'Serras da Desordem' e 'Éramos todos loucos' estão na programação do Canal Curta!

Divulgação

Um dos destaques da semana na programação do Curta! é 'Serras da Desordem', de Andrea Tonacci, exibido na sexta, 23. O protagonista é Carapiru, índio nômade, que faleceu semana passada.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 22/07

22h - ''Um Sonho Intenso'' (Documentário)

Relato das transformações do processo socioeconômico brasileiro pontuado por interpretações de um grupo de economistas e historiadores que têm em comum o reconhecimento de que os avanços desde 1930 até os dias atuais não foram suficientes para eliminar algumas características fundamentais do subdesenvolvimento brasileiro. Direção: José Mariani. Duração: 102 min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 23 de julho, sexta-feira, às 2h e 16h; 24 de julho, sábado, às 12h20; 25 de julho, domingo, às 18h. 

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 23/07

21h30 – ''Serras da Desordem'' (Documentário)

Carapiru é um índio nômade que escapa de um ataque surpresa de fazendeiros. Durante dez anos, ele anda sozinho pelas serras do Brasil central, até ser capturado em novembro de 1988, a 2 mil quilômetros de seu ponto de partida. Levado a Brasília pelo sertanista Sydney Possuelo, ele vira manchete nacional e centro de uma polêmica entre antropólogos e linguistas quanto a sua origem e sua identidade. Direção: Andrea Tonacci. Duração: 136 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 24 de julho, sábado, às 01h30h.

Sábado – 24/07

17h30– ''Matizes do Brasil'' (Série) - Ep.: ''Tarsila do Amaral''

Tarsila do Amaral, uma das figuras centrais da pintura brasileira e da primeira fase do movimento modernista no Brasil, é tema deste episódio. A artista, cuja obra carrega a ambivalência de influências europeias e da cultura popular brasileira, é tida como pioneira de uma nova arte nacional. Quem apresenta essas e outras perspectivas sobre o trabalho da artista são os estudiosos de sua obra Aracy Amaral, Agnaldo Farias e Sônia Salzstein. Eles partem de exemplos como “Autorretrato” (1923), “A Negra” (1923), “A Cuca” (1924), “Abaporu” (1928), “O Urutu” (1928) e “Antropofagia” (1929) para discutir sobre traços marcantes, originalidade ou exotização na obra de Tarsila. Diretora: Bianca Lenti. Duração: 26 min. Classificação: Livre.  

Domingo – 25/07

19h50 – ''Éramos Todos Loucos'' (Documentário)

Os realizadores da comédia “Vai trabalhar, vagabundo”, de 1973, reveem e comentam, 40 anos depois, o filme-manifesto mais oblíquo, suingado e debochado dentre vários que aquela geração produziu contra a falsa moral e bons costumes do autoritarismo vigente. “Vai trabalhar vagabundo” criou para os censores da época uma dificuldade ao se verem diante de uma expressão da alma carioca, encarnada no genial personagem Secundino Meireles, o Dino, eternizado na interpretação de Hugo Carvana. O ator, formado na chanchada, dirigiu um filme emblemático, que representou o renascimento da comédia carioca, como seus amigos contam nos depoimentos gravados para este documentário, realizado pelos filhos de Carvana. Diretor: Pedro Carvana e Rita Carvana. Diretores: Pedro Carvana e Rita Carvana Duração: 49 min. Classificação: 14 anos. 
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem