O pioneirismo da UFBA contado por ex-alunos ilustres, como Caetano e Gil, em documentário inédito

Divulgação Curta!

Caetano Veloso, Gilberto Gil, Glauber Rocha e outros grandes nomes das artes e das humanidades estudaram na Universidade Federal da Bahia (UFBA), do final dos anos 1950 até 1964. Esses estudantes, que viriam a se tornar artistas e pensadores brilhantes, tiveram acesso ao que havia de mais rebuscado e inovador na cultura produzida na época, graças ao fundador e primeiro reitor da UFBA: Edgard Santos. Essa geração de intelectuais baianos estrela o documentário ''A Última Vanguarda'', de Peu Lima, que estreia com exclusividade no Curta!.

O documentário arregimenta vários ex-alunos para contar a história desse momento singular da universidade. Além de Caetano e Gil estão no filme: o cantor e compositor Tom Zé; o artista plástico, curador e diretor do Museu Afro Brasil, Emanoel Araújo; o antropólogo, poeta e historiador Antônio Risério; e a cineasta Helena Ignez. As entrevistas, unidas às imagens de arquivo da época — inclusive de filmes de Glauber Rocha —, mostram a importância do investimento em educação e cultura para a sociedade brasileira.

O aspecto visionário da administração de Edgard Santos se estendeu por diversas áreas do conhecimento em humanidades e artes. A UFBA foi pioneira em abrir suas portas para a cultura popular, ao que não fazia parte do cânone, embora houvesse também o acesso ao erudito. Entre as “pequenas revoluções” surgidas na universidade, está a criação do Centro de Estudos Afro-Orientais, que integrou a Academia às heranças africanas tão presentes na configuração social de Salvador. Desse movimento, que extrapolou as salas de aula, participaram entusiastas como o fotógrafo Pierre Verger, conhecido por seus registros fotográficos do candomblé.

Outro destaque do filme é a importância de Glauber Rocha, parte dessa geração. O cineasta baiano foi impactado pelo CineClube organizado por um dos professores da UFBA, Walter da Silveira. Ali, teve contato com grandes nomes do cinema mundial, estudou crítica e foi desenvolvendo seu olhar. E, ao mesmo tempo em que o cinema baiano florescia e produzia seu primeiro longa — “Redenção” (1959), de Roberto Pires —, música, teatro e arquitetura também se desenvolviam conforme o projeto de expansão da UFBA. A universidade chegou a receber a arquiteta Lina Bo Bardi, que além de ter sido professora da instituição, projetou o Museu de Arte Moderna e o Museu de Arte Popular.

“Aquele negócio todo que foi feito aqui parece que morreu, mas não morreu”, afirma Caetano Veloso. Sua fala é complementada pela de Antônio Risério: “Tudo o que é bonito na vida de uma cidade, ainda mais como era Salvador naquela época, é o encontro, é a troca de experiências, é a troca de linguagens, é a troca de vivências”.

“A Última Vanguarda” é uma produção da Movioca, viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). Após a estreia no canal linear, o filme também estará disponível em streaming através do Curta!On – Clube de Documentários, que pode ser acessado através da ClaroTV+ e do site CurtaOn.com.br. A exibição é na Terça das Artes, 8 de novembro, às 22h.

Episódio de ‘Grandes Cenas’ analisa momento marcante do filme ‘Cidade Baixa’

Em novo episódio da série “Grandes Cenas”, o diretor Sergio Machado é convidado a analisar um momento importante de desfecho do filme “Cidade Baixa”. Nela, chegam ao auge os conflitos entre o triângulo amoroso formado pelos personagens Deco (Lázaro Ramos), Nandinho (Wagner Moura) e Karina (Alice Braga) – os dois brigam por ela, e através dela se reconciliam.

Além de contar detalhes e curiosidades desse momento de “Cidade Baixa”, o cineasta também comenta sobre seu intenso processo criativo e a preparação do elenco para construir esses três personagens e a derradeira cena em que amor e dor se confundem.

Dividida em 13 episódios, todos apresentados pelo ator Matheus Nachtergaele, a temporada se dedica a explorar os seguintes filmes, além de “Cidade Baixa”: “Que Horas Ela Volta?”; “Bacurau”; “Branco Sai, Preto Fica”; “Benzinho”; “Kbela”; “Bye Bye Brasil”; “As Boas Maneiras”; “O Lobo Atrás da Porta”; “Proibido Proibir”; “Castanha”; “Um Céu de Estrelas” e “Rasga Coração”.

