Home Top Ad

No Domingo Espetacular, Roberto Cabrini entrevista o marido e o pai de Tatiane Spitzner

Share:

Divulgação Record TV

O caso Tatiana Spintzer é o tema da estreia de Roberto Cabrini no Domingo Espetacular deste fim de semana, 29/11. Ele conduz uma investigação sobre a morte da advogada, um trabalho que, além revelações inéditas, inclui entrevistas exclusivas com personagens desta história. O jornalista também é o primeiro entrar no apartamento em que tudo aconteceu.

Às vésperas de seu julgamento, marcado para a próxima quinta-feira, 3/12, o marido, Luis Felipe Manvailer fala pela primeira vez sobre as acusações de que teria agredido a esposa e depois atirado-a pela sacada. Cabrini também conversa com o pai da vítima, Jorge Spitzner, que fala da sua espera por justiça e refuta os argumentos da defesa do ex-genro.

Em julho de 2018, a morte de Tatiane Spitzner ganhou repercussão nacional e internacional após a divulgação das imagens das agressões que ela sofreu do marido pouco antes de sua morte, na garagem e no elevador do edifício em que moravam, em Guarapuava, cidade do interior do Paraná. Minutos depois, ela caiu da sacada. Segundo Luis Felipe, um caso de suicídio. Para a família dela, assassinato.

Cabrini entrevista o marido, Luis Felipe Manvailer, na Penitenciária Industrial de Guarapuava, prisão em que aguarda o julgamento. Ele conta, pela primeira vez, a sua versão sobre o que ocorreu naquele dia. Cabrini o questiona não apenas sobre a morte da esposa, mas também em relação às atitudes após a queda, como o fato de não ter chamado a polícia e a suposta fuga.

Ele admite a violência contra ela, mas afirma que Tatiane se jogou. “Se eu devo ser incriminado por alguma coisa, que seja por agressão”, diz. Após a briga, ele conta que a viu correr: “E nisso, ela já estava entrando na sacada”. Segundo a versão que ele narra a Cabrini, ao perceber o que ela fazia, não teve como impedi-la. “Naquele momento, simplesmente, parece que o tempo parou. Não sentia minhas mãos, não sentia as minhas pernas, não sentia nada. Só gritava: 'Tatiane, não!’".

A família Spitzner, no entanto, acredita que ele assassinou Tatiane. O pai da advogada, Jorge Spitzner, também conversa com Cabrini. “Eu tenho certeza que o responsável pela morte foi o Luis Felipe”, afirma. E completa: “O que eu quero é justiça”.

Para ele, a filha jamais deu indícios de que poderia cometer suicídio. “Ela tinha alegria interna, uma vontade de viver (...). Uma pessoa depressiva, que se suicida, não tem esse perfil, não esconde isso de ninguém. Isso que colocaram foi uma coisa para mudar a realidade dos fatos”. 

O Domingo Espetacular vai ao ar às 19h45.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.