Home Top Ad

As vozes e as histórias da nona edição do 'The Voice Brasil'

Share:

Divulgação Globo/Victor Pollak

Há nove anos o palco do 'The Voice Brasil' abre espaço para que talentos musicais de todo o país mostrem sua arte. As mesmas vozes que apresentam sua música também dividem com o público suas histórias. E neste ano, em meio a um cenário mundial atípico, o ‘The Voice Brasil’ volta ao ar em edição inédita, a partir do dia 15 de outubro, para apresentar novas histórias e formas de conhecer os candidatos, conversar com suas famílias e sentir a emoção de cantar no palco reality musical – novidades que deixam o programa ainda mais especial.
 
Diretor artístico da atração, Creso Eduardo Macedo atuou em todas as edições da competição musical, que chegou ao Brasil em 2012. Na nona temporada, ele chama a atenção para a evolução do formato: “O The Voice Brasil foi meu primeiro reality musical na Globo e hoje faz parte da minha carreira de uma maneira especial. De lá para cá, minha paixão pelo formato só cresceu, assim como o nosso desejo de expandir e trazer outros programas do gênero, desde formatos originais até novas versões, como o ‘The Voice +’. Hoje temos um time especializado, experiente e o desejo de ampliar ainda mais esse espaço, que não apenas dá oportunidade para os artistas, mas leva entretenimento e diversão para tanta gente”.
 
Também no programa desde o início, Tiago Leifert segue no comando do ‘The Voice Brasil’, junto com Jeniffer Nascimento. Depois de nove anos, ele conta, sua história e a do reality já se misturam: a estreia do formato no Brasil aconteceu no mesmo ano de seu casamento e, na atual temporada, Tiago espera sua primeira filha junto com a esposa. Já o palco das apresentações é o lugar onde ele reencontra os integrantes de outra família que se formou: a “família The Voice Brasil”. “Foi ótimo rever todo mundo este ano. Fiquei muito feliz que conseguimos um jeito seguro de fazer o programa, com impacto zero na qualidade do que mais importa: a música”, comemora Tiago.
 
Ao conhecer o universo dos candidatos, Jeniffer Nascimento revisita a própria trajetória. Cantora e atriz, a artista também participou de competições musicais e foi a grande vencedora da edição de 2018 do ‘Popstar’. “O ‘The Voice Brasil’ é um programa que alimenta os nossos sonhos. E que une nossas famílias. Acho essencial estarmos nesse momento dentro da casa das pessoas levando leveza”, opina. E elogia: “A música cura”.
 
O time de técnicos segue formado por grandes nomes da música brasileira. Este ano, Carlinhos Brown, IZA, Lulu Santos e Michel Teló dividem com os participantes as emoções da competição. Assim como Tiago, Lulu e Carlinhos são “Time The Voice Brasil” desde 2012. “Acho que é mais que óbvio que o ‘The Voice’ construiu uma família, desde o seu lançamento, que não se cansa de fortalecer os seus, onde um elogia e reverencia o outro. E além dessa família construída, eu, por exemplo, estou diante de ídolos, de pessoas que eu admiro e que me inspiram”, destaca Brown.
 
Já Lulu Santos ressalta que, mesmo com nove anos de existência no Brasil, cada edição é única, com novidades que trazem surpresas para o público e, até mesmo, para quem faz o programa: “O ‘The Voice’ tem uma dinâmica muito própria. Cada temporada tem suas particularidades, o que torna o desafio sempre interessante. A cada ano a gente se surpreende com a qualidade das vozes. Como técnicos, nossa missão é descobrir e desenvolver estes artistas em potencial”.
 
Na contramão dos três, IZA é a integrante mais recente do time, há dois anos atuando como técnica do reality. Mesmo assim, ela conta, a atração já é um marco de sua carreira. Para a cantora, agora existem duas “IZAs”: uma antes e uma depois do ‘The Voice Brasil’. “Eu já tinha um público muito diverso desde o início da minha carreira, com idosos, crianças, adolescentes me acompanhando, e isso sempre foi muito legal. Mas, depois do programa, com certeza, eu fiquei muito mais conhecida. É muito bonita a parceria que eu desenvolvi com a equipe e com todos os técnicos, eu já me sinto parte da família”, diz IZA.
 
Depois de cinco anos na atração – e cinco vitórias –, Michel Teló aponta a principal convergência entre a sua história e a do ‘The Voice Brasil’: a paixão pela música. O amor pelo ofício e o respeito pela trajetória dos talentos que sobem ao palco do reality conectam o técnico com os candidatos. “O nosso papel mais importante, como técnicos, é tentar contribuir na história dos participantes com a experiência da nossa vivência, com a nossa luta dentro da música. Eu, particularmente, já estou há 28 anos na música e, assim como outros artistas, já trilhei por vários caminhos dentro do show business e da arte. Tento passar um pouquinho do que aprendi para os candidatos. E sempre tenho a aprender com eles também, porque em toda troca existe um aprendizado”, garante.
 
Uma nova maneira de se conectar
 
Produzido durante a pandemia, o ‘The Voice Brasil’ precisou se adaptar, mas a conexão entre os participantes, o público e os familiares continua. Sem plateia presente dentro do estúdio, a sensação de cantar para uma multidão segue garantida: por meio de um novo recurso que combina imagem, luz e som, os candidatos e técnicos sentem a vibração de uma verdadeira plateia – agora, 100% digital. Já as famílias e amigos dos participantes do reality assistem à performance do seu candidato diretamente de suas casas, “de camarote”, por meio de uma chamada de vídeo que mostra o que está se passando no palco durante a apresentação. Do estúdio, Tiago Leifert acompanha a torcida por um telão, em tempo real, e compartilha com ela as emoções do momento da avaliação dos técnicos.
 
De todos os cantos do Brasil para o palco do 'The Voice'
 
A seleção das vozes desta temporada aconteceu por meio de bancadas virtuais, que já existiam nas edições anteriores do programa e, este ano, foram aplicadas a todo o processo seletivo pré-audições às cegas. Para apresentar os participantes, mostrando detalhes da rotina, da casa e dos lugares preferidos de cada um para soltar a voz, novos VT’s foram produzidos em gravação remota junto com os próprios candidatos. Já durante as gravações, nos Estúdios Globo, os talentos conversam com Jeniffer Nascimento e Tiago Leifert – que conhecem um pouco mais das histórias de cada um – em um set exclusivo e se apresentam presencialmente no palco do ‘The Voice Brasil’.
 
Para garantir a segurança de todos, participantes, elenco e equipe do programa seguem todas as orientações do Protocolo de Segurança da Globo e da Organização Mundial da Saúde. Dentre os cuidados, os candidatos são constantemente testados, têm hospedagem e camarins individuais e chegam prontos ao estúdio, além de manterem o distanciamento em todos os locais por onde circulam. A equipe do reality também cumpre todas as orientações básicas do Protocolo durante as gravações.
 
Emoção multiplataforma
 
Pela primeira vez, o ‘The Voice Brasil’ terá transmissão multiplataforma, em três diferentes canais: TV Globo, Multishow e Globoplay. Às terças e quintas, o reality vai ao ar na TV Globo logo após a novela ‘A força do querer’. Nos dias seguintes, às quartas e sextas, o Multishow reprisa o conteúdo a partir das 20h30. No Globoplay, o programa é transmitido simultaneamente à TV aberta, às terças e quintas, e fica disponível para assinantes on demand, na íntegra.
 
Para completar a experiência multiplataforma da temporada, o próprio elenco comanda os bastidores do programa no digital. Conteúdos em selfie dos técnicos e participantes dão o tom do que rola por trás das câmeras e estarão no site oficial da atração, no Gshow, e nos perfis oficiais do reality. Em ambos, uma cobertura exclusiva da competição em tempo real e outras novidades, como um filtro do programa para utilizar nos stories do Instagram. A fase ao vivo da disputa também reserva ainda mais interatividade já que, além votar para definir os rumos da competição, o público também terá a chance de aproveitar a experiência prolongada do ‘The Voice Brasil’: após o término de cada episódio ao vivo na TV Globo, entra em cena o “The Voice Live”, uma transmissão na web com os apresentadores e técnicos do reality, direto do palco, para repercutir os melhores momentos da noite.
 
As fases da competição
 
Seis etapas separam candidatos de todo o país do primeiro lugar do ‘The Voice Brasil’, que começa com 64 participantes aprovados e termina com apenas um campeão: “Audições às cegas”, “Batalhas”, “Rodada de Fogo” (fase que dá início às apresentações ao vivo), “Shows ao vivo” (quando o público começa a votar), “Semifinal” e “Final”. O prêmio é de R$ 500 mil e um contrato com a gravadora Universal Music.
 
O ‘The Voice Brasil’ tem direção artística de Creso Eduardo Macedo e apresentação de Tiago Leifert, com Jeniffer Nascimento nos bastidores. O reality tem estreia prevista para 15 de outubro, após ‘A força do querer’.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.