Ad Code

Solano Ribeiro é o convidado do Persona deste domingo

Divulgação Gabriela Cossio

Neste domingo (20/2), o Persona recebe o crítico e produtor musical Solano Ribeiro. Em uma conversa sobre raízes musicais, arte e MPB, o convidado compartilha suas histórias com os apresentadores Atílio Bari e Chris Maksud. Na TV Cultura, a edição vai ao ar a partir das 21h.
 
Grandes filósofos já diziam que a música exprime a mais alta filosofia, numa linguagem que nem a razão compreende. De música e arte o convidado da edição do Persona conhece. Nascido em São Paulo, no início da Segunda Guerra, Solano Ribeiro compartilha suas memórias de infância. Dos aviões e lembranças de família, ele conta da predominância do rádio, quais eram suas predileções, sobre as radionovelas e as trilhas clássicas da época.
 
Da música, Solano pulou para as artes cênicas e estudou teatro por um tempo. Ele conta sobre o trânsito entre bons trabalhos, na frente e atrás dos palcos. Deixou o teatro e seguiu na música no grupo de rock The Avalons, uma das bandas pioneiras do rock no Brasil.
 
Como produtor, investiu na Bossa Nova paulistana. “Olhando pra bossa nova e aquele fantástico elenco do Rio de Janeiro, eles vinham para São Paulo e faziam shows em boates e tudo mais e em São Paulo também tinha um elenco muito interessante, só que não tinha espaço (...)”, diz Solano. Durante a edição, fala sobre o episódio em que, durante uma apresentação, Vinicius de Moraes disse que São Paulo era o "Túmulo do Samba" e isso mexeu com seus brios e de seus colegas. “Vamos provar que São Paulo não é o túmulo do Samba”, disse Solano. Desde então as reuniões secretas da bossa paulista começaram.
 
A atração também revela os detalhes da participação de Solano como produtor de famosos festivais da década de 60. Em 66, na Record, a MPB recebeu merecido destaque e de lá, cresceu cada vez mais. Ele ainda conta sobre a implementação das guitarras elétricas no estilo musical.
 
Por fim, Solano comenta sobre a importância das produções musicais independentes. “Existe muita coisa boa nova por aí e eu quero abrir uma janela”, pontua Solano. “O espaço da música foi ocupado pelo marketing das gravadoras (...) e o espaço da música popular brasileira, hoje em dia é poderosíssima e existe com muita força pelo país inteiro com absoluta versatilidade”, finaliza. 
 
A edição do Persona conta com depoimentos de Ana Maria Cerqueira Leite, Claudette Soares, Amilson Godoy e Boni.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code