Ad Code

'Globo Repórter' desta sexta mostra a cura pela natureza

Divulgação Globo

O 'Globo Repórter' viaja nesta sexta-feira, dia 11, Brasil adentro para mostrar a cura pela natureza, como fruto da união entre a ciência e a sabedoria popular. Seja na Floresta Amazônica, na Mata Atlântica ou no Sertão brotam plantas medicinais como a andiroba, camomila, espinheira santa, sucupira, camapu, entre outras, todas com propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, bactericidas, analgésicos e até ansiolíticas. O programa revela ainda como elas, com seu potencial comprovado por institutos de pesquisa das universidades brasileiras, já estão sendo disponibilizadas para a população através da Farmácia Viva, projeto do SUS que trata pacientes com remédios e medicamentos naturais.

“Visitamos uma comunidade extrativista em Nova Ipixuna, no Sudeste do Pará, onde um grupo de mulheres batalhadoras faz um trabalho sensacional com a andiroba, desde a coleta. Depois de cozinhar, elas  transformam a massa da andiroba num óleo, do qual é possível pode fazer sabonete, hidratante e vela para espantar mosquito. É um trabalho extrativista que mantém a floresta em pé e mostra como a conservação da Amazônia pode gerar renda, sem desmatar a floresta. Um trabalho sensacional que, segundo comunidades tradicionais, indígenas e ribeirinhas, tem propriedades anti-inflamatórias e cicatrizantes, com o respaldo da ciência”, explica o repórter Fabiano Villela.

Outra importante descoberta revelada pelo programa dá conta do camapu, uma frutinha que nasce na beira da estrada. “Pesquisadoras do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Pará, após estudos, descobriram que no caule do camapu existe uma substância capaz de produzir novos neurônios. Já foram feitos testes em animais, essa pesquisa está avançando, mas é uma descoberta espetacular promissora para a cura de doenças neurológicas”, revela Fabiano, que também visitou, em Belém, o Mercado Ver-o-Peso, uma das maiores feiras livres do país, para conhecer as erveiras que trazem receitas para todos os tipos de dores. 

Saindo do Norte do país rumo ao Nordeste, Beatriz Castro mostra os poderes do mel, própolis, sucupira, entre outros, e como a Farmácia Viva tem funcionado no Brasil profundo e aborda a importância da produção desses remédios naturais como forma de sustento para várias famílias. “Mostramos a iniciativa de uma prefeitura do sertão, de Afigados da Ingazeira, que produz os medicamentos da farmácia da natureza e distribui pelo SUS. É um sucesso. E os resultados são percebidos pelos médicos e pacientes. Algumas farmacêuticas da natureza são extraordinárias. As abelhas produzem o própolis vermelho nas árvores de mangue que só tem em Alagoas.  Hoje, o produto é cobiçado pelos japoneses e ajuda na sobrevivência de várias famílias. Tanta sabedoria e tanto ainda por conhecer. Enfim, a ciência confirma os benefícios que a população já conhece de muito, muito tempo”, observa a repórter.
 
Já Dulcinéia Novaes desbravou lindos campos de camomila no Paraná e as plantações de espinheira santa, em São Bento do Sul, em Santa Catarina. “Penso que a gente sempre deve valorizar a sabedoria popular. E a região metropolitana de Curitiba responde por 95% da produção nacional, então são campos muito bonitos, com aquele cheiro tão doce. Sobre a espinheira santa, descobrimos uma pesquisa muito interessante sobre sua atuação no tratamento de doenças do sistema digestivo”, explicou Dulcinéia.

O ‘Globo Repórter’ vai ao ar às sextas-feiras, após o ‘BBB 22’ e é reexibido também nas manhãs de sábado, às 6h, antes do ‘É de Casa’.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code