se passa em Lisboa, onde António Zambujo e Carminho, referências contemporâneas do fado português, falam de sua relação íntima com a música do Brasil. O capítulo também apresenta o selo “Groovie Records”, que lançou na Europa algumas raridades psicodélicas brasileiras, e o trabalho do Real Combo Lisboense, uma espécie de “versão portuguesa” da Orquestra Imperial. A série é uma produção da Planet Pop. A exibição é na Segunda da Música, 25 de maio, às 19h.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.