Filme inédito na TV mergulha na vida e na música de Paulo César Pinheiro

Divulgação Curta!

Paulo César Pinheiro é poeta, escritor, compositor e uma das maiores referências da música popular brasileira, que ostenta mais de mil canções gravadas por algumas das maiores estrelas da nossa música como Elis Regina e Maria Bethânia. Sua trajetória de vida e sua extensa obra musical são reverenciadas no documentário ''Paulo César Pinheiro – Letra e Alma'', de Cleisson Vidal e Andrea Prates, que estreia no Curta!.

O filme tem o próprio Paulo César como narrador de sua história em ordem cronológica: começa falando das memórias da infância no subúrbio carioca e de sua juventude, quando escreveu suas primeiras – e já impressionantes – composições. Fala de um tempo e de uma geração de artistas talentosos com quem conviveu, compôs ou pelos quais foi gravado. Relembra o início da carreira, compondo ao lado de João de Aquino e Baden Powell, e de outros grandes parceiros que teve ao longo da vida, como Pixinguinha, Mauro Duarte e João Nogueira.

A trajetória de Paulo César por vezes se confunde com a própria história do Brasil. Em tempos difíceis de perseguição política durante a ditadura militar, teve músicas barradas pela censura; e depois, quando foi assinada a anistia, a emoção de ver a canção “Tô Voltando” – dele com Maurício Tapajós – se tornar um marco do retorno dos exilados pelo regime.

Já na vida pessoal, ele lembra de seu casamento com a cantora Clara Nunes, que foi intérprete de dezenas de suas canções. Ele, mangueirense, foi o autor de um dos maiores hinos da Portela, a pedido da esposa, a grande estrela da azul e branco de Madureira.

Alguns anos após a morte de Clara, Paulo César se casou novamente com a cavaquinista Luciana Rabello, sua atual esposa, com quem tem dois filhos – que hoje também são seus parceiros musicais. Ao refletir sobre sua família, ele sintetiza: “A música é nossa base fundamental de vida. A música é que une a gente, faz com que o amor continue, que se prolongue e que se reviva”.

Para ajudar a contar essa história, repleta de sensibilidade e poesia, o filme apresenta um vasto acervo de fotos e vídeos de arquivo. Entre eles, diversas apresentações musicais de artistas que gravaram as canções de Paulo César, além dele próprio cantando na companhia dos filhos, em imagens feitas exclusivamente para o filme. “Eu continuo vendo o mundo através dos meus olhos. (...) Eu ainda estou olhando para o meu lado de dentro, meu lado interno é o que manda”, conclui.

“Paulo César Pinheiro – Letra e Alma” é uma produção da Terra Filme viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual. A estreia é na Segunda da Música, 27 de setembro, às 22h30.

'A Batalha do Passinho – O Filme', de Emilio Domingos, volta à programação do Curta!

O diretor Emílio Domingos (“Deixa na Régua”, 2016; “Favela é Moda”, 2019) mergulha no universo do funk carioca sob uma nova perspectiva: a do impacto gerado pelo “passinho”. “A Batalha do Passinho — O Filme” mostra essa forma diferente de dançar, criada por jovens das favelas do Rio de Janeiro. O documentário, exibido no canal, vai além da dança e registra a formação de um movimento sociocultural.

O filme mostra a história do passinho e seus principais nomes - como se vestem e se relacionam amorosamente ou entre amigos. Retrata, principalmente, os sonhos desses jovens, além da preparação para as chamadas “batalhas do passinho”, uma espécie de desafio como os da cultura hip-hop ou dos repentistas, porém com coreografia improvisada.

Entre os depoentes, estão dançarinos como Cebolinha, Beiçola, Yuri Mister Passista, João Pedro, Bravan Dancy, Pablinho, TK e Gambá — este último, conhecido como “O Rei do Passinho”, foi assassinado antes de o filme ser finalizado. A exibição é na Sexta da Sociedade, 1 de outubro, às 22h35.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 27/09

22h30 – ''Paulo César Pinheiro – Letra e Alma''

Poeta, escritor, compositor e referência incontestável da rica produção cultural brasileira, Paulo César Pinheiro fala sobre suas origens, referências literárias, seu encontro com a poesia e o que lhe deu "régua e compasso". Autor de vasta e rica produção, entre músicas, livros, peças teatrais e de parcerias memoráveis, que já atravessam 5 gerações, o poeta não dá sinais de que a genial inspiração possa se esgotar. Duração: 85min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 28 de setembro, terça-feira, às 02h30 e às 16h30; 29 de setembro, quarta-feira, às 10h30; 2 de outubro, sábado, à 15h30.

