Ad Code

TV Brasil - Programação de Filmes de 13 a 19 de junho

Divulgação

Confira a programação de filmes da TV Brasil de 13 a 19 de junho.

Segunda-feira, 13 de junho

Sessão Família – O Segredo do Vale da Lua
14h00, na TV Brasil

Título original: The Secret of Moonacre. País: Reino Unido. Ano: 2008. Gênero: aventura. Direção: Gábor Csupó. Elenco: Dakota Blue Richards, Ioan Gruffudd, Tim Curry, Natascha McElhone e Juliet Stevenson, Michael Webber.

Bela Bontempo (Dakota Blue Richards) é uma órfã de 13 anos, que após a morte de seu pai, precisa se mudar da mansão luxuosa em que mora com várias mordomias para a sombria casa de seu tio Benjamin (Ioan Gruffudd), no misterioso Vale da Lua. Ao passear pela floresta próxima a sua nova residência, ela descobre uma maldição que divide duas famílias há séculos e que põe em risco o próprio vale.

Em um mundo misterioso e cheio de disputas de interesse e poder entre o tio e a sinistra família de Coeur De Noir, a jovem descobre que ela é o centro de tudo, uma vez que é a última princesa herdeira da linhagem. Bela será guiada por uma legião de estranhos aliados na tentativa de manter a honra de sua família e evitar que o Vale da Lua desapareça para sempre.

Para salvar o local, ela precisa quebrar o feitiço antes da 5.000ª lua cheia. A jovem conta com a ajuda do chefe Pierre (Michael Webber), um cozinheiro maluco, a sra. Lavandísca (Juliet Stevenson), sua babá, e o cão Rufus. No decorrer do filme Bela conhece Robin (Augustus Prew), o mais jovem da família Coeur De Noir, rival da sua, e os dois acabam se afeiçoando um pelo outro, ajudando a salvar o Vale da Lua.

Reprise. 103 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Segunda-feira, 13 de junho

Cine Retrô – Jeca Contra o Capeta
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de segunda, dia 13/6, para terça-feira, dia 14/6)

País: Brasil. Ano: 1975. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi e Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Pirilo, Néa Simões, Fausto Rocha Jr, Rose Garcia, Jair Talarico, Leonor Navarro, Jorge Pires, Aparecida de Castro, José Mauro Ferreira, José Velloni, Carlos Garcia, Cavagnole Neto, Macedo Netto, Rui Elias, Luiz Carlos de Oliveira, Almerinda dos Santos.

Em uma pequena cidade do interior, a notícia da aprovação do divórcio alegra a viúva Dionísia (Néa Simões) que tem a ideia fixa de conquistar o caipira Poluído (Amácio Mazzaropi). Este, porém, é bem-casado e feliz. O caipira se vê obrigado a enfrentar a rica fazendeira que é obcecada por ter seu amor.

Uma morte controversa ronda o povoado e as suspeitas sobre o assassinato envolvem a família de Poluído. O filho dele é acusado injustamente pelo crime. Perseguido, o caipira foge para o campo. Perversa, a proprietária rural faz chantagem pelo homem por quem é apaixonada. A viúva Dionísia quer obrigá-lo a se divorciar da esposa na expectativa de que Poluído se case com ela.

Paródia tupiniquim do clássico filme de terror americano "O Exorcista" (1974), a comédia brasileira "Jeca contra o capeta" (1975) fez sucesso e obteve bastante repercussão no país. A gozação de Amácio Mazzaropi com a temática provoca risadas despretensiosas há várias gerações.

Campeão de bilheteria, o longa-metragem levou multidões para as salas de cinema. A trama de humor conquistou o público e teve números impressionantes para a sétima arte nacional na época, com mais de dois milhões e meio de espectadores.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Terça-feira, 14 de junho

Sessão Família – Os Doze Trabalhos de Asterix
14h00, na TV Brasil

Título original: Les douze travaux d'Astérix. País: França. Ano: 1976. Gênero: animação. Direção: Albert Uderzo, René Goscinny, Pierre Watrin.

A história protagonizada pelos personagens Asterix e Obelix se passa em 50 A.C., na Gália ocupada pelo Império Romano. Depois de mais uma tentativa fracassada de conquistar a aldeia, alguns dos senadores romanos passam a suspeitar que os moradores da vila gaulesa são, na verdade, uma espécie de deuses.

Júlio César, para manter seu trono, propõe um acordo e envia ao povoado uma lista com doze tarefas inspiradas nos feitos de Hércules que só poderiam ser realizadas por seres superiores. Se os gauleses vencerem o desafio, o monarca admitiria a derrota. Caso contrário, eles se renderiam ao Império Romano e se tornariam escravos.

A proposta é aceita. O desafio pode garantir independência da vila que elege Asterix e Obelix para tal missão. Asterix, por ser o mais esperto, e Obelix, por ser o mais forte, são escolhidos para representar o povo. Com o peso de não falhar em uma só tarefa, a dupla sai para cumprir os doze trabalhos e manter a dignidade gaulesa.

Os personagens em quadrinhos foram criados pelos franceses Albert Uderzo e René Goscinny, em 1959. A história acompanha aldeões de uma aldeia gaulesa que usa poções mágicas para resistir à dominação do império romano. As séries foram traduzidas para diversos idiomas e conquistaram fãs em todo o mundo.

Repletos de humor e trocadilhos, esses conteúdos foram adaptados para jogos, brinquedos e produções da sétima arte em animação e live action. O ator Gérard Depardieu se consagrou como o divertido Obelix em interpretações que ficaram eternizadas em quatro filmes para as telonas, entre 1999 e 2012.

Com tramas que atravessam gerações, as incríveis aventuras dos personagens Asterix e Obelix ganham a telinha da TV Brasil. Única animação com roteiro totalmente original sem se inspirar em qualquer obra dos quadrinhos, "Os Doze Trabalhos de Asterix" traz uma história épica em que os personagens gauleses são desafiados a cumprir tarefas que remetem à narrativa mitológica dos doze trabalhos de Hércules.

Reprise. 82 min.
Classificação Indicativa: Livre

Terça-feira, 14 de junho

Cine Retrô – Casinha Pequenina
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de terça, dia 14/6, para quarta-feira, dia 15/6)

País: Brasil. Ano: 1963. Gênero: comédia. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Tarcísio Meira, Edgard Franco, Astrogildo Filho, Guy Loup, Luis Gustavo, Marly Marley, Marina Freire, Ingrid Tobias.

Considerado a obra-prima de Amácio Mazzaropi, o filme "Casinha Pequenina" traz um elenco de estrelas e marca a estreia de Tarcísio Meira no cinema. A trama tem o fim da escravidão como pano de fundo e mostra a luta contra os interesses dos senhores de engenho.

Na época do Brasil colonial, o rico fazendeiro escravista Coronel Pedro (Roberto Duval) leva uma vida repleta de crimes e assassinatos. Apesar disso, sua mulher e filhos não conhecem sua extensa ficha criminal.

Os problemas do proprietário de terras começam ao ser chantageado por Carlota (Marly Marley), mulher que testemunhou os capangas dele matarem outro homem. Ela ameaça contar tudo para a polícia caso o homem não providencie um bom casamento para a filha dela, Inês.

Para se livrar da testemunha, o fazendeiro envolve um casal de colonos, Chico (Amácio Mazzaropi) e Fifica (Geny Prado) num plano. Coronel Pedro apresenta o filho deles, Nestor (Tarcísio Meira), como um ricaço da região para Inês. O rapaz acaba se apaixonando pela moça.

Mesmo assim, os pais do jovem desconfiam bastante da nova namorada dele. É nesse ínterim que se estabelece um grande clima de conflito na família. O amigo Bento (Luís Gustavo), que trabalha com Nestor na fazenda, descobre o segredo.

Namorado de Ivone (Ingrid Tobias), Bento quer contar para Nestor sobre o golpe de Inês, a falsa sobrinha do Coronel Pedro. Ele tenta convencer o amigo a não se casar e busca a todo o curso abrir os olhos de Nestor para toda a farsa.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Quarta-feira, 15 de junho

Sessão Família – A Menina no País das Maravilhas
14h00, na TV Brasil

Título original: Phoebe in Wonderland. País: Estado Unidos. Ano: 2008. Gênero: drama. Direção: Daniel Barnz. Elenco: Elle Fanning, Felicity Huffman, Bill Pullman, Emily Blunt, Patricia Clarkson e Max Baker.

A jovem Phoebe Lichten (Elle Fanning) sonha em participar da peça "Alice no País das Maravilhas", que será encenada na sua escola, mas a menina é sempre rejeitada pelos colegas de turma.

O comportamento de Phoebe piora a cada dia, o que deixa seus pais – Hillary (Felicity Huffman) e Peter (Bill Pullman) – preocupados por não compreenderem a filha.

Eles tentam ajudá-la, mas a garota se esconde em suas fantasias, confundindo realidade com sonho. Agora, Phoebe terá que enfrentar um duro, doloroso e emocionante processo de autodescoberta e transformação pessoal.

Reprise. 96 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Quarta-feira, 15 de junho

Cine Retrô – Jeca e seu Filho Preto
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de quarta, dia 15/6, para quinta-feira, dia 16/6)

País: Brasil. Ano de estreia: 1978. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner. Codireção: Berilo Faccio. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Yara Lins, Elizabeth Hartman, Denise Assunção.

Em "Jeca e seu filho preto", o saudoso humorista Amácio Mazzaropi interpreta Zé, o pai de um rapaz (misteriosamente) negro. O fato nunca pareceu o atormentar, mas os vizinhos se incomodam quando o rapaz se enamora de uma moça branca, filha de um rico fazendeiro.

Em plenos anos 1970, Amácio Mazzaropi, com seu jeito simples, abordou no cinema a questão do preconceito racial.

Reprise. 104 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Quinta-feira, 16 de junho

Sessão Família – O Puritano da Rua Augusta
14h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1965. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Marly Marley, Marina Freire, Elizabeth Hartmann, Edgard Franco.

O comediante Amácio Mazzaropi interpreta o personagem Punduroso, um pai de família extremamente conservador. Ele deixa os filhos loucos com sua mania de manter a moral e os bons costumes sempre em primeiro lugar.

Após sofrer um ataque do coração, nada mais vai ser como antes: o protagonista passa a se comportar como um jovem outra vez, muda o cabelo, as roupas e até o gosto pela música.

Reprise. 102 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Quinta-feira, 16 de junho

Cine Retrô – O Jeca Macumbeiro
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de quinta, dia 16/6, para sexta-feira, dia 17/6)

Ano: 1974. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi e Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Gilda Valença, Joffre Soares, Selma Egrei, Ivan Lima, José Mauro Ferreira, Maria do Roccio.

No filme "O Jeca Macumbeiro", Amácio Mazzaropi é Pirola, um caboclo paupérrimo que vive em um casebre na fazenda de seu patrão, o coronel Januário.

A filha de Pirola, Filomena, é casada com Mário, filho do coronel. Um dia, Pirola recebe de Nhonhô, um velhinho amigo, a notícia de que será herdeiro e quando aceita um saco cheio de dinheiro, resolve deixá-lo na guarda do patrão.

Para apropriar-se do dinheiro de Pirola, o Coronel Januário se passa por um pai-de-santo pra lá de fajuto. O filme foi uma sátira ao enorme sucesso de "O Exorcista" e bateu a arrecadação deste nos cinemas do Brasil.

Reprise. 91 min.
Classificação Indicativa: 10 anos

Sexta-feira, 17 de junho

Sessão Família – O Pequeno Órfão
14h00, na TV Brasil

Título original: Rémi sans famille. País: França. Ano: 2018. Gênero: comédia dramática. Direção: Antoine Blossier. Elenco: Daniel Auteuil, Maleaume Paquin, Jacques Perrin, Virgnie Ledoyen, Jonathan Zaccaï, Ludivine Sagnier, Zoe Boyle, Albane Masson, Nicholas Rowe, Nicola Duffet, Simon Armstrong.

A trama acompanha as aventuras de Rémi (Maleaume Paquin), um garoto que é abandonado em uma igreja quando bebê. A doce Madame Barberin (Ludivine Sagnier) assume a maternidade, porém seu marido, com dificuldades financeiras após um grave acidente, resolve devolver o menino para o orfanato.

No caminho, porém, ele se depara com um ex-violinista chamado Vitalis (Daniel Auteuil). O artista descobre o talento musical de Rémi e se oferece para "alugar" o garoto para o menino escapar do orfanato. Os dois passam a viajar pela França para entreter as pessoas.

Arrancado das mãos de sua mãe adotiva e confiado ao senhor Vitalis, um misterioso músico itinerante, Rémi vai aprender a dura vida de acrobata e a cantar para ganhar seu pão. Acompanhado do fiel cão Capi e do macaquinho Joli-Coeur, Rémi parte em uma longa jornada pelo país – marcada por encontros, amizades e ajuda mútua – que o levará ao segredo sobre suas próprias origens.

A comédia dramática francesa "O Pequeno Órfão" (2018) é baseada no romance "Sans Famille", obra redigida pelo escritor francês Hector Malot.

Reprise. 105 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Sexta-feira, 17 de junho

Cine Retrô – O Grande Xerife
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de sexta-feira, dia 17/6, para sábado, dia 18/6)

País: Brasil. Ano de estreia: 1972. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Patricia Mayo, Paulo Bonelli, Tony Cardi, Augusto César Ribeiro.

O humorista Amácio Mazzaropi interpreta o chefe dos correios, Inácio Poróroca, um viúvo que é pai de Mariazinha. Ele é o morador mais antigo de Vila do Céu onde vive cuidando da vida dos outros.

Um dia, chega na cidade, disfarçado de padre, o bandidão João Bigode. Em uma arruaça no bar da cidade, o maldoso mata o xerife e põe Poróroca em seu lugar. A confusão está armada e só o Grande Xerife pode proteger o povoado.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Sábado, 18 de junho

Cine Retrô – O Dono da Bola
16h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1961. Gênero: comédia. Direção: J.B. Tanko. Elenco: Ronald Golias, Grande Otelo, Norma Blum, Vera Regina, Carlos Imperial, Costinha, Perry Salles, Armando Nascimento, César Viola, Luiz de Carvalho, Valença Filho, Hélio Colona.

Ao entrar em um mercadinho que anuncia a degustação grátis de alimentos, o carregador de placas Carlos da Silva Bronco (Ronald Golias) conhece a demonstradora Eva (Norma Blum), que lhe revela ser participante de gincanas no programa 'O Dono da Bola', do canal 70.

Malandro carioca, Bronco gosta de viver na "moleza". Assistindo à televisão, Bronco e sua amiga, a doméstica Clarinha (Vera Regina), ficam sabendo que ele foi indicado para substituir Eva, eliminada na última fase do concurso.

Bronco resolve participar da disputa não pelo prêmio de 500 mil cruzeiros, mas para ajudar Bebeco, o avô de Eva. Apaixonado por Eva, Bronco precisa lidar com um revés amoroso. A moça está atraída pelo amigo dele, Fernando (Perry Salles), produtor de TV. Bronco pela ao colega que contrate Eva. Ela presencia Fernando com diversas namoradas, mesmo assim fica encantada com o seu charme.

Mesmo assim, o rapaz quer vencer o programa para receber o valor em dinheiro e doá-lo à família que passa por dificuldades financeiras. Eva e o avô estão perdendo a casa onde moram para a Imobiliária Fortuna. Os dois serão despejados do local em que a empresa pretende construir um edifício.

Para conquistar o prêmio, Bronco terá que derrotar um oponente à altura. Ele precisa superar o Ronaldo (Carlos Imperial) em quatro tarefas. O adversário tem costas quentes: além de sobrinho do dono da Imobiliária Fortuna, Ronaldo conta com a ajuda de Arquibaldo (Costinha). A dupla de trapaceiros está disposta a tudo para ganhar.

Na nova etapa da gincana, eles têm várias tarefas a serem executadas. Bronco e Ronaldo devem subir de jipe as escadas do Departamento Nacional de Produção Mineral do Rio de Janeiro, e levar um esportista famoso ao auditório do programa. Os desafios foram cumpridos com êxito pelos concorrentes.

A próxima atividade que os competidores devem realizar também é complicada. Na última fase da prova, Bronco e Ronaldo têm que conseguir levar um artista famoso ao programa. A personalidade acaba sendo o ator Grande Otelo, interpretado por ele próprio.

Enquanto isso, não resistindo à insistência de Fernando, Eva aceita ficar noiva dele, evitando sempre as investidas dos malandros Arquibaldo e Ronaldo. Com o tempo, Eva percebe que Fernando não consegue ficar longe das outras garotas e, por isso, resolve romper o noivado.

A competição entre Bronco e Ronaldo continua no concurso de tevê. A última tarefa da gincana é localizar Voluntário, o cachorro da Banda dos Fuzileiros Navais que está desaparecido. Bronco precisará superar as trapaças dos adversários para ganhar a disputa e conquistar o amor de Eva.Com a ajuda de Fernando, ele vence e conquista o prêmio. No final, Eva se declara a Bronco, na presença de Fernando e do avô.

Reprise. 90 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Sábado, 18 de junho

Cine Retrô – Jecão... Um fofoqueiro no céu
21h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1977. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi e Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Paulo Greven, Dante Ruy, Gilda Valença, Denise Del Vecchio, Edgard Franco, Elizabeth Hartman, João Paulo, Leonor Navarro, Rose Garcia, Armando Paschoalim.

Jecão Espinheiro vê-se envolvido com problemas relacionados à sua sorte com dinheiro. Ele e o filho Martinho ganham na Loteria "Espiritiva" e vão para São Paulo receber o prêmio. Quando voltam para cidadezinha onde moram, são recebidos pela população fanfarra, faixa de boas-vindas e muita festa mas também por olhos cobiçosos.

A fortuna desperta o interesse de um latifundiário da região, Chico Fazenda, que, com seus capangas, assalta Jecão e o mata. Graças às suas boas ações, Jecão vai parar no céu, um achado cenográfico bem ao estilo popular do caipira. Há no filme sequências impagáveis das sessões espíritas. Em uma delas, o protagonista volta à Terra para realizar seu próprio enterro, provocando confusão, medo e correria em praça pública.

Para desespero dos santos, toda vez que volta ao céu, Jecão promove bailinhos para animar os anjos e é punido pelo pecado da indisciplina. Diante das estripulias do Jecão no céu, realiza-se uma reunião de cúpula entre os santos para decidir sua sorte. Como ele não pode ficar mais lá, nem ser mandado para o inferno, o conselho decide-se pela única saída: a reencarnação.

Reprise. 98 min.
Classificação Indicativa: Livre

Domingo, 19 de junho

Sessão Família – Houdini – O Pequeno Mágico
14h00, na TV Brasil

Título original: Houdini. País: França e Bélgica. Ano: 2014. Gênero: animação, infantil. Direção: Cédric Babouche. Roteiro: Sydelia Guirao, Francis Launay, Maxime Le Bras e Francois Turquety.

Como o pequeno Harry se tornou o grande Houndini, o mágico mais famoso de todos os tempos? Com base na história real do herói de magia de renome mundial, a animação nos leva à aventura de Harry quando criança que vive e respira mágica desde a infância.

Nos Estados Unidos do século XIX, o jovem Harry Houdini, de doze anos, tem um talento inato para a magia. Contudo, sua cidade natal, Appletown, não tem tradição alguma nisso. Apesar de ensaiar incansavelmente no celeiro de sua casa, Harry tem consciência de que seu potencial pode nunca ser explorado. E tornar-se um mago talvez seja, enfim, uma utopia.

Eis que o prefeito de Nova York anuncia um concurso de mágica para celebrar a inauguração oficial da Estátua da Liberdade. Mas, para entrar na competição, o concorrente deve ser treinado por um mago de verdade. E assim começa o problema, pois Harry não conhece nenhum mago.

O pai de Harry acaba por encontrar o Grande Tesla, um verdadeiro mágico que vê talento, criatividade e ousadia em Harry. Ele decide dar uma chance ao rapaz e o convida a iniciar o treinamento em sua casa.

Acompanhado por sua sobrinha, Beth, e seu assistente, Arnold, Tesla vai ensinar a Harry o básico da magia e alguns truques surpreendentes. Mas também vai testar o rapaz, pois precisará ter certeza de que Harry está pronto para o desafio a sua frente.

O desenho é livremente inspirado no ilusionista húngaro Harry Houdini, famoso no começo do século XIX por suas performances envolvendo magia de rua e, especialmente, números de escape. Houdini ficava preso por cordas, correntes, pendurado a arranha-céus ou imerso n'água. Para espanto da plateia, sempre escapava dentro do tempo-limite da apresentação.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: Livre

Domingo, 19 de junho

Sessão Família – Espião por Acaso
15h00, na TV Brasil

Título original: MeesterSpion. País: Holanda. Ano: 2016. Gênero: aventura. Direção: Pieter van Rijn. Elenco: Beau Schneider, Stijn Van Der Plas, Nienke de la Rive Box, Patrick Stoof, Lieneke Le Roux, Aus Greidanus, Simone Van Bennekom.

Tim, um garoto de dez anos de idade, muda-se com a família para um velho hotel situado na região costeira do país. Ele sofre para se adaptar ao novo lar, até que conhece Simon, um rapaz peculiar recém-desperto de um sono profundo que o manteve preso, sem contato algum com a sociedade, desde 1974.

Com Simon se ajustando ao mundo de hoje e Tim se adaptando à nova casa, a dupla começa uma grande amizade. Quando Tim decide ajudar Simon a encarar o mundo atual, o menino descobre que seu novo amigo é um antigo espião. A partir de então, eles embarcam em uma incrível aventura.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: 10 anos

Domingo, 19 de junho

Cine Retrô – Os Trapalhões e o Rei do Futebol
16h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1986. Gênero: comédia. Diretor: Carlos Manga. Elenco: Renato Aragão, Pelé, Dedé Santana, Mussum, Zacarias, Luiza Brunet, José Lewgoy, Milton Moraes, Maurício do Valle, Marcelo Ibrahim.

Os amigos Cardeal (Renato Aragão), Elvis (Dedé Santana), Fumê (Mussum) e Tremoço (Zacarias) são funcionários do Independência Futebol Clube. Eles trabalham como faxineiros e roupeiros do time. Em crise após três derrotas seguidas, a equipe ainda sofre uma disputa de poder entre os cartolas após o afastamento do presidente que adoeceu.

Assessor da antiga gestão, Velhaccio (José Lewgoy) quer a presidência, mas enfrenta a oposição do candidato Barros Barreto (Milton Moraes). Os cartolas se desentendem e o técnico do time é demitido. Por acidente, Cardeal é escolhido para treinar o Independência que começa a vencer os jogos.

O inesperado sucesso dentro de campo surpreende a todos e não interessa a alguns cartolas. Com a ajuda do repórter esportivo Nascimento (Pelé), que assina uma coluna diária e é fã de futebol, e de Aninha (Luiza Brunet), proprietária do bar do clube e paixão secreta de Cardeal, eles precisam de coragem para lidar com a desonestidade dos dirigentes.