Dirigida por Ana Luiza Azevedo e Vicente Moreno, a série “Grandes Cenas” foi produzida pela Casa de Cinema de Porto Alegre e viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A série também está disponível no Curta!On. A estreia do episódio é na Quarta do Cinema, 9 de novembro, às 23h30.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 08/11

22h – “A Última Vanguarda” (Documentário)

Nos anos 50 e 60, a cidade de Salvador passava por uma série de transformações que marcariam sua história cultural e de todo o país. O motor principal foram as experiências ocorridas na UFBA, a partir dos investimentos culturais do reitor Edgard Santos que, somados a cultura boêmia e a vanguarda intelectual europeia, geraram uma nova leva de intelectuais e criadores cujas obras permanecem até hoje instigantes e inovadoras. Direção: Peu Lima  Duração: 100 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 9 de novembro, quarta-feira, às 2h e às 16h; 10 de novembro, quinta-feira, às 10h; 12 de novembro, sábado, às 15h30h; 13 de novembro, domingo, às 20h30.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 09/11

23h30 – “Grandes Cenas” (Série) – 2ª Temporada - Ep.: “Cidade Baixa”

O diretor Sérgio Machado abre o jogo e conta tudo sobre o intenso processo de “Cidade Baixa” (2005) e a preparação de elenco para construir o triângulo amoroso entre Deco, Nandinho e Karina. No desfecho do filme, os dois amigos brigam pela mesma mulher, e através dela se reconciliam, em uma cena em que amor e dor se confundem. Direção: Ana Luiza Azevedo e Vicente Moreno. Duração: 20 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 10 de novembro, quinta-feira, às 3h30 e 17h30; 11 de novembro, sexta-feira, às 11h30; 12 de novembro, sábado, às 20h30; 06 de novembro, domingo, às 10h30.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 10/11

23h30 – “Os Manuscritos Secretos da História” (Série) – Ep: “O Processo de Franz Kafka”

Kafkiana! É a palavra que convém para descrever a trajetória rocambolesca do manuscrito do Processo de Kafka. Quando ele morre, aos 40 anos, em 1924, tendo publicado somente textos curtos, ele instrui seu amigo e testamenteiro Max Brod a queimar todos os seus manuscritos... que por sua vez descobre e publica os três grandes romances de Kafka: O Processo (1925), O Castelo (1926), e America (1927). Direção: Anne-Sophie Martin e Olivier Lemaire. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 11 de novembro, sexta-feira, às 3h30 e às 17h30; 12 de novembro, sábado, às 13h30; 14 de novembro, domingo, às 11h30.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 11/11

20h30 – “Guerras do Brasil.Doc” (Série) Ep. “Guerras da Conquista”

Guerras do Brasil.Doc apresenta em uma série documental de 5 episódios de 26 minutos, os fatos e as diferentes versões dos principais conflitos armados da história do país. A guerra da conquista ainda não acabou. Ela já tem mais de 500 anos e continua viva. O 1º episódio da série conta a invasão e colonização do Brasil. A chegada dos portugueses nas praias brasileiras em 1500 e sua relação com os índios que ocupavam este território há milhares de anos. Como os portugueses e depois os europeus chegaram, ocuparam e colonizaram o país do Pau Brasil. A evangelização, a dominação, a exploração e a resistência indígena. Veja como, ao longo da história, a população indígena foi dizimada e segue sua luta, até os dias de hoje, pela demarcação de terras. O Brasil que segue em guerra. Direção: Luiz Bolognesi. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 12 de novembro, sábado, às 0h30 e às 9h30;

Sábado – 12/11  ANIVERSÁRIO DE 80 ANOS DO MÚSICO

22:25 – " Paulinho da Viola - Meu Tempo é Hoje” (Documentário)

"Paulinho da Viola - Meu Tempo é Hoje", documentário dirigido por Izabel Jaguaribe com roteiro do jornalista Zuenir Ventura, é um perfil afetivo do cantor, instrumentista e compositor. O filme mostra seus mestres e amigos, suas influências musicais e percorre sua rotina discreta e muito peculiar em suas atividades e hábitos desconhecidos do grande público. Mas a grande revelação vem das reflexões do músico sobre um único tema - o tempo. Há ainda encontros musicais com Marina Lima, Elton Medeiros, Zeca Pagodinho, Marisa Monte e a Velha Guarda da Portela. Direção: Izabel Jaguaribe Duração:  83 min. Classificação:  Livre. 

Domingo – 13/12

22h30 – “Janela da Alma” (Documentário)

O que o escritor José Saramago, o cineasta Wim Wenders, a atriz Marieta Severo e o músico Hermeto Pascoal têm em comum? Eles e mais quinze personalidades com problemas visuais, que vão da simples miopia à cegueira total, dão depoimentos revelando sua percepção do mundo no documentário "Janela da Alma", de João Jardim e Walter Carvalho Direção: João Jardim, Walter Carvalho Duração: 73 min.

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato