Ad Code

G1 em 1 Minuto completa sete anos com o marco de transformar a linguagem do telejornalismo e se aproximar do público jovem

Divulgação/Marcelo Brandt

Criado com o intuito de renovar a linguagem televisiva no jornalismo, o 'g1 em 1 minuto' surgiu com entradas ao longo da programação da Globo. Com um elenco formado por jornalistas jovens e trazendo um formato dinâmico, resumido e alinhado ao imediatismo das redes sociais, ganhou espaço e completa neste mês sete anos na TV. O quadro se solidificou noticiando os temas em destaque no Brasil e no mundo e com uma identidade visual própria, com as apresentadoras trazendo como plano de fundo a redação e um tom informal, com as roupas alinhadas às suas rotinas e personalidades. Transmitido ao vivo, outro diferencial é que as notícias são apuradas e escritas pelas próprias apresentadoras.

Atualmente na bancada estão Paula Paiva, Luiza Tenente, Gabi Gonçalves, Clara Velasco e a mais recente integrante Gessyca Rocha, que já colaborou na produção do podcast O Assunto, além de fazer coordenação de vídeo para o próprio G1 em 1 Minuto antes de apresentar o boletim. “Acho até difícil quantificar o tamanho da importância do boletim em termos de referência e credibilidade. Esse formato inovou muita coisa, quebrou diversas amarras. O ‘g1 em 1 minuto’ é a internet na TV, um marco”, afirma a apresentadora estreante Gessyca.  “A internet tem uma linguagem fluida e dinâmica, sem a rigidez que os produtos da TV costumam ter. Apesar de estar na televisão, acho que o G1 em 1 Minuto consegue transmitir a leveza que os ‘nativos digitais’ buscam na hora de se informar. Isso é importante para criar uma conexão da Globo e do próprio g1 com esse público”, complementa Caroline.  

O ‘g1 em 1 minuto’ estreou em uma segunda-feira, dia 20 de abril de 2015. Atualmente, tem três entradas de segunda a sexta-feira na programação da Rede Globo: dentro do programa ‘Encontro’ e nos intervalos da ‘Sessão da Tarde’ e do ‘Vale a Pena Ver de Novo’. Além deles, o g1 tem boletins ao vivo regulares em outros programas. No ‘É de Casa’, aos sábados, além de um boletim com checagens de Fato ou Fake da semana. Na GloboNews, ocorrem participações frequentes com boletins de conteúdos especiais do g1 no ‘Estúdio I’.

ENTREVISTA COM AS APRESENTADORAS G1 EM 1 MINUTO
 
1. A ideia do programa é trazer à televisão o público da internet, sendo uma vitrine do portal focada em jovens, com linguagem moderna e espontânea. Como se sente com essa missão de transmitir informações de forma que o público jovem se identifique?   
Clara: Me sinto muito feliz e honrada de participar do quadro de apresentadoras do g1 e de participar desta missão de atingir o público jovem. Transmitir as informações de forma clara e leve para a maior quantidade de pessoas possível é uma tarefa que me desafia diariamente e me motiva a continuar a fazer o meu trabalho da melhor forma possível. Como mulher negra e nordestina, também acredito que é importante que jovens de origens e raízes semelhantes às minhas consigam se identificar e se sentir representados e motivados a entrar no mundo da comunicação. 

Luiza: Sinto que é uma baita responsabilidade, ainda mais diante da disseminação de fake news nas redes sociais. Nós, apresentadoras, precisamos conquistar a confiança do público jovem e mostrar que representamos um portal de notícias com credibilidade, que checa todas as informações antes de publicá-las e que sempre busca a agilidade. Jovem quer tudo de forma rápida e objetiva. Estamos aqui para isso: levar um minuto com as notícias principais (e mais fresquinhas) do que o espectador precisa saber naquele momento.  
 
2. Qual a importância de um quadro como esse que tanto se adapta à linguagem dinâmica e imediatista da internet, tendo se tornado uma referência na apuração de fatos e notícias em tempo real?   
Luiza: A gente mostra que, em um minutinho só, dá para contar o que de mais importante está acontecendo no Brasil e no mundo, por meio de uma linguagem objetiva e de uma curadoria cuidadosa. O g1 publica cerca de 800 textos por dia. Não é fácil escolher só dois ou três por boletim! Uma curiosidade: “g1 em 1 minuto” virou até expressão jovem, sabia? Tem adolescente que diz: “nossa, minha amiga é muito g1 em 1 minuto” ou “uau, o grupo do zap hoje tá muito g1 em 1 minuto”. É no sentido de ter muita notícia fresquinha, que saiu agora há pouco e que nem chegou ainda a muita gente. Legal, né?

Paula: É muito importante porque este é o tempo da internet. Quando um assunto está em alta ou acontecendo naquele momento, como uma votação importante no Congresso, a repercussão de um acidente como o da Marília Mendonça, ou mesmo a guerra na Ucrânia, o público não quer esperar o próximo telejornal ou a próxima edição de alguma revista para saber o que está acontecendo. E o ‘g1 em 1 minuto’ consegue trazer as principais informações com agilidade, e, claro, com isenção e zelo. 

Gessica: Acho até difícil quantificar o tamanho da importância do boletim em termos de referência e credibilidade. Esse formato inovou muita coisa, quebrou diversas amarras. O ‘g1 minuto’ é a internet na TV, um marco. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code