Como técnico, Cardeal conquista vitórias importantes e fica famoso por seus métodos de treinamento pouco convencionais. Vellaccio, porém, está irritado com os bons resultados e manda seu empregado e guarda-costas Edésio (Maurício do Valle) sequestrar o treinador às vésperas da decisão do estadual para que o Independência perca o confronto.

Depois de diversas tentativas frustradas, Velhaccio e Barros Barreto decidem se unir e organizar a captura de Aninha no início de uma partida decisiva. Ao tomar conhecimento do sequestro, Cardeal desespera-se, e tira o ânimo dos jogadores que começam a perder o jogo.

Os amigos Nascimento, Fumê, Elvis e Tremoço partem para o salvamento de Aninha. Ao encontrá-la, eles correm para o Maracanã. Quando Cardeal vê sua musa, o técnico decide entrar em campo como jogador para substituir um beque expulso.

O repórter Nascimento toma a mesma atitude e assume o lugar de um artilheiro contundido, seu sósia e realiza, assim, um sonho de infância. Graças a eles, o Independência torna-se campeão estadual. Os dirigentes corruptos são desmascarados e Cardeal é nomeado o novo presidente do Independência.

Com mais de três milhões e meio de espectadores nas salas de cinema, a comédia "Os Trapalhões e o Rei do Futebol" é um dos sucessos do grupo. A produção está entre as 40 maiores bilheterias de produções brasileiras na telonas. Estrelado pelo quarteto de humoristas, o filme sobre futebol conta com o talento do craque Pelé. O elenco tem ainda artistas como Luiza Brunet, José Lewgoy e Maurício do Valle.

Reprise. 74 min.
Classificação Indicativa: Livre

Domingo, 19 de junho

Cine Retrô – Um Caipira em Bariloche
23h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1973. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner e Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Beatriz Bonnet, Ivan Mesquista, Carlos Valone.

Amácio Mazzaropi é Polidoro, um fazendeiro ingênuo que cai na conversa do genro e vende suas terras para um vigarista. O larápio engana a todos, inclusive sua própria esposa, uma argentina honesta e desiludida com o amor.

Por pura armação, os dois acabam indo parar em Bariloche e lá na neve, em meio a confusões e gargalhadas no frio argentino, o caipira começa a juntar os fatos e retorna para desmascarar os vilões.

A comédia promete muitas risadas e momentos de diversão, intriga e suspense para o público. O longa "Um caipira em Bariloche" foi uma das maiores bilheterias de toda a carreira do saudoso humorista Amácio Mazzaropi.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: 14 anos

Domingo, 19 de junho

Cine Retrô – Betão Ronca Ferro
03h30, na TV Brasil (madrugada de domingo, dia 19/6, para segunda-feira, dia 20/6)

Ano: 1971. Gênero: comédia. Direção: Geraldo Afonso Miranda. Elenco: Amácio Mazzaropi, Dilma Lóes, Roberto Pirillo, Geny Prado, Araken Saldanha.

Em "Betão Ronca Ferro", o comediante Amácio Mazzaropi presta uma justa homenagem aos artistas mambembes e a sua origem no circo. Mesmo depois da fama, o ator nunca deixou de frequentar os picadeiros Brasil afora.

Na trama, o humorista interpreta um empregado de circo que tem o ofício ameaçado quando a filha (Dilma Lóes) deixa o mundo dos espetáculos para se casar com um jovem muito rico (Roberto Pirillo), contra a vontade da família dele.

O pai dela (Amácio Mazzaropi) acaba pegando dinheiro emprestado com a família do genro (Araken Saldanha) e compra o circo onde trabalhava. Assim, ele passa a perambular de cidade em cidade.

O título da comédia faz alusão à revolucionária telenovela "Beto Rockfeller", um fenômeno daqueles tempos. "Betão Ronca Ferro" retrata a dura realidade dos artistas de circo, principalmente na concorrência entre um circo de grande porte e um menor. Na época, os animais ainda podiam ser atrações no picadeiro. Amácio Mazzaropi também aborda a moda da época, como a minissaia e a calça pantalona.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: Livre

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code