Ad Code


Bastidores e novidades na jornada dos personagens: elenco, produção e Gloria Perez contam mais detalhes do núcleo da Delegacia

Divulgação Globo/João Miguel Júnior e Fábio Rocha

Trazendo personagens que voltam ao ar depois de dez anos e alimentam o lado nostálgico dos fãs de “#Steloisa”, o núcleo da delegacia de ''Travessia'', que estreia no dia 10 de outubro, na TV Globo, também vem a público recheado de novidades. A começar por Helô (Giovanna Antonelli) e Stenio (Alexandre Nero) que, além de viverem a divertida história de idas e vindas enquanto casal, agora têm envolvimento direto na trama de Brisa (Lucy Alves) e na rivalidade entre Guerra (Humberto Martins) e Moretti (Rodrigo Lombardi). A pedido de Creusa (Luci Pereira), madrinha de Brisa, é a delegada Helô quem investiga a deepfake que transforma a maranhense em uma suposta criminosa. Já Stenio é o advogado que representa Moretti no Brasil na disputa envolvendo a licitação do casarão que a construtora Guerra pretende ganhar.
 
Para Giovanna Antonelli, poder contar em ‘Travessia’ tudo o que aconteceu na vida de Helô desde a última vez em que ela esteve no ar, em ‘Salve Jorge’, é uma oportunidade de mostrar que mudanças acontecem na vida de todos. “Não somos mais as mesmas pessoas, mas a história que a Gloria resolveu contar é deles, então temos que resgatá-los também. Helô ganha uma nova camada que é a investigação dos crimes digitais. Ela é uma mulher que me representa, em quem eu acredito, e tem inspiração em muitas delegadas do Brasil”, defendeu a atriz. “Também somos responsáveis pelas reviravoltas da trama, é um trio de amor e humor”, completou Giovanna, fazendo menção a Stenio e Creusa.
 
Alexandre Nero concordou com a parceira de cena e elogiou os novos rumos de Stenio nesta obra. “A felicidade não funciona o tempo inteiro em novela, precisa de conflito. Por isso a escolha de trazer esses personagens em um outro momento foi muito inteligente. A semente é a mesma, tem a relação de gato e rato, humor e drama, afeto e carinho... Mas a passagem de tempo é inevitável”, ponderou. “Stenio é um homem sagaz, um advogado competente e sedutor, que agora vai transitar por diferentes cenários. Ainda assim, esse homem tem um outro lado: não foi ele quem pediu o divórcio. Ele era uma pessoa leve, mas agora tem a carga de dez anos a mais, chegam os dramas dos 45, 50 anos. Ele parece mais solitário”, especulou o ator.
 
Luci Pereira está radiante com o retorno de Creusa e também vibrou pela personagem: “Dar vida novamente à Creusa foi um presente, uma surpresa muito grande! Este é o quinto trabalho que faço com Gloria Perez, o que é maravilhoso. Além disso, trabalhar com Alexandre e Giovanna é extremamente prazeroso, os dois são muito generosos e ajudam bastante no trabalho em cena”.

Já Ana Lucia Torre destacou a chance de estrear um texto da autora como Cotinha, tia de Helô e das irmãs Guida (Alessandra Negrini) e Leonor (Vanessa Giacomo), uma mulher de personalidade forte, assim como a três sobrinhas. “Depois de tantos anos de carreira é a primeira vez que eu trabalho com a Gloria. É uma honra! A Cotinha é a tia de um trio explosivo. Ela conhece muito bem as sobrinhas e não se deixa levar por elas, é bem incisiva. Ela é quem traz o trio de volta ao prumo”, detalhou. 
 
Ainda na trama da delegacia, a nova dupla de Helô é a investigadora Yone (Yohama Eshima), que não só testemunhará as idas e vindas da colega de trabalho com Stenio como também ajudará a apresentar ao público o tema da dark web. “O tema é novo e assustador, principalmente para alguém como eu, que nunca teve contato com isso. Eu tenho falado com policiais que trabalham com esse tipo de crime (digital) e tenho visto a gravidade dos problemas que eles trazem. Minha personagem, junto com a Helô, traz um alerta para as famílias brasileiras. É importantíssimo falar sobre esse assunto”, afirmou Yohama.
 
Quem atua por meio da dark web é Oto. O hacker precisa encontrar os meios de desempenhar todas as suas missões, incluindo a mais recente, encomendada por Moretti, e recorre a esse ambiente para agir sem ser reconhecido. “A gente não pode olhar para o Oto e achar que ele é um mocinho. Ele é um hacker, invade sites, trabalha na dark web. Ele é essa figura, mas, como todos nós, tem dois lados. A gente vê essa dualidade e fica com essa dúvida o tempo inteiro sobre ele. O Oto não é um cara fácil, nunca teve um relacionamento; é um cara do mundo, um nômade. O que pega ele é justamente a possibilidade de construir uma relação com Brisa, algo que ele nunca teve. No fundo, ele sente essa vontade de ficar com ela”, contou Romulo Estrela.
 
A autora Gloria Perez aproveitou a ocasião para revelar que a família de Laís (Indira Nascimento), sócia de Stenio, abordará mais um dos grandes temas da novela: a dependência tecnológica. Indira Nascimento falou sobre a complexidade de sua personagem e detalhou como se preparou para interpretar a advogada: “É a primeira vez que faço uma obra aberta, e eu estou extremamente honrada de trabalhar com esse elenco. A Laís tem mais experiência que minha personagem anterior. Ela já tem filhos e marido. Eu me aproximei mais de pessoas que se assemelhassem a esse perfil, primeiro com advogadas pretas e depois com pessoas mais velhas e que fossem ligadas à família, assim como a Laís”.
 
Monteiro (Ailton Graça), marido de Laís, é um professor de História que tenta correr atrás dos avanços dos dias de hoje. Ainda não se adaptou ao esquema do mundo virtual e não abre mão do bom e velho espaço físico de troca com os alunos. Essa característica gera ruídos na sua relação com a filha adolescente Isa (Duda Pereira) que, ao contrário do pai, é superantenada e adora estar conectada nas redes sociais – assim como o irmão, Theo (Ricardo Silva). “É um prazer estar de novo em uma novela da Gloria Perez, com quem eu estreei na TV, em 2009. Esse personagem foge ao estereótipo da malandragem de Tião, de ‘Cama de Gato’. O Monteiro é ligado à família, apaixonado pela esposa e pelos filhos. Ele não se adaptou aos tempos atuais, não consegue lidar com a modernidade. Ele está focado em uma visão familiar que não é mais a habitual. Por isso, ele tenta reunir e vigiar a família o tempo todo”, explicou Ailton, que também comemorou quando a autora adiantou na conversa com os jornalistas que seu personagem curte a gafieira e terá cenas neste ambiente.
 
Isa é vivida pela atriz Duda Pereira, que destacou a familiaridade com o assunto que o núcleo de sua personagem trará à tona em ‘Travessia’. “A gente vai contar uma história que é muito próxima da minha realidade. Eu também tenho um pai rígido, mas não tão presente, e uma mãe presente. Sou superamiga do meu irmão. Então, me enxergo nessa história. Está sendo uma experiência diferente e nova. Todo dia tem sido uma construção, com muita ajuda do Ailton e da Indira”, disse. 
 
Para retratar todas as novidades deste núcleo, os cenários dos personagens foram construídos nos Estúdios Globo por inteiro, sem boca de cena. Por lá foram montados o novo apartamento de Helô, a delegacia, o escritório de Stenio e Laís, o apartamento de Stenio e a casa da família de Monteiro. “Os cenários estão lindos! O momento dos personagens que voltam ao ar é outro, então tudo foi atualizado. Qualquer cenário hoje está em um momento novo. O cenário fixo está a serviço do personagem. Não tem mais boca de cena, então ele dá mais possibilidade para o ator, para o câmera, para a equipe. A vantagem do cenário fechado é possibilitar trabalhar com câmeras menores e ter um ótimo resultado de fotografia”, explicou o gerente de produção Claudio Dager.
 
‘Travessia’ é criada e escrita por Gloria Perez, com direção artística de Mauro Mendonça Filho, direção de Walter Carvalho, Andre Barros, Mariana Richard e Caio Campos. A produção é de Claudio Dager e Tatiana Poggi; e a direção de gênero é de José Luiz Villamarim.  

Postar um comentário

0 Comentários


Ad Code