Home Top Ad

Marizé salva Lipe de bullying na escola em 'Flor do Caribe'

Share:

Divulgação TV Globo/Raphael Dias

Filha de Bibiana (Cyria Coentro) e Donato (Luiz Carlos Vasconcelos), Marizé (Livian Aragão) é uma adolescente bastante atenta a todos os acontecimentos de sua casa. Por mais próxima que fosse de Hélio (Raphael Vianna), e adorasse todos os presentes dados pelo irmão mais velho, não hesitou em recriminá-lo quando soube da mentira que ele contou prejudicando seu pai por tantos anos – quando Donato esteve na cadeia por um crime que Hélio cometeu. Agora, em cenas que vão ao ar nos próximos capítulos, é Marizé quem percebe que há algo de errado com Lipe (Pablo Mothé), seu irmão mais novo. Na escola, seu comportamento é estranho e em casa também. Com o radar ligado, Marizé percebe que a mudança de comportamento de Lipe é devido ao bullying que ele vem sofrendo em sala de aula. Irritada, Marizé não deixará a situação continuar.  

ENTREVISTA LIVIAN ARAGÃO

O que você achou de Flor do Caribe ter sido escolhida para ser exibida em edição especial neste momento? 

Eu achei maravilhoso escolherem Flor do Caribe para ser exibida em edição especial neste momento. Acho uma novela leve e gostosa de assistir. Eu fiquei muito emocionada quando soube dessa notícia. Foi a primeira novela que fiz e me marcou muito. A personagem veio em uma crescente, se envolvendo outras tramas ao decorrer da obra. Eu tive a oportunidade de contracenar com grandes atores e seres humanos maravilhosos. Aprendi muito como atriz!

O que significou ‘Flor do Caribe’ na sua trajetória? 

‘Flor do Caribe’ foi um grande divisor de águas pra mim. Foi a minha primeira novela e meu primeiro trabalho grande na televisão sem meu pai. Eu lembro que estava muito nervosa antes do meu primeiro dia de gravação. Mas assim que cheguei no set fui recebida com tanto amor e carinho que guardo esses momentos no meu coração.

Tem alguma característica ou algo que você aprendeu com a personagem que ficou pra sua vida?

Eu aprendi muito com a Marizé. É uma personagem que, por mais que seja mais nova, na pré-adolescência, é muito madura e tem personalidade. Acho isso muito lindo na Marizé. 

Qual cena gostaria de rever?

A cena que mais gostaria de rever é a cena que uns personagens faziam bullying com a Marizé e jogavam ketchup nela. Por mais que seja uma cena tensa e difícil para os personagens, eu amei gravar! Lembro direitinho que tive que mudar de blusa umas 10 vezes para regravar a cena. Foi bem difícil porque essas sequências que precisam “dar certo”, tem muita tensão da equipe toda. Mas assim que dá certo, é uma alegria geral! 

Que momento das gravações você lembra com mais carinho? Como foi a parceria com Cyria Coentro e Luiz Carlos Vasconcelos?

Guardo essa novela no meu coração com muito carinho. Eu tive o privilégio de contracenar com Laura Cardoso. Ela me deu uns conselhos que levo para vida. Tenho na minha memória ela olhando pra mim e me dando dicas. Sempre me emociono quando lembro. Outros dois atores que me ajudaram a crescer muito com atriz são Cyria Coentro e Luiz Carlos Vasconcelos, que fizeram meus pais na novela. A Cyria é uma atriz sensacional. Ela é muito engraçada e adora fazer piadas no set. Mas quando falam “ação” ela imediatamente volta pro personagem em uma rapidez impressionante. Me inspiro muito nela. O Luiz Carlos é um ser humano maravilhoso! Lembro que a primeira cena que gravei foi com ele era uma cena difícil do reencontro familiar onde o personagem dele voltava da cadeia. Lembro de estar nervosa porque era uma cena de emoção e era logo a primeira! Mas o Luiz pegou nas minhas mãos, olhou nos meus olhos e disse “que bom te rever, filha”. Nesse momento, já nos conectamos como personagens e atores. A Cyria e o Luiz são pessoas fantásticas. Quero muito poder contracenar com eles de novo! 

Como foi trabalhar com Jayme Monjardim e Walter Negrão?

Foi maravilhoso trabalhar com Jayme Monjardim e Walter Negrão! Eu tinha acabado de cursar a “Stagedoor Manor” em NY, um curso de teatro, e o Jayme me ligou fazendo o convite da novela. Ele me disse no telefone que o Walter Negrão queria muito que eu fizesse o personagem Marizé. Eu lembro de tremer no telefone! (risos) Foi maravilhoso trabalhar com eles. A história e as tramas do Walter são maravilhosas e o Jayme tem uma delicadeza incrível no set e no seu trabalho.



Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.