Ad Code

Primeiro episódio do Projeto Upload fala sobre influenciadores digitais do mundo corporativo

Divulgação 

O Projeto Upload estreia neste domingo, 10 de abril (22h30), como um guia visual sobre inovação, empreendedorismo e transformação digital comandado por Stéphanie Fleury, a criadora da plataforma DinDin, primeira startup da área financeira vendida para um grande banco na América Latina. A cantora Preta Gil, a jornalista Nathalia Arcuri,  o economista Ricardo Amorim e a consultora de criatividade e inovação Cristina Naumovs  são os primeiros convidados da temporada que terá dez episódios. Eles falam de uma tendência comum no mercado norte-americano, acompanhada pelo Brasil,  que é a “mercadologização” das celebridades, como definem os especialistas. 

O episódio Estrelas S/A aborda o marketing de influência, exercido pelos executivos que cruzaram as fronteiras do mundo corporativo para se tornar influenciadores digitais e,ao mesmo tempo, fala das celebridades que fizeram o caminho inverso, entrando para o mercado empresarial. Stéphanie Fleury  e seus convidados analisam se é bom para os negócios quando o principal executivo se torna influencer,  como as empresas veem esse movimento e compartilham experiências, desafios e das conquistas à frente de seus empreendimentos.  

Além de cantora, Preta Gil criou, em 2017,  a agência especializada em música, marketing de influência e entretenimento Music2Mynd. “Quando eu iniciei a minha carreira eu tive que empreender sozinha, né? E uma coisa que eu amo fazer na vida é dividir essa visibilidade, esse know-how com outros artistas”, afirma a artista. Ela conta que a agência começou com poucos clientes, mas Pablo Vittar tinha acabado de explodir e precisava de quem cuidasse da parte comercial. “E foi vindo, gente, até se transformar numa agência com mais de 350 talentos”, comemora.

Ricardo Amorim, considerado pela Revista Forbes como o economista mais influente do Brasil e um dos maiores influenciadores do Linkedin, fez a travessia inversa. “Foi completamente orgânica minhas participações nas redes sociais.  No fundo, eu encontrei nas redes uma forma de expor ideias que  achava importante, que gostaria de compartilhar com mais gente”, afirma. “E, depois, com a minha entrada na televisão, eu me encontrei e fui me tornando um Ricardo Amorim melhor, sendo autêntico, preocupado com as pautas”, completa.  Segundo ele, existe espaço nas redes para quem oferece conteúdo bacana em vez de gritar coisas negativas.

A jornalista Nathalia Arcuri tornou-se uma influencer ensinando as pessoas a tomarem as rédeas da própria vida financeira. Ao criar a plataforma “Me Poupe”, no YouTube, com quase 7 milhões de inscritos, provou que sabe como impedir que o sucesso seja algo efêmero. “O único jeito de você vencer no Brasil é se transformando em uma empreendedora”, alerta. Sozinha, com dinheiro próprio, ela criou a empresa que faturou R$ 85 milhões em quatro anos.

A situação de Stéphanie Fleury não é diferente, já que além de cuidar dos próprios negócios, ela agrega mais uma atividade como apresentadora de televisão.  “É uma virada de chave. No entanto, ter opinião com estilo se tornou fundamental nos dias de hoje para qualquer profissional. Agora que eu sou apresentadora, minha imagem virou um ativo”, afirma.

Cristina Naumovs explica que as marcas precisam ter coerência entre a mensagem divulgada por seus influenciadores e o que praticam no dia a dia. Segundo ela, hoje a discussão mais importante está relacionada à capacidade de comunicação transparente, persuasão, influência e liderança, que são competências reais. 

O “Projeto Upload” é exibido aos domingos, às 22h30.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code