Ad Code

Registros de Hitler por Eva Braun marcam estreia de série sobre arquivos históricos no Canal Curta!

Divulgação/Curta!

Um homem em momentos descontraídos, cercado por belas paisagens, enquanto seus amigos e sua amada aproveitam os dias de verão nas montanhas. Se tais imagens provocam desconforto em quem as vê é porque o homem em questão é Adolf Hitler. As cenas da vida íntima do ditador nazista foram registradas pela câmera de Eva Braun, a amante do Führer. Acompanhadas de análises de especialistas e contextualização histórica, as imagens são apresentadas na série ''Mistérios do Arquivo'', que estreia com exclusividade no Curta! e no Curta!On – streaming disponível no NOW e em CurtaOn.com.br.

Eva gostava de gravar vídeos amadores e estava sempre com sua câmera — presente que recebera de Hitler. Em imagens coloridas e em preto e branco, ela registrou diversos momentos de sua vida e, por consequência, da vida do líder nazista, com quem convivia com frequência. São momentos de lazer nos Alpes da Baviera, imagens de seus familiares e de suas viagens — sem a companhia de seu amante —, o casamento de sua irmã e até encontros com lideranças nazistas, comícios e demais atividades da campanha política.

Eva Braun se manteve no anonimato até o fim de sua vida. Seus registros só foram descobertos após o término da Segunda Guerra, assim como sua existência como amante de Hitler. Entre os destroços de uma Alemanha destruída, os filmes de Eva foram encontrados e se tornaram arquivos históricos, com cenas íntimas nunca vistas do recém-derrotado Führer, sempre discreto e enigmático.  

Com dez episódios, a série “Mistérios do Arquivo”, dirigida por Serge Viallet e Julien Gaurichon, apresenta também outras relíquias do audiovisual que, juntas, contam parte da história do mundo entre 1940 e 1975. Entre elas, a chegada do homem à lua; o Dia D da Segunda Guerra; os testes da bomba atômica em Atol do Bikini; a queda de Saigon — dando início à Guerra do Vietnã —; Marilyn Monroe visitando os soldados americanos na Guerra da Coreia; a chegada de Yuri Gagarin no espaço e a visita do presidente norte-americano Richard Nixon à China. A estreia é na Sexta da Sociedade, 17 de junho, às 23h30. 

Último episódio de ‘Lost+Found’ traz a história do colecionador de filmes Fernando Martín Peña

Uma cópia em 16mm de “Metrópolis", de Fritz Lang, com 26 minutos praticamente inéditos desde o lançamento do filme; diversos curtas-metragens considerados perdidos do cartunista Quirino Cristiani; e uma versão da obra “The Blacksmith”, de Buster Keaton, com cenas que não constavam na versão original de 1922. Esses são alguns dos preciosos materiais audiovisuais exibidos pelo argentino Fernando Martín Peña no capítulo que ganha seu  nome da série “Lost+Found”, com direção de Diogo Cavour.

O episódio apresenta Peña como uma das principais figuras da preservação cinematográfica na América Latina. Além de ser responsável pela recuperação de obras desaparecidas ou incompletas, é historiador, pesquisador, crítico, professor, divulgador de filmes, apresentador de televisão e colecionador. Atualmente, é responsável pelo setor de cinema do Museo de Arte Latino-americano de Buenos Aires (Malba), comanda o programa "Filmoteca — Temas de cine", exibido na TV Pública da Argentina, e é um dos fundadores da Associação de Apoio ao Patrimônio Audiovisual (Aprocinain).

“Lost+Found” foi produzida pela Dilúvio Produções e viabilizada pelo canal Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A estreia do episódio é na Quarta do Cinema, 15 de junho, às 20h.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 13/06

21h15 – “Jards” (Documentário)

"Jards" é um documentário de Eryk Rocha que trata da vida e da obra do cantor Jards Macalé, autor de famosas canções, como “Vapor Barato”, “Gotham City” e “Movimento dos Barcos”. O filme também mostra uma parte do processo de criação do disco “Jards”, lançado em 2011 e que trouxe as participações de Elton Medeiros, Thais Gulin, Luiz Melodia, Frejat e Ava Rocha. Diretor: Eryk Rocha. Duração: 93 min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 14 de junho, terça-feira, às 1h15 e às 15h15; 15 de junho, quarta-feira, às 9h15; 18 de junho, sábado, às 22h; 19 de junho, domingo, às 16h; 20 de junho, segunda-feira, às 1h45.

23h – “Jazz” (Série) – Episódio: “Suingando com a Mudança”

Quando os Estados Unidos finalmente entram na guerra em 1941, a música das big bands faz parte do arsenal, elevando o moral tanto em casa quanto para as tropas no exterior. Alguns líderes de bandas se alistam, enquanto outros visitam bases do exército e fazem discos. Duke Ellington descobre um verdadeiro parceiro, Billy Strayhorn, criando juntos algumas de suas gravações mais memoráveis. Em um clube do Harlem, o Minton’s Playhouse, uma banda de jovens músicos liderada pelo trompetista Dizzy Gillespie e pelo saxofonista Charlie Parker descobre uma nova e estimulante maneira de tocar: rápida, complexa e às vezes caótica. Direção: Ken Burns. Duração: 59 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 11 de junho, sábado, às 21h; 12 de junho, domingo, às 10h35; 14 de junho, terça-feira, às 3h e às 17h; 15 de junho, quarta-feira, às 11h.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 14/06

23h – "A Ruptura Impressionista” (Documentário)

Este filme refaz a aventura de um grupo de jovens pintores em que se destacavam Édouard Manet, Pierre-Auguste Renoir, Camille Pissarro, Alfred Sisley e Frédéric Bazille. A partir de 1874, eles lançaram uma estética que rompeu com o estilo das pinturas históricas exibidas nos salões oficiais da época. Direção: François Lévy-Kuentz. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 15 de junho, quarta-feira, às 3h e às 17h; 16 de junho, quinta-feira, às 11h; 18 de junho, sábado, às 12h45; 19 de junho, domingo, às 19h30; 20 de junho, segunda-feira, às 3h30.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 15/06

20h – “Lost + Found” (Série) – Episódio: “Fernando Martín Peña”

Fernando Martín Peña é um dos principais personagens da cena de preservação e conservação cinematográfica na América Latina. Historiador e colecionador de filmes, Peña é um dos fundadores da APROCINAIN, associação de apoio ao patrimônio audiovisual que restaurou mais de 300 películas argentinas que corriam risco de serem perdidas. Foi um dos impulsionadores da regulamentação da lei que criou a Cinemateca Nacional na Argentina. Em sua trajetória como pesquisador, resgatou diversas obras que eram consideradas desaparecidas ou incompletas. Atualmente, Peña é responsável pelo setor de cinema do MALBA, Museo de Arte Latino-americano de Buenos Aires, e apresentador do programa "Filmoteca - Temas de cine", exibido na TV Pública da Argentina. Diretor: Diogo Cavour. Duração: 31 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de junho, quinta-feira, às 00h e às 14h; 17 de junho, sexta-feira, às 8h; 18 de junho, sábado, às 19h30; 19 de junho, domingo, às 10h.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 16/06

22h30 – “Atravessa a Vida” (Documentário)

Uma viagem ao interior do Sergipe, em que o espectador acompanha uma turma do 3º ano do ensino público nos meses que antecedem a tão esperada prova do ENEM. Enquanto são pressionados para alcançar a nota desejada nesse dia que pode determinar o resto de suas vidas, os alunos da pequena Escola Estadual Doutor Milton Dortas desabrocham e debatem temas como depressão, aborto, pena de morte e o legado das ditaduras. O cineasta João Jardim desvenda histórias de vida que representam as dores e os prazeres vividos nesse período turbulento de transformação que é a adolescência. Direção: João Jardim. Duração: 90 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 17 de junho, sexta-feira, às 2h30 e às 16h30; 18 de junho, sábado, às 15h10; 19 de junho, domingo, às 22h; 20 de junho, segunda-feira, às 10h30.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 17/06

23h30 – “Mistérios do arquivo” (Série) – Episódio: “1940 : Eva Braun filma Hitler”

Berlim, sábado, 6 de julho de 1940. Um dia marcante na história do Terceiro Reich. O chanceler Adolf Hitler, de pé em seu carro conversível, é saudado como um herói. Por várias semanas, suas tropas ocupam a França, Bélgica, Holanda e Luxemburgo. A pessoa que faz as únicas imagens coloridas de sua chegada à chancelaria é uma mulher. Seu nome: Eva Braun. O que essas imagens revelam sobre as relações que o ditador mantinha com seus parentes, seus ministros e os demais visitantes? Direção: Serge Viallet e Julien Gaurichon. Duração: 30 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 18 de junho, sábado, às 3h30 e às 10h30; 19 de junho, domingo, às 18h; 20 de junho, segunda-feira, às 17h30; 21 de junho, terça-feira, às 11h130.

Sábado – 18/06 – ESTREIA DE EPISÓDIO

21h – “Jazz” (Série) – Episódio: “Dedicado ao Caos”

Na Europa devastada pela guerra, o jazz foi banido pelos nazistas, mas grandes músicos continuam tocando, transformando a música em uma arma de resistência. Para muitos americanos negros, no entanto, a situação é contraditória. Eles se veem lutando no exterior por liberdades que seu próprio país lhes nega em casa. Enquanto isso, Duke Ellington estreia seu retrato sinfônico da vida negra na América, “Black, Brown and Beige”. Como sempre, continua transformando sua orquestra em um único instrumento com o qual cria músicas de impressionante perfeição. Louis Jordan populariza uma música que passará a ser chamada de “rhythm and blues”. Charlie Parker e Dizzy Gillespie gravam “Ko-Ko”, estreando um som que em breve será chamado de “bebop”. Uma vez que os americanos o ouvirem, o jazz nunca mais será o mesmo. Direção: Ken Burns. Duração: 59 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 19 de junho, domingo, às 10h30; 20 de junho, segunda-feira, às 23h; 21 de junho, terça-feira, às 3h e às 17h; 22 de junho, quarta-feira, às 11h.

Domingo – 19/06

18h30 – “1968 – O Despertar” (Série) – Episódio: “A Onda”

As lutas pelos direitos civis dos negros e os primeiros movimentos estudantis contra a Guerra do Vietnã nos anos 1960 deram impulso às revoltas globais que se espalhariam pelo planeta em 1968. No Brasil, o regime militar instaurado em 1964 é contestado pela juventude em protestos na rua ou em organizações clandestinas. A Revolução Cubana é uma inspiração para os movimentos que se espalham pela América Latina e pela África, onde Che Guerava tenta exportar a revolução. Manifestações em toda a Europa são reprimidas duramente. Diretor: Don Kent. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 20 de janeiro, sábado, às 14h; 21 de janeiro, segunda-feira, às 8h.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code