Caminhos da Reportagem celebra centenário da Semana de Arte Moderna

Divulgação

O Caminhos da Reportagem inédito que a TV Brasil leva ao ar neste domingo (20), às 20h, revisita a Semana de Arte Moderna e mostra sua influência nas artes. Ao completar um século em fevereiro, o evento cultural continua influenciando artistas brasileiros a conhecerem o país e suas manifestações artísticas.

Durante a edição "Semana de 22: Cem anos de liberdade artística", o programa destaca que o evento de apenas três dias é considerado um divisor de águas na cultura do Brasil ao propor uma nova perspectiva estética e uma arte mais brasileira.  O padrão artístico nacional era europeu e os modernistas romperam radicalmente com a fôrma onde a arte era moldada.

Na música, a atração jornalística mostra como a MPB e o Tropicalismo foram sacudidos pela descoberta de um Brasil profundo e de expressões artísticas populares, como os Reis do Congo, tambor de mina, o pastoril e o maracatu. Parte da memória imaterial do país está preservada graças às missões de pesquisas folclóricas que Mário de Andrade organizou. As gravações dos sons, músicas, fotografias, formam a Discoteca Oneyda Alvarenga, aluna e discípula de Mário. Um apanhado que resgata o Brasil mais indígena e africano, caboclo e caipira.

O Caminhos da Reportagem mostra também a partitura de "Tropicália", um dos marcos do movimento liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil. O maestro Júlio Medaglia, que fez o arranjo deste hino do Tropicalismo, explica a ligação do movimento com Heitor Villa Lobos, expoente da Semana de Arte de 22.

Na literatura, a atriz e poeta slammer Luz Ribeiro recita trechos de "Pauliceia Desvairada", considerado o primeiro livro de fato de poesia moderna publicado, além de recitar trechos do poema "Menimelímetros", escrito por ela e tema do vestibular da Unicamp do ano passado.  É com Luz Ribeiro que o programa convida o telespectador a experimentar o slam, uma forma poética tão nova e controversa como a proposta pelos modernistas cem anos atrás.  

E a professora Maira Mesquita recita e comenta o que há de moderno nos textos de autores como Oswald de Andrade, além de clássicos da Semana de 22.

Depoimentos da sobrinha neta de Tarsila do Amaral, de historiadores e pesquisadores ajudam a entender o que foi a Semana. Polêmica, desvairada e sobretudo brasileira, livre e criativa. Ou como diria Mário de Andrade, cinquenta anos atrás : “eu creio que os modernistas da Semana de Arte Moderna não devemos servir de exemplo a ninguém. Mas podemos servir de lição”.

Anderson Ramos

O Universo da TV é o site perfeito para quem quer ficar por dentro das últimas novidades da TV. Aqui, você encontra notícias sobre TV paga, programação de TV, plataformas de streaming e muito mais. É o único site que oferece uma cobertura completa da TV, para que você nunca perca nada. facebook instagram twitter youtube

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato