Ad Code


'Conversa com Bial' recebe, hoje, Otávio Müller, ator que está no longa 'O Palestrante'

Divulgação

O 'Conversa com Bial' fecha a semana se dedicando à sétima arte. Hoje, dia 11, Pedro Bial recebe o ator e diretor Otávio Müller, que acaba de estrear nos cinemas com o filme ‘O Palestrante’, ao lado de Fábio Porchat. E, amanhã, sexta-feira, dia 12, o programa reúne um trio honroso, que protagoniza o longa ‘45 do Segundo Tempo’, de Luiz Villaça, também em cartaz. São eles: Tony Ramos, Ary França e Cássio Gabus Mendes. Os dois títulos são coproduções da Globo Filmes.

O programa resgata a trajetória de Otavio Müller. Quando criança, o ator teve a oportunidade de entrar numa escola de futebol, e tentar carreira como jogador, mas se decidiu pelo teatro. “O teatro me curou”, declara, emocionado. Para falarem sobre a comédia ‘O Palestrante’, em que ele dá vida a Sandoval, diretor de uma empresa em que todos odeiam a dona, interpretada por Dani Calabresa, e por isso, decidem contratar um palestrante, exploram a atuação multifacetada de Otávio: “A história para mim não pode ser apenas engraçada e nem só emocionante, tem que ter maneiras diferentes de conta-la”, diz. O programa cita ainda a carreira do músico Francisco Müller, filho do ator; Cazuza, que era primo de segundo grau de Otávio; e marcos da carreira.
 
Já o trio Tony Ramos, Ary França e Cássio Gabus Mendes falam de sua amizade, construída a partir dos encontros em cena. Para trazer suas trajetórias, o programa relembra cenas que marcaram suas carreiras, como de Ary em ‘Durval Discos’, de 2002; Cássio em ‘Boleiros – Era Uma Vez o Futebol’, de 1998; e Tony em ‘Ninguém Segura Essas Mulheres’, de 1976.
 
Em ‘45 do Segundo Tempo’, eles interpretam um grupo de amigos que tem em comum a paixão pelo Palmeiras, e se reencontram após alguns anos. Eles decidem fazer uma viagem para reencontrar também a esposa de um quarto integrante, já falecido. Suas vidas, nos dias atuais, contudo, são cheias de frustrações: Ary é um padre que deixa de acreditar em tudo, Cássio é um advogado que perdeu a esposa, e Tony perde a cantiga italiana da qual é dono e sua alegria de viver. Tony define a trama: “Acho que o público vai refletir sobre amizade, amor e desamor, encantos, sonhos, sonhos não realizados, e vai refletir sobre a importância de estar dentro de si, sobre a importância da amizade, e principalmente sobre respeitar o outro”.
 
Com direção artística de Monica Almeida, o ‘Conversa com Bial’ vai ao ar na TV Globo de segunda a sexta, após o ‘Jornal da Globo’. O programa também é exibido no canal internacional da Globo e em simulcast no Globoplay. As entrevistas também podem ser acompanhadas no podcast ‘Conversa com Bial’, disponível no Globoplay ou em qualquer plataforma de áudio.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code