Ad Code

Globo exibe o segundo episódio de 'A Roda: Conexões' no 'Jornal Hoje' deste sábado

Divulgação Globo/Rogerio Resende

O orgulho de ser quem se é e de suas raízes é o tema do segundo episódio do 'A Roda: Conexões', que vai ao ar neste sábado, 24 de setembro, para o Rio de Janeiro, após o ‘Jornal Hoje’. Desta vez, o jornalista Chico Regueira reuniu no alto do Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, oito crias de favelas e da periferia do Rio para contar as histórias de suas vidas. São eles: Mc Vraa, MC Estudante, DJ Daniel, Pablinho Fantástico, Tuany Nascimento, Julia Dutra, Rayane Vitória e Matheus Trindade. “A gente está no alto do Morro do Adeus, em roda, junto ao teleférico, que já foi motivo de orgulho, mas que ,desde 2016, está parado. Nessa roda, jovens de todo o Rio de Janeiro. A cidade inteira e a Baixada estão representadas aqui. E orgulho é um sentimento de prazer que a gente tem consigo mesmo. Então, começo a roda perguntando: o que dá orgulho para vocês?”, questionou o jornalista, para a resposta certeira e afiada da bailarina Tuany Nascimento, de 28 anos: “É estar em roda aqui, no alto do Complexo do Alemão, e não estar sendo vista através da mira do fuzil. Estar sendo vista como quem somos e com a potência que cada um tem aqui”.  
 
Ela e o Dj Daniel, de 30 anos, são do Complexo do Alemão. Tuany, do Morro do Adeus, está grávida de 3 meses e no programa falou sobre a sua ONG “Na Ponta dos Pés”, que atualmente oferece aulas de balé para 245 meninas da comunidade. Erguido num terreno cedido pela mãe de Thuany, o prédio que abriga a instituição foi construído numa obra feita por ela, com a ajuda de familiares e amigos. Depois de ser recusada em várias companhias de dança ‘por não se enquadrar no perfil da vaga’, a jovem decidiu criar um grupo onde ela mesma pudesse ensaiar para não perder a forma e logo atraiu a atenção das crianças da comunidade. Já Daniel é nascido e criado no Alemão. Com quatro irmãos, por ser o mais velho, ficou responsável por ajudar a mãe, quando o pai foi preso por tráfico de drogas. Precisou parar de estudar na oitava série pra poder trabalhar com ela, catadora de papelão. Já vendeu bananada no sinal, trabalhou como copeiro, na construção civil, e hoje, trabalha de noite como DJ.
 
De São João de Meriti, vem Mc Vraa, que está começando a viralizar na internet e fortalece a própria autoestima e as de suas seguidoras com atitudes e seus funks que pregam o empoderamento feminino. Da Rocinha, o representante é Pablinho Fantástico, dançarino  do grupo Oz Crias, de 29 anos. Filho de empregada doméstica, pai ausente, antes de se envolver com a dança, Pablinho tentou ser jogador de futebol, mas não conseguiu passar pela peneira do Flamengo porque chegou atrasado na seleção. Desde 2013, se dedica ao à arte do passinho, em 2018, com outros integrantes, lança Oz Crias, cujos vídeos já fazem são sucesso nas redes sociais.
 
A universitária Rayane Vitória, 24 anos, é moradora do Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Filha de cozinheira e neta de catadora de latinhas, é o orgulho de sua família por cursar o quinto período de medicina e fazer estágio em neurocirurgia. Estudiosa, passou em engenharia química em primeiro lugar na UFRJ, mas optou pela medicina. Já a professora Julia Dutra é de Marechal Hermes, onde dá aula de artes na  E.M Evangelina. Ela também transformou o imóvel onde nasceu, no mesmo bairro, no Espaço Cultural Casa Amarela, que é o único a promover arte na redondeza. 
 
MC Estudante, de 25 anos, é de Padre Miguel. Rapper, vive versando pelos vagões de trem da cidade. Um vídeo dele feito e publicado por um passageiro viralizou, possui mais de 20 milhões de visualizações. Hoje, ele tem quase 600 mil seguidores. A deficiência física não impediu Matheus Trindade, de 18 anos, passar para a UFRJ, onde está cursando o segundo período de Relações Internacionais. Por conta de uma síndrome congênita, ele encara uma verdadeira gincana para se locomover pelo Rio de Janeiro com cadeira de rodas. São quatro conduções por dia até chegar a universidade. Nada que o faça desistir:  “Eu tenho orgulho de ter chegado onde eu estou, mas ainda há lugares que quero conquistar, como de ter uma estabilidade financeira e poder ajudar as pessoas”, deseja ele, morador de Vista Alegre. 
 
Neste sábado, 24 de setembro, o segundo episódio do programa 'A Roda: Conexões' vai ao ar, para o Rio de Janeiro, após o ‘Jornal Hoje’. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code