Ad Code

Técnicos do vôlei brasileiro, José Roberto Guimarães e Renan Dal Zotto são alguns dos convidados do 'Ça Va Paris' no Sportv2

Divulgação Globo

Após a disputa dos Jogos de Tóquio, o vôlei brasileiro iniciou o novo ciclo olímpico, mirando a próxima edição, em Paris-2024. O primeiro teste das seleções será a Liga das Nações, que começa em junho e terá total cobertura dos canais sportv. A competição antecede o Campeonato Mundial, principal torneio da modalidade antes dos Jogos Olímpicos. Para saber mais sobre a preparação das seleções, o programa ‘Ça Va Paris’, do sportv, deixou pela primeira vez o estúdio e foi até o Centro de Desenvolvimento do Vôlei, em Saquarema, no interior do Rio de Janeiro. Os apresentadores Marcelo Barreto e Fabi Alvim entrevistaram com exclusividade os técnicos José Roberto Guimarães e Renan Dal Zotto. Além deles, participam do programa o levantador Bruninho, capitão da seleção masculina, e a oposto Rosamaria, um dos destaques da conquista da última medalha de prata olímpica. O 'Ça Va Paris' Especial vai ao ar neste sábado, dia 21, às 00h30, no sportv2.
 
O primeiro bloco do programa recebe o técnico José Roberto Guimarães e a oposta Rosamaria, e é dedicado à seleção feminina, que começa a sua caminhada na Liga das Nações no próximo dia 31, com uma equipe bastante renovada em relação à que conquistou da medalha de prata nos Jogos de Tóquio, no ano passado. O comandante falou sobre a importância da mescla de jogadoras mais novas com nomes de referência: “Estar aqui já é um início muito importante para estas jovens atletas que sonham em jogar uma olimpíada e vestir a camisa da seleção. E ainda mais porque aqui encontram jogadoras de muita referência. Imagine poder treinar ao lado de nomes como Fabiana e Thaísa? Todo mundo treme no início, mas tenho a certeza de que é um sentimento muito legal”, afirma José Roberto Guimarães, o único brasileiro tricampeão olímpico.

Divulgação Globo

A segunda parte do ‘Ça Va Paris’ foca na seleção masculina e conta com as presenças do técnico Renan Dal Zotto e do capitão Bruninho. O levantador falou sobre a motivação de representar o país, mesmo após a decepção de ter ficado sem medalha em Tóquio. “Acho que a motivação depende muito daquilo que tem dentro de você e faz a “chama” ficar acesa. Os jogadores mais experientes, como eu, Lucarelli, Lucas e o Isac, têm essa paixão de estar aqui e estão dispostos a fazer tudo. Algo que a gente sempre coloca nas nossas conversas é que a competição mais importante é a próxima. E essa mesma pressão e responsabilidade que existe por resultados em cada nova competição, é o que nos faz estar sempre focados e centrados em nos manter entre os melhores”, diz Bruninho, campeão olímpico nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code