Home Top Ad

A pirotécnica de Andrucha e Gil na aventura de ''Viva São João" no Canal Curta!

Share:

Divulgação Curta!

Anualmente, o cantor e compositor Gilberto Gil costuma entrar em turnê pelo Brasil, sobretudo no Nordeste, com shows especiais, adaptados aos festejos em homenagem a São João. Essa experiência foi acompanhada pelas lentes do diretor Andrucha Waddington (“Casa de Areia”, 2005; “Eu Tu Eles”, 2000), no documentário ''Viva São João'', que se passa entre 19 cidades da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Sergipe e Ceará. O filme chega ao Curta!, reunindo a música e a história das pessoas envolvidas com essas festas juninas.

Com uma trilha sonora recheada de canções de Luiz Gonzaga – a maior referência musical e simbólica dos festejos de São João –, Gil e Andrucha fazem um verdadeiro retrato antropológico da celebração, entrevistando diversos personagens, entre músicos e frequentadores, que falam da história e da importância da festa. A produção  conta com a participação de outros artistas, como Dominguinhos, Sivuca, Elba Ramalho e Alceu Valença.

O longa-metragem, gravado em 2001, também retrata os contrastes entre a dura vida de vilarejos pobres do sertão nordestino e a alegria de sua gente diante da festa. Entre as cidades visitadas está Exu, terra natal de Luiz Gonzaga, onde Gil e Andrucha chegam conduzidos pela irmã do Rei do Baião, em um emocionante encontro com os sanfoneiros que ainda habitam o local. A exibição é na Segunda da Música, 01 de fevereiro, às 22h25.

Filme de estreia de Kleber Mendonça analisa relação entre críticos de cinema e cineastas

O documentário “Críticos” foi o primeiro longa lançado pelo festejado cineasta Kleber Mendonça Filho (“Bacurau”, 2019; “Aquarius”, 2016), em 2008. O filme explora a conflituosa relação entre críticos, cineastas e artistas, entrevistando grandes nomes da crítica e dos cinemas nacional e estrangeiro.

A produção desenvolve os questionamentos pessoais do próprio diretor, que também é crítico profissional, à medida que tece reflexões a partir do ponto de vista diversos. Os depoimentos foram gravados de 1998 a 2007, no Brasil, Estados Unidos e Europa, e discutem questões como imparcialidade e a lógica mercadológica que cada vez mais se impõe no audiovisual, em detrimento da arte. A exibição é na Quarta do Cinema, 03 de fevereiro, às 22h.

Segunda da Música – 01/02

22h25 – ''Viva São João''

O compositor Gilberto Gil acompanha o cineasta Andrucha Waddington até o Nordeste do Brasil. Entre as comunidades rurais da região, Gil e Waddington participam da comemoração católica do dia de São João com música e dança. Waddington também analisa o sofrimento da população que tenta sobreviver por meio da agricultura em um terreno difícil. Duração: 85 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 02 de fevereiro, terça-feira, às 02h25 e às 16h25; 03 de fevereiro, quarta-feira, às 10h25; 06 de fevereiro, sábado, às 15h30; 07 de fevereiro, domingo, às 22h30.

Terça das Artes - 02/02

20h– "Matizes do Brasil” (Série) – Episódio ''Anna Maria Maiolino''

Matizes do Brasil dedica este episódio a Anna Maria Maiolino e sua maneira única de explorar, em sua obra, multilinguagem, as noções de subjetividade, pertencimento, deslocamento e lugar. Diretora: Bianca Lenti.  Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 03 de fevereiro, quarta-feira, às 0h e às 14h; 04 de fevereiro, quinta-feira, às 08h; 06 de fevereiro, sábado, às 21h15; 07 de fevereiro, domingo, 12h45.

Quarta de Cinema – 03/02

22h05 – ''Crítico'' (Documentário)

Crítico profissional de cinema e diretor de curtas, o documentário segue os questionamentos pessoais de quem está situado na indústria cultural tanto como cineasta, como também observador da arte e da indústria do audiovisual. Os registros começaram em 1998 e seguiram até 2007, ocorridos no Brasil, Estados Unidos e Europa, com cineastas e críticos do mundo inteiro. Trata-se de uma janela para uma arte cada vez mais julgada por mecanismos de mercado e que luta para permanecer humana tanto no fazer, como no observar.  Diretor: Kleber Mendonça Filho. Duração: 76 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 04 de fevereiro, quinta-feira, às 2h e 16h; 05 de fevereiro, sexta-feira, às 10h; 07 de janeiro, domingo, às 15h25.

Quinta do Pensamento – 04/02

20h30 – ''Fronteiras do Pensamento'' (Série) – Episódio: ''Werner Herzog''

Werner Herzog é um dos principais nomes do movimento cinematográfico na Alemanha do pós-guerra. Com mais de 60 produções em seu currículo, o cineasta é responsável por obras aclamadas como Aguirre, Fitzcarraldo, Nosferatu e O homem-urso. Sua abordagem autêntica e, por vezes, polêmica tornou-o mundialmente conhecido: ele escreve, dirige e produz os próprios filmes, geralmente com baixo orçamento e em cenários ou condições inóspitos, impondo desafios extremos a` equipe. Em “Fronteiras do Pensamento”, Herzog resgata sua própria história, sua relação com o cinema e elabora reflexões profundas sobre o mundo contemporâneo e seus dilemas. Direção: André Brandão, Ricardo Carioba. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 05 de fevereiro, sexta-feira, às 0h30 e às 14h30; 06 de fevereiro, sábado, às 19h45; 07 de fevereiro, domingo, às 11h10; 08 de fevereiro, segunda-feira, às 08h30.

Sexta da Sociedade – 05/02

21h– “Guerras do Brasil” (Série) – Ep. ''Guerra do Paraguai''

Entenda o maior conflito armado da América do sul. Em 1864, o Paraguai quer ter uma saída para o mar. Suas tropas passam pela argentina, invadem o Brasil, sequestram o presidente da província de Mato Grosso e começam sua marcha para o Uruguai. Estava declarada a Guerra. No mais sangrento conflito do hemisfério sul nasce o acordo da tríplice coroa que unia Brasil, Argentina e Uruguai. Diretor: Luiz Bolognesi. Duração: 26 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 06 de fevereiro, sábado, às 01h e às 12h20; 08 de fevereiro, segunda-feira, às 15h; 09 de fevereiro, terça-feira, às 09h.

Sábado – 06/02

13h - “Coleção Arte Presente em Inhotim” (Série) — Ep. "Tunga"

A partir de conversas com o artista e de registros da abertura da Galeria Psicoativa em Inhotim, quando foram re-performatizados quatro de seus trabalhos emblemáticos, o programa reflete sobre a potência cênica e os modos de ativação de corpos sociais e coletivos.  Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 07 de fevereiro, domingo, às 16h45. 

Domingo – 07/02

21h – "Nós Que Aqui Estamos Por Vós Esperamos” (Documentário)

Nós que Aqui Estamos por Vós Esperamos é uma frase que o diretor Marcelo Masagão encontrou na entrada de um cemitério e batiza seu filme. O longa é um retrato da banalização da vida e da morte, construído com fragmentos de imagens trágicas do século XX. Trechos de reportagens de TV, clássicos do cinema, matérias de revista e jornais nos lembram de tempos violentos na história da humanidade. Sem muitas palavras, o filme é uma construção muito mais visual do que retórica. Além dos personagens ilustres que mudaram o curso do século XX estão também pessoas comuns e suas histórias de vida e morte. Foi uma época construída em cima de desenvolvimento, tecnologia, industrialização e muitos sacrifícios.  Diretor: Marcelo Masagão. Duração: 73min. Classificação: 16 anos. 


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.