Terça das Artes – 28/09

22h35 – " Fotografação” (documentário)

Passeando pela história da fotografia brasileira, conheça o impacto dos avanços tecnológicos pela perspectiva daqueles que vivem os prazeres e obstáculos da profissão. Em uma sociedade cada vez mais conectada, a digitalização do ofício do fotógrafo torna-se quase uma ameaça.  Diretor: Lauro Escorel. Duração: 75 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 29 de setembro, quinta-feira, às 02:35 e 16h35; 30 de setembro, sexta-feira, às 10h35; 03 de outubro, domingo, 19h25.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 29/09

22h – “Cinema Novo” (Documentário)

Um ensaio poético, um olhar aprofundado e um retrato íntimo sobre o Cinema Novo, movimento que colocou o Brasil no mapa cinematográfico mundial, lançou grandes diretores (como Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos e Cacá Diegues) e criou uma estética única, essencial e visceral.  Direção: Eryk Rocha. Duração: 93 min. Classificação: Livre.  Horários alternativos: 30 de setembro, quinta-feira, às 02h e 16h; 1 de outubro, sexta-feira, às 10h; 2 de outubro, sábado, às 13h45.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 30/09

20h30 – “Incertezas Críticas” - Ep. José Miguel Wisnik (Série)

José Miguel Wisnik é pianista, compositor, ensaísta e professor da Universidade de São Paulo. No seu episódio, ele fala sobre a importância da literatura brasileira e de como a relação entre o poeta Carlos Drummond de Andrade e a mineração elucida a história e o presente do Brasil. Além disso, aborda temas como o estatuto da ficção, as “fake news” e os lugares de fala. Direção: Daniel Augusto. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos:  1 de outubro, sexta-feira, às 0h30 e às 14h30; 2 de outubro, sábado, às 18h35; 3 de outubro, domingo, às 10h.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) - 01/10

22h35- ''A Batalha do Passinho'' (Documentário)

Surgido nas favelas cariocas, o Passinho explodiu em 2008 e desde então vem mudando a cara da periferia do Rio de Janeiro. Uma nova forma de dançar o funk, o Passinho é a manifestação cultural carioca mais importante dos últimos 10 anos. O documentário “A Batalha do Passinho - O Filme”, dirigido por Emilio Domingos, acompanha de perto esse fenômeno e mostra a evolução dessa cultura. Diretor: Emilio Domingos. Duração: 73 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 2 de outubro, sábado, às 02h35 e às 16h25; 3 de outubro, domingo, às 16h25; 4 de outubro, segunda-feira, às 16h35; 5 de outubro, terça-feira, às 10h35.

Sábado – 02/10

23h – “A Sede do Peixe” (Documentário)

Em dezembro de 1997, no Rio de Janeiro, o compositor mineiro Milton Nascimento juntou amigos e parceiros de carreira no especial "A Sede do Peixe". Participaram da produção os convidados Caetano Veloso, Alcione, Skank, Nana Caymmi e Gilberto Gil. Dirigida por Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, a obra é uma relíquia cultural, retratando momentos inesquecíveis, muitas vezes descontraídos, na carreira de um dos maiores ícones da Música Popular Brasileira. Direção: Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor. Duração: 55 min. Classificação: Livre.

Domingo – 03/10

18h – “Ku Klux Klan – Uma História Americana” – Parte 1 (Documentário)

Em 1865, um punhado de veteranos da Guerra Civil do Sul fundou uma sociedade secreta: a Ku Klux Klan. Muito rapidamente, a Klan instituiu um reinado de terror entre a população negra recém-libertada. Assassinatos e linchamentos eram comuns. Em Washington, o Congresso lançou uma ofensiva contra o império invisível, que foi oficialmente destruído em 1872. A Ku Klux Klan renasceu em 1915 graças ao filme “O Nascimento de uma Nação” de D. W. Griffith. Quase quatro milhões de americanos aderiram ao que se tornaria uma organização de lobby de massa altamente influente. Mas, no final da década de 1920, escândalos e a crise econômica enfraqueceram o movimento, que acabou desaparecendo novamente após a Segunda Guerra Mundial. Direção: David Korn-Brzoza. Duração: 52 min. Classificação: 16 anos.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem