Locação, enredo e os maestros de 'Sob Pressão'

Divulgação Globo/João Cotta

Em todas as temporadas de 'Sob Pressão', o hospital ficcional da série recebeu protagonismo à altura dos que circulam pelos corredores da emergência, desde a equipe de profissionais que trabalha no local aos pacientes que são atendidos. Não à toa, a locação tem sua relevância na narrativa da obra. Lá é onde surgem as histórias ou onde elas terminam. 
 
Prevista para estrear dia 12 de agosto, a quarta temporada de ‘Sob Pressão’ se passa no grandioso Hospital Edith de Magalhães, cujo nome é uma homenagem à enfermeira Edith de Magalhães Fraenkel, pioneira da saúde e enfermagem, que ajudou a combater a gripe espanhola no Brasil. É nesse lugar que os personagens enfrentam o cotidiano caótico de uma emergência pública, mas com a pressão da rotina ainda maior, já que o hospital, localizado agora no centro da cidade, é referência de atendimento. 
 
Décio, interpretado por Bruno Garcia, é o diretor da unidade. Para o ator, os profissionais de saúde da ficção têm um desafio grande nesta temporada. “Agora eles são responsáveis por um hospital de grande porte. As dificuldades de trabalhar em um sistema cheio de falhas continuam as mesmas, mas a escala aumentou significativamente”, pontua. Sobre estar em mais uma temporada da série médica, ele ressalta as diferentes fases do personagem. “A experiência de fazer uma série tão longeva quanto ‘Sob Pressão’ é única, uma vez que temos a oportunidade de viver muitas fases da vida de um personagem. Nós amadurecemos e envelhecemos com ele. Desde que Décio assumiu sua homossexualidade passamos a vê-lo em camadas mais complexas e sua ascensão profissional, assumindo a direção dos hospitais nos quais trabalha, revela seu crescimento interior. O desafio é representar as mudanças que isso causou em sua vida sem perder a essência de sua personalidade’, avalia.
 
Também é no hospital que a ex-namorada de Evandro (Julio Andrade) reaparece com uma criança doente a tiracolo, desestruturando a relação do médico com Carolina (Marjorie Estiano). O casamento dos dois, por vezes marcado por perdas e alguns embates, parece estar fortalecido e se baseia inteiramente no amor e na admiração. Dedicados um ao outro e ao trabalho que tanto amam, eles são surpreendidos com a possibilidade de se tratar do filho de Evandro. Para Julio Andrade, essa questão é o ápice do sofrimento de seu personagem e, ao mesmo tempo, a luz que faltava em sua vida, porque ser pai sempre foi seu maior desejo. “Em um primeiro momento, essa criança chega sendo um dilema, mas aos poucos se torna a solução para completar a vida do Evandro por inteiro”, avalia o ator, que comemora a oportunidade de poder abordar esse assunto na série. “As diferentes formas de se constituir uma família é um tema muito atual e contemporâneo. E é muito lindo poder contar essa história. Esse drama humano que marca a nova temporada de ‘Sob Pressão’ acontece inteiramente em prol do amor”, define.   
  
Já Marjorie Estiano acredita que a chegada dessa criança vai acelerar algumas discussões que se prometiam menos inflamadas nesta temporada. “O significado da palavra mãe volta a trazer reflexões sob diferentes aspectos, seja no lugar de mãe ou de filha, e a importância dessa figura na vida de uma pessoa. Acredito que entra em questão a idealização desse momento, do que é constituída uma família na perspectiva do Evandro, da Carolina e da Diana. Família é um organismo muito forte e muito complexo na vida de todos. E esse é um lugar muito sensível na relação dos dois”, analisa.   
 
Mas não é somente o casal de médicos que tem questões relacionadas à família em ‘Sob Pressão’. A pragmática Vera, personagem de Drica Moraes, enfrenta desafios na reaproximação com o seu filho, com quem havia perdido contato durante um longo período, e agora deseja compensar o tempo perdido. “Vera e o filho, Leonardo (João Vitor Silva), voltam a morar juntos depois de quase 10 anos de separação, quando ela foi presa injustamente no passado. Então, há um buraco fundo na relação mãe e filho. Eles sentem esse buraco e os embates são motivados por conta de uma certa cobrança dessa ausência de presença no passado de ambos”, descreve Drica. Inicialmente, a médica também entrará em conflito com Dr. Mauro (David Junior), mas com o tempo esse conflito se transformará em afeto e atração. “Vera e Mauro se ajudam e se amparam ao longo desta temporada, daí acaba acendendo uma faísca amorosa entre os dois. Veremos...”, diz. 
 
Os Bastidores 
 
Foi no prédio do Jockey Clube Brasileiro, no Centro do Rio de Janeiro, que a equipe de arte responsável por ‘Sob Pressão’, comandada pelo diretor de arte Rafael Targat, encontrou as características ideais para montar o set desta temporada. A locação, que contempla seis andares do edifício – aproximadamente três mil metros quadrados-, permite ter um set em que as cenas se apropriam de um fluxo real de hospital, onde os ambientes se conectam com um sentido lógico e funcional para os procedimentos do dia a dia. Além disso, Targat destaca a localização. “Percebemos que seria muito bom para a série termos um hospital de onde conseguimos ver os grandes prédios e avenidas do Rio de Janeiro, além da Baía de Guanabara e do Aeroporto Santos Dumont, caracterizando assim o Centro da cidade”, pontua Targat.   
 
Para colocar a nova temporada ‘de pé’, além do elenco e dos times de cenografia, arte, figurino, caracterização e produção, a série conta com a direção de Mini Kerti, Rebeca Diniz, Pedro Waddington e Julio Andrade, equipe liderada pelo diretor artístico Andrucha Waddington. “A gente criou um time de direção que nos permitiu abrir várias frentes de gravação. Praticamente o tempo todo tivemos dois diretores rodando ao mesmo tempo. E todos muito azeitados. Toda a equipe entendeu a linguagem que começou comigo e com a Mini ainda no filme, e que foi se desenvolvendo ao longo das temporadas. E, hoje, a gente forma um time que joga junto para realizar essa quantidade de dramaturgia que ‘Sob Pressão’ produz. A gente tem uma família não só na direção, mas em toda a equipe e todo elenco por trás da série”, pontua Andrucha.  
 
Esse trabalho minucioso e afinado entre autor, direção e equipe faz de ‘Sob Pressão’ uma série reconhecida em diversos lugares do mundo. Elogiada pelo público e pela crítica, a narrativa da obra ganhou notoriedade internacional logo na primeira temporada, sendo exibida em festivais como Berlinale (Berlim) e TIFF (Toronto). Desde então, ‘Sob Pressão’ vem conquistando reconhecimento: ganhou quatro prêmios no 31st   Festival International de Programmes Audivisuels (2018), em Biarritz, na França: melhor série; melhor interpretação feminina e masculina (para Marjorie Estiano e Julio Andrade, respectivamente); e melhor roteiro. Em 2019, Marjorie Estiano foi indicada ao Emmy Internacional de Melhor Atriz por seu trabalho na segunda temporada. Na Argentina, a série estreou na Telefe em janeiro de 2019 e consagrou-se entre os programas mais assistidos da TV aberta. ‘Sob Pressão’ foi exibida também em Portugal, no canal Globo, e, além da Argentina, já foi licenciada para mais de 65 países como Itália, Emirados Árabes, Catar, Egito, Equador, entre outros.  
 
Uma Coprodução da Globo e Conspiração, ‘Sob Pressão’ é escrita por Lucas Paraizo e colaboração de Márcio Alemão, André Sirangelo, Pedro Riguetti e Flavio Araujo, com direção artística de Andrucha Waddington e direção de Andrucha, Mini Kerti, Rebeca Diniz, Julio Andrade e Pedro Waddington. Com produção de Isabela Bellenzani (TV Globo) e Mariana Vianna (Conspiração), e direção de gênero de José Luiz Villamarim, a série tem estreia prevista para 12 de agosto e vai ao ar após ‘Império’.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem