Ad Code

Carnaval do 'Altas Horas' tem Daniela Mercury, Durval Lelys, Neguinho da Beija-Flor, Johnny Hooker, Gaby Amarantos e mais

Divulgação Globo

O 'Altas Horas' deste sábado, 26, levará o espírito do Carnaval para dentro de casa com convidados ícones da data, representantes do Carnaval de diversos estados, e responsáveis por levar essa cultura ao mundo inteiro. Daniela Mercury, Durval Lelys, Gabriel Leone, Gaby Amarantos, Johnny Hooker, Neguinho da Beija-Flor, Tierry, Valesca Popozuda e Wanessa Camargo cantarão seus hits e clássicos das marchas e desfiles, além de entrarem numa conversa com Serginho Groisman sobre suas primeiras experiências de Carnaval, e contarem boas histórias - algumas diretamente relacionadas à história deste que é dos maiores eventos do país.

O baiano Tierry revela que seu primeiro Carnaval já foi cantando numa banda chamada Fantasmão e, no palco do ‘Altas Horas’, canta “O Mundo Vai”, de Ivete Sangalo. Já Daniela Mercury descreve o que significa o Carnaval para ela: “O Carnaval é algo que eu preciso. Preciso da alegria do Carnaval para me expressar. Eu acho que o Carnaval nos conecta enquanto brasileiros, e conecta o Brasil ao mundo também. É uma tradição artística, cultural e folclórica muito importante”. Ao lado de Durval Lelys, vocalista da banda Ásia de Águia, e também representante do Carnaval de Salvador – BA, conta histórias de trio elétrico. “O trio é o nosso standart; representa muito a Bahia (...). É uma experiência fantástica (...). Para nós é uma lição de vida. Já a alegoria e fantasia é o Rio que nos ensina”, diz Durval.

E por falar em Rio de Janeiro, Neguinho da Beija-Flor, intérprete oficial da escola de samba Beija-Flor desde 1976, canta o samba-enredo “A Criação do mundo na tradição Nagô”, apresentado no desfile de 1978, e descreve como começou: “A minha vida é o Carnaval. Em 1971 eu já pertencia a um bloco e em 1975 fui para Beija-Flor. Com 18 anos já estava no Carnaval”. 

Valesca Popozuda, que também é carioca, fala sobre a infância e os Carnavais do bairro de Irajá, e canta o clássico “Mamãe Eu Quero”; enquanto Gabriel Leone traz as memórias das festividades na Tijuca, e canta “Máscara Negra”.

Johnny Hooker fala sobre a importância da data para Recife – PE: “A pessoa que nasce em Pernambuco já nasce no meio do Carnaval de Recife e Olinda; já nasce no meio do coco, da ciranda, dos caboclinhos e do brega, que para nós também é carnavalesco. Já no útero sente o maracatu”, e acrescenta: “Eu acho que o Carnaval é a oportunidade que temos de exercer a nossa personalidade com naturalidade; é um lugar de exorcizar as dores e as dificuldades de ser brasileiro”. O cantor apresenta marchas tradicionais da região, como “Hino do Elefante de Olinda” e “Voltei Recife”.

Gaby Amarantos traz o Carnaval de Belém - PA, canta “Frevo Mulher”, de Zé Ramalho, e sugere o espírito do Carnaval, que ela mantém o ano inteiro, como inspiração para seus looks exuberantes. E Wanessa Camargo fala de seu primeiro Carnaval no Rio de Janeiro, por volta dos 13 anos, e também em Salvador, com 15 anos, e canta “Arerê”, de Ivete Sangalo.

O ‘Altas Horas’ tem apresentação e direção geral de Serginho Groisman, direção de Adriana Ferreira e vai ao ar aos sábados depois de ‘Um lugar ao sol'. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code