Ad Code

As controvérsias de um gênio: Curta! exibe filme inédito sobre Salvador Dalí

Divulgação Curta!

Genial, controverso, paranoico, midiático, provocador. Esses são alguns dos adjetivos usados para caracterizar Salvador Dalí, um dos maiores nomes da pintura do século XX. A trajetória do artista surrealista é contada no documentário “Salvador Dalí, As Duas Faces de um Gênio”, que estreia no Brasil através do Curta! e do Curta!On - Clube de Documentários, streaming disponível no NOW e em CurtaOn.com.br. 

O filme, dirigido pelo francês François Lévy-Kuentz, conta com belas imagens de Port Lligat, na Catalunha, onde Dalí viveu por muitos anos, e principalmente com um rico acervo de registros de sua vida particular, suas entrevistas e performances. São imagens que mostram sua trajetória, da infância à vida adulta, passando pelo longevo casamento com seu grande amor e eterna inspiração: Gala.

Nas diversas entrevistas com o artista, ele mesmo conta sua história e também fala de seu processo criativo, suas ideias e sua técnica, intitulada por ele de “paranoia crítica”. O método envolve ilusões de ótica, múltiplas imagens e desconstrói conceitos psicológicos de identidade — que é sobreposta pela subjetividade —, mostrando a grande influência dos estudos de Freud em sua obra. Para André Breton, escritor e principal teórico do surrealismo, Dalí foi a essência do movimento.

Durante a Segunda Guerra, no entanto, ele se afastou do grupo surrealista e foi morar em Nova York com Gala, onde trabalhou como nunca, de maneira totalmente versátil. Além de expor seus quadros, Dalí se aventurou em todo tipo de negócio, desde decoração de boates e design de joias até a colaboração com o cinema de Alfred Hitchcock. Assim, tornou-se um dos artistas mais ricos do mundo. A partir de então, o mesmo André Breton passou a criticá-lo e a chamá-lo por um anagrama feito com seu nome: Avida Dollars.

Um dos focos do filme são as controvérsias de Dalí. Em certo momento, ele se dizia católico, mas nunca renunciou ao erotismo, à escatologia e demais comportamentos pouco religiosos. Em outro, considerava a televisão uma grande degradação, mas se tornou totalmente midiático e exibicionista.

Em Dalí, essa dualidade sempre se manifestou, em sua arte e em suas declarações e aparições públicas, tornando-o um grande enigma, cuja sanidade era questionada por alguns. Já na maturidade, em uma entrevista, ele próprio tenta explicar: “O lado louco que as pessoas pensam ver em Dalí é justamente o lado mais trágico da minha existência”. A estreia é na Terça das Artes, 7 de junho, às 23h.

Em novo episódio, série ‘Jazz’ mostra como o ritmo animou os EUA e suas tropas em meio à Segunda Guerra

Nos Estados Unidos, a década de 1940 começava com a entrada do país na Segunda Guerra Mundial. E, para levantar o ânimo das tropas — e da própria população civil — durante o conflito, uma arma não-convencional foi utilizada: o jazz. Naquela época, muitos músicos se alistaram, enquanto outros visitaram bases do exército munidos de seus instrumentos. Essa história é contada no episódio “Suingando com a mudança”, da série “Jazz”.

Também era um momento de mudança no próprio ritmo. Duke Ellington encontrava um novo parceiro, o talentoso e jovem compositor Billy Strayhorn; e, em um clube do Harlem, uma banda liderada pelo trompetista Dizzy Gillespie e pelo saxofonista Charlie Parker descobria uma nova e estimulante maneira de tocar — rápida, complexa e, às vezes, caótica.

Além da exibição no Curta!, “Jazz” está no streaming Curta!On – Clube de Documentários, plataforma disponível no NOW, da NET / Claro e pelo site curtaon.com.br. A estreia é no sábado, 11 de junho, às 21h, com reexibição na Segunda da Música, 13 de junho, às 23h.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 6/06

21h – “Blitz” (Documentário)

O documentário apresenta a história de uma das primeiras bandas consagradas do pop-rock brasileiro, a Blitz. O longa-metragem mostra o seu surgimento na lona do Circo Voador, que ficava entre Ipanema e Copacabana na década de 1980, as turnês internacionais e o sucesso do grupo ainda nos dias atuais. Além de apresentar alguns dos momentos mais emblemáticos desses mais de 30 anos de estrada da Blitz, o filme também relembra o rico cenário musical brasileiro da década de 1980. Diretor: Paulo Fontenelle. Duração: 104 min. Classificação: 12 anos. Horários Alternativos: 7 de junho, terça-feira, às 1h e às 15h; 8 de junho, quarta-feira, às 9h; 11 de junho, sábado, às 22h; 13 de junho, segunda-feira, às 1h45.

23h – “Jazz” (Série) – Episódio: “Swing: A velocidade da celebração”

O som pulsante de Kansas City da Count Basie’s Band chega a Nova York e rapidamente reacende o espírito do swing. O saxofonista líder de Basie, Lester Young, desafia Coleman Hawkins pela supremacia, combinando o som musculoso do velho mestre do saxofone com um estilo mais leve e descontraído. Young se junta a Billie Holiday para uma série de gravações magistrais. Chick Webb alcança fama nacional ao apostar em uma cantora adolescente chamada Ella Fitzgerald, e Duke Ellington é saudado como um herói na Europa. Poucas semanas após o início da Segunda Guerra Mundial, uma nova gravação dá ao mundo um vislumbre do que o jazz se tornará quando a Era do Swing finalmente terminar: é Coleman Hawkins, o velho mestre, oferecendo uma visão surpreendentemente nova de improvisação. Direção: Ken Burns. Duração: 59 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 4 de junho, sábado, às 21h; 5 de junho, domingo, às 10h35; 7 de junho, terça-feira, às 3h e às 17h; 8 de junho, quarta-feira, às 11h.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 7/06

23h – " Salvador Dalí, as duas faces de um gênio” (Documentário)

Quem foi Salvador Dalí? Gênio artístico ou mero fenômeno midiático? Sem nunca deixar de construir sua imagem e orquestrar a encenação de sua obra e de seu personagem, Salvador Dalí (1904-1989) foi um dos artistas mais extravagantes e populares do século XX. Neste retrato filmado em parte em Port Lligat (onde o artista morou) e rico em imagens de arquivo, François Lévy-Kuentz contrapõe os grandes temas do pintor com entrevistas e fatos muitas vezes inéditos. De Freud ao surrealismo, da sexualidade ao dinheiro e do misticismo à ciência, uma biografia excepcional que revela o "mito de Dali". Direção: François Lévy-Kuentz. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 9 de junho, quinta-feira, às 00h e às 14h; 10 de junho, sexta-feira, às 8h; 11 de junho, sábado, às 19h30; 12 de junho, domingo, às 10h.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 8/06

20h – “Lost + Found” (Série) – Episódio: “Paulo Emílio Sales Gomes - Arquivista de sombras em luta”

Maior nome do pensamento cinematográfico brasileiro do século XX e fundador da Cinemateca Brasileira, Paulo Emílio Sales Gomes teve uma vida atribulada e aventureira. Preso por suas convicções comunistas aos 17 anos de idade, fugiu do presídio por um túnel escavado sob o chão da cela, partindo para a França, onde se envolveu com cinema. Paulo Emílio dedicou anos de pesquisas à reconstituição da obra-prima “L’Atalante”, de Jean Vigo, desfigurada em seu lançamento original. Seu trabalho foi fundamental para a restauração feita no começo dos anos 1990, e decisivo para a reconsideração do filme como um dos mais importantes da história do cinema. Paulo Emílio também foi responsável pela recuperação da obra de Humberto Mauro. Diretor: Fabian Cantieri. Duração: 32 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 2 de junho, quinta-feira, às 00h e às 14h; 3 de junho, sexta-feira, às 8h; 4 de junho, sábado, às 19h30; 5 de junho, domingo, às 10h.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 9/06

20h30 – “Lobo do Lobo e a Literatura Latino-Americana” (Série) – Episódio: “Conceição Evaristo”

Conceição Evaristo admirava como sua mãe criava e contava naturalmente suas próprias histórias enquanto costurava bonecas de pano para as filhas. Um dia, porém, sua mãe era a personagem. E a vida de toda a família estava retratada no livro “Quarto de Despejo”, de Carolina Maria de Jesus, uma mulher pobre, negra e favelada, que cria uma tradição na literatura brasileira ao romper com o imaginário de que as Letras eram de domínio apenas dos homens brancos. Conceição Evaristo segue este caminho, dando continuidade à ousadia de Maria de Jesus. Na busca por compreender melhor este movimento e consolidar a sua escrita, Conceição Evaristo cunha o termo escrevivência: uma literatura de autoria negra, fundamentada na vida de mulheres negras. Direção: Daniel Augusto. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 10 de junho, sexta-feira, às 00h30 e às 14h30; 11 de junho, sábado, às 80h30; 12 de junho, domingo, às 9h; 13 de junho, segunda-feira, às 8h30.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 10/06

22h15 – “O Mercado de Notícias” (Documentário)

O filme traz os depoimentos de treze importantes jornalistas brasileiros sobre o sentido e a prática de sua profissão, o futuro do jornalismo e casos recentes da política brasileira. Controvérsias que ganharam destaque na imprensa brasileira — como a acusação de abuso sexual em uma escola infantil em São Paulo e um polêmico ataque a um político durante a campanha eleitoral de 2010 — são alguns dos fatos abordados no longa. O diretor Jorge Furtado entrevistou nomes conhecidos pelo público: Bob Fernandes, Cristiana Lôbo, Fernando Rodrigues, Geneton Moraes Neto, Janio de Freitas, José Roberto de Toledo, Leandro Fortes, Luis Nassif, Mauricio Dias, Mino Carta, Paulo Moreira Leite, Raimundo Pereira e Renata Lo Prete. Eles são convidados a refletir sobre o que é notícia e a comentar as transformações pelas quais o ofício do jornalista está passando. Os depoimentos são entrecortados por trechos encenados da peça "O Mercado de Notícias", escrita em 1625 pelo dramaturgo inglês Ben Jonson, que aborda o surgimento do jornalismo naquele século. Direção: Jorge Furtado. Duração: 94 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 11 de junho, sábado, às 2h20; 12 de junho, domingo, às 14h; 13 de junho, segunda-feira, às 16h15; 14 de junho, terça-feira, às 10h15.

Sábado – 11/06 – ESTREIA DE EPISÓDIO

21h – “Jazz” (Série) – Episódio: “Suingando com a Mudança”

Quando os Estados Unidos finalmente entram na guerra em 1941, a música das big bands faz parte do arsenal, elevando o moral tanto em casa quanto para as tropas no exterior. Alguns líderes de bandas se alistam, enquanto outros visitam bases do exército e fazem discos. Duke Ellington descobre um verdadeiro parceiro, Billy Strayhorn, criando juntos algumas de suas gravações mais memoráveis. Em um clube do Harlem, o Minton’s Playhouse, uma banda de jovens músicos liderada pelo trompetista Dizzy Gillespie e pelo saxofonista Charlie Parker descobre uma nova e estimulante maneira de tocar: rápida, complexa e às vezes caótica.  Direção: Ken Burns. Duração: 59 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 12 de junho, domingo, às 10h35; 13 de junho, segunda-feira, às 23h; 14 de junho, terça-feira, às 3h e às 17h; 15 de junho, quarta-feira, às 11h.

Domingo – 12/06

19h– “Incertezas Críticas - 3ª Temporada” (Série) – Episódio: “Christian Dunker”

Christian Dunker é psicanalista, professor titular do Instituto de Psicologia da USP e autor de diversos livros. No seu programa, ele relaciona as políticas de identidade com a psicanálise, explica como “a lógica do condomínio” pode ajudar a pensar o Brasil, fala sobre as fake news e explica como o conceito lacaniano do “real” pode nos ajudar a pensar o que muda e o que permanece no capitalismo contemporâneo. Direção: Daniel Augusto. Duração: 26 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 9 de junho, quinta-feira, às 20h; 10 de junho, sexta-feira, às 00h e às 14h; 11 de junho, sábado, às 8h30; 13 de junho, segunda-feira, às 8h.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code